ITÁLIA, Veneza - A exibição do filme "The Painted Bird", dirigido por Václav Marhoul, durante a 76ª edição do Festival de Veneza ficou marcada por polêmica depois que boa parte do público que assistia a produção saiu da sessão em meio às cenas de violência.

Situado no leste europeu no final da Segunda Guerra Mundial, o longa tcheco-eslovaco-ucraniano é um conto sombrio de um jovem garoto tentando sobreviver ao Holocausto, que impressionou os espectadores, principalmente pela sequência de imagens cruéis, como agressões físicas e sexuais, além de mutilação. O relato foi feito pelo crítico de cinema Xan Brooks, do jornal britânico "The Guardian".

Ele explicou que o público começou a se retirar a partir de uma cena em que os olhos de um adolescente são arrancados. "Posso afirmar, sem hesitar, que este é um trabalho monumental e estou profundamente feliz por ter visto. Também posso dizer que espero nunca cruzar seu caminho novamente", disse à publicação britânica. Baseado em um romance de 1965 do romancista polonês Jerzy Kosinski, o filme em preto e branco mostra uma mundo sombrio onde ser diferente é perigoso. Intepretado por Petr Kotlar, o personagem chamado de "Boy" é enviado por seus pais perseguidos para morar com uma idosa em uma área rural. No entanto, quando a mulher morre, o menino começa a vagar por vilas, vivendo diversas experiências ruins e sofrendo agressões e abusos brutais.

O filme, que foi produzido em quase 11 anos, é um dos 21 filmes concorrentes ao prêmio Leão de Ouro no Festival de Veneza, que chegará ao fim neste sábado.

Fonte: Agência ANSA e JB

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31