BRASIL, Rio de Janeiro - As colinas produtoras de Prosecco, o vinho italiano mais consumido no mundo, receberam neste domingo (7) o título de Patrimônio Mundial da Humanidade da Unesco, informou o ministro das Relações Exteriores da Itália, Enzo Moavero Milanesi.


Foto: reprodução

A decisão foi tomada em Baku, no Azerbaijão, por ocasião da 43ª sessão do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco. A indicação italiana foi aprovada por unanimidade, garantindo o voto dos 21 Estados membros.
"As colinas de Prosecco de Conegliano e Valdobbiadene são agora Patrimônio Mundial da Unesco. Graças à sua beleza única, cultural, agrícola e ao grande trabalho de promoção do sistema nacional", escreveu Moavero no Twitter.

A Itália postulou a zona produtora do espumante em janeiro de 2017 e esperava seu reconhecimento como Patrimônio Mundial da Humanidade na reunião de julho de 2018, mas a candidatura acabou recebendo apenas 12 votos a favor, sendo que o tombamento exige pelo menos 14.

As Colinas do Prosecco ficam na região do Vêneto, nordeste da Itália, mais precisamente entre as cidades de Conegliano e Valdobbiadene. Essa área engloba uma superfície de cerca de 9,1 mil hectares.

Ao longo do último ano, técnicos do Vêneto conduziram novas pesquisas bibliográficas e de arquivo, principalmente sobre o aspecto de "mosaico" dos vinhedos e sobre o método de cultivo das videiras.

Em nota, o governador do Vêneto, Luca Zaia, comemorou o resultado e afirmou que o reconhecimento é prova da posição de liderança que a Itália demonstra na Unesco e o excelente trabalho de equipe do sistema nacional, que envolveu os ministérios das Relações Exteriores, da Defesa, de Políticas Agrícolas, a região de Vêneto e o comitê promotor de candidaturas.

Fonte: Agência ANSA e JB

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31