MINAS GERAIS, Belo Horizonte - A mostra Drummond: alquimia poética, que reúne fotos, cartas e documentos acadêmicos inéditos do poeta Carlos Drummond de Andrade, pode ser visitada, até 26 de fevereiro, no Centro de Memória da Faculdade de Farmácia, no campus Pampulha. 

“É a primeira vez que esse material é exposto”, conta a pesquisadora Lucinéia Bicalho, pós-doutoranda do Centro de Memória da Farmácia e organizadora da exposição. Estão expostos documentos pessoais de Drummond, como atestado de idoneidade, requerimentos de matrícula, diploma de farmacêutico e termo de colação de grau, gerados durante o período em que foi aluno do curso de Farmácia da UFMG, na década de 1920 do século passado. Também estão expostos poemas, crônicas e cartas inéditas enviadas a seu ex-colega de turma, Antônio Amorim, citado em seu poema Final de história.

A exposição foi organizada com materiais doados por Georgeta Amorim, viúva de Antônio Martins Amorim, amigo que estudava com Drummond na Faculdade, e com outros documentos que já constavam nos arquivos do Centro de Memória da Farmácia.

O diretor da Unidade, Gerson Antônio Pianetti, revela a origem do acervo: “Há cerca de 20 anos, revirando um material que iria para a reciclagem, encontrei essa preciosidade. É uma felicidade expor agora esses documentos, quando comemoramos os 90 anos da formatura de Drummond na Faculdade de Farmácia”.

O Centro de Memória da Farmácia fica no andar térreo da Faculdade, no campus Pampulha. A exposição pode ser visitada das 9h às 17h, de segunda a sexta.

 

Fonte: UFMG

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 06/01/2016 - 38 visitas até 17:38h)

RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - Ator foi encontrado morto na casa dele, em Guaratiba

O ator Antônio Pompêo foi encontrado morto nesta terça-feira (5) na casa dele, em Guaratiba, em Zona Oeste do Rio. A informação foi confirmada pela Polícia Militar, que esteve no local no fim da tarde. O ator e artista plástico tinha 62 anos e a causa da morte ainda é desconhecida.

Nascido na cidade de São José do Rio Pardo, em São Paulo, Antônio participou de vários filmes, como "Xica da Silva" e "O cortiço". Autou também em novelas da Globo como "O Rei do Gado", "A viagem", "Pecado capital", "Mulheres de areia", "A casa das sete mulheres", "Pedra sobre pedra" e "Fera ferida". Seu início na TV foi em "A Moreninha", em 1975.

Pompêo também atuou em novelas da extinta TV Manchete, como "Kananga do Japão" e "A história de Ana Raio e Zé Trovão". Seu último trabalho na televisão foi na novela "Balacobaco", da Record, em 2012.

 

Fonte: Jornal do Brasil 

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 06/01/2016 - 41 visitas até 17:40h)

SÃO PAULO, São Paulo - Eventos gratuitos para crianças de todas as idades incluem teatro, contação de histórias e programação educativa

Nas férias de janeiro, o Museu da Imigração - instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – preparou uma série de eventos especiais para as crianças. De 6 a 31 de janeiro, atividades educativas e programação cultural estão agendadas sempre com entrada gratuita.

A grande novidade para as férias 2016 é o espaço “Mundo de Brincar”, voltado para crianças de todas as idades. É um local lúdico e divertido, repleto de brinquedos clássicos e educativos. A garotada pode se divertir com jogos de tabuleiro, bonecas, fantoches, quebra-cabeça, piscina de bolinha, espaço de leitura, entre outros itens.

No Mundo de Brincar também conta com atividades educativas e programações culturais: no dia 17/01, às 15h, tem a Oficina de Culinária com contação de histórias para crianças “Sabores e Contos Árabes”, da Cia. Teatral Damasco. A inscrição deve ser feito pelo e-mail: inscriçãEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. A programação segue no dia 27/01, às 15h, com o Teatro de Mamulengo, do Mestre Vadeck de Garanhuns.

O núcleo educativo do MI também está no clima de férias, apresentando uma programação especial. Todas as quartas-feiras, às 15h, tem a Oficina de sons (a partir de 8 anos), uma atividade em que tudo pode ser usado para fazer música, e os visitantes aprenderão a fazer sons com o próprio corpo. Aos sábados, às 15h, a atividade Trem de ferro (a partir dos 3 anos) faz uma viajem pelo museu a bordo de um trem de papelão, cujo combustível são cantigas populares. Aos domingos, às 15h, a Caça-trilha (a partir de 6 anos) faz um percurso pelo museu em busca de pistas, aprendendo sobre diferentes serviços oferecidos pela antiga Hospedaria. Também aos sábados e domingos, sempre às 16h, o público participa do Bate-papo com o Educativo (livre), que a cada encontro aborda temas relativos à temática migratória do museu.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1316, no bairro da Mooca, em São Paulo. O horário de funcionamento é de terça a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos e feriados das 10h às 17h. Os ingressos para visitar as exposições do Museu custam R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia-entrada). Quinzenalmente, às sextas-feiras, o MI oferece visitação noturna, ampliando seu horário de atendimento até às 21h. Outras informações estão disponíveis no site www.museudaimigracao.org.br

Programação de férias no Museu da Imigração

Data: de 6 a 31 de janeiro

Local: Museu da Imigração (Rua Visconde de Parnaíba, 1316 – Mooca – São Paulo)

Entrada gratuita

 

Fonte: Museu da Imigração

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 05/01/2016 - 49 visitas até 10:42h)

SÃO PAULO, São Paulo - Instituto Moreira Salles lança edição digital de Cartas do pai com entrevistas e colunas de jornal entre os extras 

A publicação com a correspondência de Alceu Amoroso Lima para sua filha madre Maria Teresa, entre 1958 e 1968, ganha versão digital com extras como vídeos de trechos de entrevistas de Amoroso Lima, colunas escritas por ele para o Jornal do Brasil, recortes de jornais e uma entrevista exclusiva de seu filho, Alceu Amoroso Lima Filho, sobre os bastidores da edição do livro impresso que saiu em 2004 pelo IMS

Já está disponível nas lojas virtuais Amazon, Apple Store, Google Play e Livraria Cultura o e-book Cartas do pai.

O livro traz uma seleção de cartas enviadas diariamente pelo crítico literário, professor e escritor católico Alceu Amoroso Lima (1893-1983), durante quase 11 anos, para sua filha Lia, que, recolhida no mosteiro Santa Maria desde 1951, adotou o nome de madre Teresa. As cartas revelam a abrangência do pensamento de Amoroso Lima em um período crucial da história política do Brasil: nelas convivem desde o cronista do cotidiano carioca ao pensador dos grandes temas de seu tempo. Entre os assuntos abordados por ele, destacam-se dois grandes conjuntos: religião (reflexões teológicas e comentários sobre personagens da Igreja Católica) e política (as preocupações de um liberal com os rumos do país depois do golpe militar de 1964). O livro Cartas do pai, impresso, foi lançado pelo IMS em 2004. 

A novidade da publicação digital que sai agora são os extras, que se relacionam diretamente com o conteúdo da correspondência. Há, por exemplo, seis vídeos extraídos do filme Dr. Alceu, de Heloisa Buarque de Hollanda, em que Amoroso Lima fala sobre seus anos de ginásio, o início de sua carreira, conta como nasceu a coluna sob o pseudônimo Tristão de Athayde em O jornal, em 1919, e faz comentários sobre a pobreza, a injustiça social e a censura. O trecho sobre a censura fazia parte do discurso que Amoroso Lima fez na entrega do prêmio do XI Congresso de Literatura de Brasília, em 1977.

Há também as 48 colunas escritas por Alceu Amoroso Lima no período que abrange a correspondência do livro, publicadas no Jornal do Brasil. Várias delas, que fazem parte do acervo de Literatura do IMS, são mencionadas nas cartas. Um dos destaques é a coluna “J.Q.”, publicada em 24 de agosto de 1961. Na carta de 2 de setembro daquele ano, Alceu menciona ter recebido um telegrama do presidente, dias antes da renúncia, agradecendo por este artigo. E também “O drama da solidão”, publicada em 25 de janeiro de 1962, em que lamenta o suicídio de Péricles Maranhão, criador do personagem Amigo da Onça. 

A coluna mais polêmica, no entanto, é “Terrorismo cultural”, publicada em 7 de maio de 1964, que rendeu a Amoroso Lima um telefonema do então presidente Castello Branco. Nela, afirma que “quando pretendemos ter feito uma‘revolução democrática’ começam logo utilizando os processos mais antidemocráticos de cassar mandatos, suprimir direitos políticos, demitir juízes e professores, prender estudantes, jornalistas e intelectuais em geral”.Castello lhe telefonou para perguntar se estava ciente da infiltração comunista. O escritor Gustavo Corção, com quem Amoroso Lima teve anos de embates ideológicos, respondeu no jornal O Globo com a provocação “Terrorismo cultural?”.

Ainda entre os extras, uma entrevista exclusiva do filho de Amoroso Lima, Alceu de Amoroso Lima Filho, revela os bastidores da edição de Cartas do pai. Ele relata suas idas ao mosteiro beneditino, em São Paulo, para organizar o livro com sua irmã e também fala da história do telefonema do então presidente Castello Branco a seu pai, que pensou se tratar de um trote tendo em vista as críticas que vinha fazendo ao regime militar. O episódio está no livro, na carta escrita em 8 de maio de 1964.

Faz parte da edição digital também outros documentos: colunas de Carlos Drummond de Andrade e Marcio Moreira Alves, publicadas em jornais, ambas citadas em cartas para a filha, e de Gustavo Corção; recortes de jornais com reportagens, editoriais e colunas; e uma carta escrita à mão por Amoroso Lima para o jurista Sobral Pinto condenando o AI-1.

O livro estará disponível em versão epub2 e epub3. A primeira é compatível com e-readerscomo Kindle e Kobo e traz as colunas de jornal e outros documentos. A versão epub3 para iPads e tablets é enriquecida com vídeos, notas de pé de página com pop-ups e cronologia interativa, além dos documentos e colunas de jornal.

Cartas do pai

De Alceu Amoroso Lima para sua filha madre Maria Teresa

Disponível na Amazon, Google Play e Livraria Cultura por R$10 e na AppleStore por U$ 4

www.ims.com.br 

 

Fonte: IMS

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 05/01/2016 -51  visitas até 10:39h)

PARANÁ, Curitiba - O Museu Oscar Niemeyer (MON) traz para o público infantil a oitava edição da Colônia de Férias. Com o tema “Arte: uma viagem no tempo”, a colônia inclui diversas atividades de caráter lúdico, artístico e cultural. Dividida em duas semanas, crianças de 5 a 10 anos poderão participar das programações no período da tarde, das 14h às 17h30, de terça a sexta-feira, no mês de janeiro de 2016.

A primeira semana ocorre entre os dias 19 e 22 de janeiro e a segunda entre os dias 26 e 29 do mesmo mês. A participação diária será de R$48 por criança, podendo os pais ou responsáveis adquirir o pacote semanal de R$150, com oferta de descontos*. As vagas são limitadas a 60 crianças por dia e a ficha de inscrição deverá ser preenchida e paga na bilheteria do Museu, de terça a domingo, das 10h às 18h, a partir do dia 05 de janeiro, até esgotarem as vagas. 

A programação prevista inclui visitas às exposições em cartaz, oficinas artísticas relacionadas às exposições e obras do acervo, narração de histórias, apresentações teatrais, atividades lúdicas e brincadeiras que promovem a interação de artistas, educadores, mediadores e o público participante. O valor pago na inscrição inclui despesas com materiais usados nas oficinas práticas, aventais e sacolas personalizadas, além de um lanche elaborado pela nutricionista do MON, feito exclusivamente para a Colônia de Férias. 

O objetivo do evento, realizado pela Ação Educativa do MON, é o desenvolvimento integral do indivíduo e segue uma programação voltada única e exclusivamente para os interesses das diferentes faixas etárias, focada no lazer, conhecimento, criticidade e fazer artístico. 

Durante a colônia serão trabalhadas as seguintes exposições: “História do Acervo MON – Em aberto”, “Museu em Construção”, “Cones”, “Espaço Niemeyer”, “Pátio das Esculturas”, “Isolde Hötte- Sua obra”, “Artigas, nos pormenores um universo- Centenário de João Vilanova Artigas”, “Glück- o tempo e a imagem”, “Bienal Internacional de Curitiba”, “Colapso” e “Charif Benhelima. Polaroids – 1998-2012”.

Confira a programação AQUI. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (41) 3350-4412, (41) 3350-4469, (41) 3350-4468 ou no site www.museuoscarniemeyer.org.br

Serviço:

Colônia de Férias MON 2016

Inscrições: 05 a 29 de janeiro de 2016

Vagas limitadas a 60 crianças por dia

Local: Bilheteria do MON, terça a domingo, das 10h às 18h

Atividades

Primeira semana: 19 a 22 de janeiro, terça a sexta

Segunda semana: 26 a 29 de janeiro, terça a sexta

Faixa etária atendida: 5 a 10 anos

Horário: 14h às 17h30

*Valores e Descontos

Valor por dia: R$48

Valor por semana: Pagamento antecipado: R$150

25% de desconto na segunda inscrição (R$36 diária e R$144 a semana) e 30% de desconto a partir da terceira inscrição (R$33,60 diária e R$134,40 a semana). 

*Bolsistas

10% das vagas diárias são destinadas aos bolsistas. Todo bolsista terá a possibilidade de frequentar até um dia em cada semana de colônia.

A criança será considerada bolsista quando a família comprovadamente não possui condições de efetuar pagamento integral. 

 

Validação (homologação) da inscrição

A inscrição será efetivada apenas mediante pagamento realizado na bilheteria do Museu e preenchimento da ficha de inscrição. 

 

Fonte: Museu Oscar Niemeyer 

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 05/01/2016 - 38 visitas até 10:59h)

 

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31