ITÁLIA, Roma - As cidades afetadas pela série de terremotos no ano de 2016 na Itália apresentaram uma queda, em média, de 50% no número de turistas - com picos de até 70% nas mais destruídas -, informou o diretor-geral do Ministério dos Bens Culturais, Francesco Palumbo.

A informação oficial foi dada durante uma coletiva de imprensa organizada pela Federação Italiana das Associações de Empresas de Viagem e Turismo (Fiavet) para mostrar as iniciativas tomadas para tentar alavancar o setor nas cidades da região central do país.    

"Para nós, das regiões atingidas pelos terremotos, foi uma Páscoa intermediária, com uma queda de 50%. Entre os últimos dados, ainda não oficiais, a queda ficou em 30% nas últimas semanas", disse a presidente da Fiavet Úmbria, Ivana Jelinic.    

A líder da entidade ainda destacou que o setor do turismo registrou, em média, uma alta de 6% em todas as regiões - com exceção das áreas atingidas - na Páscoa deste ano.    

- Plano da Enit Após o encontro, a Agência Nacional de Turismo da Itália (Enit) anunciou que foi aprovado um plano de 2 milhões de euros para promover as cidades afetadas pelos terremotos.    

"A coordenação das regiões, em cumprimento com o que estabeleceu o decreto sobre o terremoto, aprovou um plano para tornar operacional a promoção do turismo que a Enit fará nos territórios afetados pelo sismo de 2016", disse o diretor-executivo da Enit, Giovanni Bastianelli.    

O montante será destinado para as regiões de Abruzzo, Lazio, Marcas e Úmbria e terá como objetivo conscientizar que as cidades afetadas pelos tremores estão seguras e "que elas estão ativas e organizando eventos e espetáculos".

Fonte: ANSA

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31