RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - Serão exibidos 13 filmes, sendo dois inéditos no Brasil, de 6 a 17 janeiro

O Ano Novo já traz uma ótima notícia para os amantes da obra de Emir Kusturica. De 6 a 17 de janeiro, a Caixa Cultural do Rio de Janeiro apresentará a maior retrospetiva da obra do diretor sérvio na América Latina, com a exibição de 13 filmes (oito em cópias raras 35mm e cinco digitais): os 10 longas do diretor, dois filmes como ator e um documentário sobre ele.

Os filmes `A Floresta de Gelo`, em que trabalha como ator, e `Kusturica: Balkan´s Bad Boy`, documentário sobre o cineasta, são inéditos no Brasil, e `Promessas` (2007) é o último longa de ficção lançado por ele e terá a sua primeira exibição no Rio de Janeiro na Mostra Kusturica.

“O motivo pelo qual chamamos Emir Kusturica de um dos mais consagrados cineastas de seu tempo é simples: seis de seus dez longas saíram com um dos prêmios principais nos maiores festivais de cinema do mundo. São duas Palmas de Ouro (algo que pouquíssimos diretores conquistaram) e um prêmio de Melhor Diretor em Cannes, um Leão de Ouro de melhor diretor estreante e um de Prata em Veneza, e um Urso de Prata em Berlim. Kusturica é ainda responsável por uma série de outras produções para televisão, curtas e comerciais, e ainda faz sucesso com sua banda The No Smoking Orchestra, retratada no documentário Memórias em Super 8”, afirma Fernanda Teixeira, curadora da Mostra.

Emir Kusturica tem um estilo particular e elementos que podem ser reconhecidos pelo público: temas relacionados a família e a relações interpessoais durante crises políticas e econômicas; humor negro; a música dos Balcãs; reflexão histórica sobre a condição da antiga Iugoslávia; direção de arte criativa que trabalha a estética e fotografia em prol da narrativa para dar vida aos personagens. Ganhador da Palma de Ouro de Melhor Filme por Quando Papai saiu em Viagem de Negócios e Underground – Mentiras de Guerra, alcançou algo que somente outros seis diretores alcançaram, entre eles Francis Ford Coppola, Shohei Imamura e Michael Haneke. O diretor roda no momento seu próximo longa, “On the Milky Road”, com previsão de lançamento para 2016.

Além das exibições dos filmes, a retrospectiva contará com um debate sobre a obra de Kusturica, no dia 14 de janeiro, às 19h, com entrada franca, com as participações da curadora Fernanda Teixeira, do crítico de cinema Leonardo Luiz Ferreira e do roteirista Sylvio Gonçalves, autor, entre outros, de S.O.S. Mulheres ao Mar. Será distribuído para o público também um catálogo com textos inéditos de todos os filmes e artigos sobre o realizador escritos por críticos de cinema de diferentes estados do país.

Haverá ainda uma sessão comentada de Underground – Mentiras de Guerra, no dia 9 de janeiro, às 14h. Quem comentará o filme será a professora e pesquisadora Andréa França, autora de Terras e fronteiras no cinema político contemporâneo (Ed. 7 Letras), entre outras publicações.

“O cinema de Kusturica me fascinou desde o primeiro filme que pude assistir, Vida Cigana. É uma mistura do lirismo de Fellini com o realismo mágico de García Marquez, mas com uma marca pessoal indelével do autor. Poesia e melancolia andam lado a lado em obras barrocas com trilhas sonoras e estéticas fascinantes. Seu trabalho singular merece ser visto e debatido no Rio de Janeiro. É com esse desejo de apresentar a sua obra completa para cinema que a mostra se transformou em realidade”, destaca Fernanda Teixeira.

Para saber mais da programação, acesse aqui o site oficial da mostra. 

Serviço: Mostra Kusturica

Data: 6 a 17 de janeiro de 2016 (terça-feira a domingo)

Horário: Consultar Programação

Local: Caixa Cultural RJ (Cinema 1) - Av. Almirante Barroso, 25, Centro

Ingressos: R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes Caixa pagam meia.

Classificação Indicativa: Consultar Programação

Mais informações: (21) 3980-3815.

 

Fonte: Jornal do Brasil

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 02/01/2016 - 24 visitas até 18:10h)

RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - A exposição "O que acaba todos os dias", de Laercio Redondo, se divide entre o Rio de Janeiro e Estocolmo, na Suécia, e tem curadoria de Justine Ludwig. Aqui, está em cartaz no Museu de Arte Moderna (MAM).

São apresentados 11 trabalhos produzidos desde 2007, incluindo uma obra inédita sobre Lota de Macedo Soares e sua relação com o Parque do Flamengo, além de outros trabalhos que tratam da memória coletiva e seus apagamentos na sociedade. 

A exposição fica em cartaz até fevereiro. Laercio Redondo é um artista brasileiro cuja trajetória tem sido desenvolvida em grande medida fora do país, especialmente na Suécia, sua residência em grande parte do ano. 

A distância acaba funcionando como um filtro afetivo, aguçando a sensibilidade para a singularidade cultural que fica escondida na convivência cotidiana. Os horários de visitação vão de terça a sexta, a partir das 12h. No sábado e no domingo, a exposição está aberta a partir das 11h. O ingresso custa R$14 (inteira) e R$7 (meia). O MAM fica na Av. Infante Dom Henrique, nº 85 - Parque do Flamengo.

 

Fonte: Jornal do Brasil

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 01/01/2016 - 33 visitas até 18:13h)

PARANÁ, Curitiba - As atividades, que integram a Operação Verão do Governo do Estado, vão de 16 a 31 de janeiro de 2016, em Caiobá, e são gratuitas

De 16 a 31 de janeiro de 2016, a Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) realiza a primeira edição da Viradinha Cultural, no Balneário de Caiobá, em Matinhos. Atividades recreativas como oficinas, ações de arte-educação no trânsito, apresentações de música e teatro vão alegrar as férias de crianças de 5 a 14 anos. “O projeto atende a meta do Governo Estadual de descentralizar a cultura, ampliando o acesso do público, em todas as regiões do Paraná, a programações gratuitas e de qualidade”, afirma o secretário da Cultura, João Luiz Fiani. 

Durante as duas semanas serão realizadas diversas atividades. Assim como nas edições da Virada Cultural, nesta versão para as crianças também serão feitas atividades direcionadas à educação no trânsito. Além disso, a Cia dos Palhaços ministrará oficinas de malabarismo, acrobacia, equilíbrio e técnicas de palhaço, circo e teatro. 

Serão apresentados espetáculos de teatro de companhias como Filhos da Lua, Cia Regina Vogue, Teatro de Comédias, Teatro Perrotta, entre outras. Algumas das atrações musicais que farão parte da programação são Siricutico, Trombone de Frutas, Grupo de Choro e DJ Duda Rezende.

A Viradinha Cultural faz parte da Operação Verão, do Governo do Estado, e sua realização é uma parceria da SEEC com a Copel, Departamento de Trânsito do Estado (Detran), Sanepar e Usina Elétrica a Gás de Araucária (UEGA). 

A programação completa da Viradinha Cultural será divulgada em janeiro no site www.cultura.pr.gov.br

Serviço:

Viradinha Cultural

16 a 31 de janeiro de 2016

Horário: 16h às 20h

Balneário de Caiobá, Matinhos-PR

 

Fonte: SEEC

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 01/01/2016 - 44 visitas até 18:30h)

RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - Quinhentos barcos de todas as partes do Brasil participam hoje (1º) da tradicional Procissão Marítima de Angra dos Reis, município situado na Costa Verde fluminense. Essa é a 38ª edição do evento, que ocorre sempre no primeiro dia do ano e é considerado a maior festa náutica do estado do Rio de Janeiro. Na edição do ano passado, participaram mais de 400 embarcações.

Em 2016, os barcos disputam prêmios no total de R$ 55 mil, nas categorias alegoria, animação e originalidade, e concorrem ainda ao prêmio especial em homenagem ao diretor de televisão José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, idealizador da festa, que completou 80 anos de idade em novembro do ano passado. A premiação está prevista para as 21h, no Cais de Santa Luzia. Os barcos saíram da Praia das Flechas, na Ilha da Gipóia, pela manhã, e têm chegada prevista na Praia do Anil.

A Procissão Marítima 2016 é organizada pela Fundação de Turismo de Angra dos Reis (TurisAngra) e tem apoio operacional da Marinha do Brasil, da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil do município.

Programação cultural de Angra

Angra dos Reis divulgou o seu calendário principal de eventos de interesse turístico e cultural para 2016. A relação das atividades foi coordenada pela TurisAngra, com apoio da Fundação de Cultura (Cultuar). Em janeiro, por exemplo, o destaque serão as comemorações dos 514 anos do município, que vão de 5 a 10 de janeiro.

A procissão de Iemanjá abre os festejos de fevereiro, no dia 2, antes do carnaval, que irá de 4 a 9 daquele mês. Março é o mês da Festa Internacional de Teatro de Angra dos Reis (Fita), no período de 4 a 20, precedendo a Semana Santa, que ocorrerá entre os dias 25 e 28. Em maio, entre as diversas atividades programadas, está a Festa do Divino, no período de 6 a 15, e o Festival Gastronômico de Moqueca da Baía da Ilha Grande, de 25 de maio a 5 de junho.

O arraial da cidade acontecerá nos dias 24 a 26 e 29 a 31 de julho, no centro. Antes, com início no dia 1º de julho, começará o Circuito Angra Gastronômica, que irá até o dia 3 do mês seguinte. Agosto será dedicado à cultura e celebrará também a capoeira, na Vila do Abraão. Setembro marcará a 48ª edição dos Jogos Militares, no Colégio Naval.

O Dia Nacional de Cultura e o Dia da Consciência Negra serão o destaque em novembro. Para dezembro, estão previstos os eventos Encantos de Natal e Natal Ecológico, entre os dias 10 e 25 desse mês, abrindo os preparativos para o próximo réveillon.

 

Fonte: Agência Brasil - Alana Gandra

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 01/01/2016 - 34 visitas até 18:27h)

 

RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - As pessoas que forem visitar o Museu do Amanhã, na região portuária do Rio, poderão conhecer, em tempo real, o mapa dos abalos sísmicos ocorridos no país, a partir de dados da Rede Sismográfica Brasileira. Isso graças a acordo de cooperação técnica e científica firmado entre o Observatório Nacional e o Instituto de Desenvolvimento e Gestão, organização cultural que administra o museu.

As informações da rede sismográfica são exibidas em uma janela com os eventos sísmicos visando compor um mosaico de Terra em Movimento no espaço Observatório do Amanhã. Esse espaço funciona como um radar do Museu do Amanhã. Ali, são recebidas informações de centros produtores de conhecimento em ciência, cultura e tecnologia não só do Brasil, mas de todo o mundo.

Espaço de ciências da prefeitura do Rio de Janeiro, o Museu do Amanhã está aberto de terça-feira a domingo, no horário das 10h às 18h. A partir do dia 2 de janeiro, o funcionamento será das 12h às 19h. O horário especial vai até o dia 21 de fevereiro de 2016.

A entrada inteira tem custo de R$ 10, mas pessoas com idade até 21 anos, estudantes de escolas e universidades particulares, pessoas com deficiências, servidores públicos do município do Rio de Janeiro, moradores da cidade e clientes Santander pagam meia-entrada, isto é, R$ 5. Há gratuidade para alunos e professores da rede pública de ensino, crianças até 5 anos e maiores de 60 anos, funcionários de museus, guias de turismo e vizinhos do Museu do Amanhã.

Às terças-feiras, a entrada é gratuita para todos os visitantes.

 

Fonte: Agência Brasil

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 01/01/2016 - 38 visitas até 18:36h)

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31