BRASIL, São Paulo - O secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, participou nesta quarta-feira (3) da primeira Reunião de Alto Nível de Representantes Ministeriais e Institucionais de Cultura Ibero-americana.


Participam do encontro representantes de 18 países da Ibero-América e secretários estaduais e municipais de Cultura de todas as regiões do Brasil (Foto: divulgação)

Promovido pela Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), em parceria com o Ministério da Cidadania e o governo de São Paulo, o evento é um espaço de diálogo entre os principais atores institucionais e governamentais da área de cultura da Ibero-América sobre estratégias para ampliar o fomento às atividades culturais e à economia criativa.

Para Henrique Pires, um dos desafios que os gestores culturais ibero-americanos enfrentam é encontrar formas de fazer com que atividades e projetos realizados por cada país sejam mais conhecidos pelos demais. “Eu entendo que o propósito deste encontro está em atualizar nossas perspectivas sobre gestão cultural. Nós temos um acervo de experiências que atestam a ação transformadora da cultura para a educação, a inclusão social e o desenvolvimento econômico e é fundamental que os gestores da região se unam para divulgar isso”, afirmou o secretário.

O secretário-geral da OEI, Mariano Jabonero, destacou que o encontro facilita o diálogo técnico e político entre atores qualificados no setor. “Pensarmos juntos é uma oportunidade de conhecer diferentes olhares sobre a cultura”, ressaltou.

Medir para mostrar
Um dos pontos mais destacados nos debates foi a necessidade de se estabelecer indicadores para a Cultura. Medir quantos empregos diretos e indiretos gera, quanto é movimentado diretamente com a montagem e execução de projetos e, indiretamente, com gastos de turistas em hotéis, restaurantes, além das correlações e conexões entre setores. Por exemplo, no Amazonas, os mesmo técnicos, coreógrafos, cenógrafos e figurinistas que trabalham no Festival Amazonas de Ópera também atuam no Festival de Parintins.

No Brasil, as atividades culturais e criativas representam 2,64% do PIB brasileiro. Essa participação é superior a de setores tradicionais que costumam ser mais reconhecidos pelo governo e pela sociedade como contribuintes do desenvolvimento do país, como as indústrias têxtil e de eletroeletrônicos, e se equipara a outros, como o farmacêutico, por exemplo. Em todo o mundo, as indústrias culturais e criativas geram US$ 2,25 bilhões de renda e empregam 30 milhões de trabalhadores, segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Outro ponto ressaltado foi a necessidade de uma maior circulação dos produtos culturais dentro de um mesmo país e entre os países ibero-americana. “Isso leva à diluição dos custos e, consequentemente, à maior visibilidade e acesso à população”, destacou Henrique Pires.

Instituto Guimarães Rosa
Durante a mesa de abertura, o secretária de Comunicação e Cultura do Ministério das Relações Exteriores (MRE), Márcia Donner, anunciou a criação do Instituto Guimarães Rosa (IGR), em homenagem a um dos grandes nomes da literatura nacional. A exemplo de iniciativas similares de outros países, como o Instituto Goethe, na Alemanha, o Camões, em Portugal, o Cervantes, na Espanha, e a Aliança Francesa, na França, o IGR nasce com a proposta de promover a cultura brasileira.

“Será um instituto para a promoção da língua, da cultura e para a internacionalização das indústrias criativas brasileiras em todo mundo. Vai ser também um lugar para ampliar parcerias vantajosas, para projetar a imagem de uma cultura diversa, sofisticada, colorida e de muito prestígio, como já é a brasileira. Com isso, poderemos ajudar a criar novas visões de mundo e a intensificar o poder brando de nosso País”, concluiu a embaixadora.

Ampla representatividade
Henrique Pires compôs a mesa que abriu a Reunião, em companhia do secretário-geral da OEI, Mariano Jabonero, do chefe da representação da OEI no Brasil, Raphael Callou, da embaixadora Marcia Donner e do secretário de Relações Internacionais da prefeitura de São Paulo, Luiz Álvaro. Ainda participam do encontro representantes de 18 países da Ibero-América e secretários estaduais e municipais de Cultura de todas as regiões do Brasil. OS trabalhos se estenderão até a noite desta quinta-feira (4).

Fonte: Assessoria de Comunicação/ Secretaria Especial da Cultura/ Ministério da Cidadania

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31