BAHIA, Salvador - A coreógrafa, autora de livros sobre dança e produtora cultural, Lia Robatto, inaugurou uma nova fase do Centro de Memória da Bahia que, ao celebrar 30 anos, abriu suas portas para além da política, recebendo também acervos privados de outras áreas, como a Cultura.

Do acervo, fazem parte programas, reportagens, críticas, cadernos de anotações coreográficas, além de 45 mil imagens entre fotografias, slides e quadros.

Complementando o acervo, a coreógrafa agora participa de uma nova fase: gravação de relatos orais sobre as fotografias. Durante o trabalho, Lia Robatto identifica as personagens das fotografias, o local e a ocasião em que foram registradas.

Foto: Amanda Moreno

"Cada foto tem uma história, me emociono cada vez que me lembro da época, do clima, do ambiente. Recordo os momentos e me faz ter saudades do Silvio", conta Lia. O esposo de Lia, Silvio Robatto (1936-2008), arquiteto e fotógrafo, é o autor da maior parte das fotografias.

O trabalho será realizado pelos próximos meses. As gravações estarão disponíveis, juntamente com o restante do acervo físico, para consultas e pesquisas, ainda este ano. De acordo com o coordenador de Arquivos Privados do CMB, Valdicley Vilas-Boas o objetivo é "identificar personagens constantes nas fotos, e através de microfone, fazer o registro os relatos orais de Lia. A intenção é ativar suas memórias históricas, pois é um acervo muito rico e esses relatos orais veem para complementá-lo", explica.

A assistente da Coordenação de Acervos Privados, Rosevânea Machado, seleciona as fotografias por assuntos, como festas de largo, família, urbanidade e arquitetura. "Temos uma ficha já pronta, na qual anoto as informações que Lia vai passando relativas às fotos", diz.

Doação
O acervo doado ao Centro de Memória da Bahia, em setembro do ano passado, é resultado do edital de Restauração e Digitalização de Acervos Aquivísticos Privados (14/2013), lançado através do Fundo de Cultura, sob a coordenação da Fundação Pedro Calmon/ SecutltBA, em 2014.

A curadora do acervo da coreógrafa, Suki Villas-Bôas, a consultora técnica Aurora Freixo, e a responsável pela execução arquivística do mesmo, Ivana Severino, falaram de todo o processo de curadoria, contextualização histórica e arquivística do projeto, durante o Conversando com a sua História, evento do CMB. Neste dia, também foi assinado o Termo de Doação do Acervo.

Programas, reportagens, críticas e registros fotográficos de quase todos espetáculos encenados e produzidos por Lia Robatto em sua trajetória, além de cadernos de anotações coreográficas, compõem os fundos. O projeto ainda prevê um site para acesso do público do acervo digitalizado.

CMB
O Centro de Memória da Bahia (CMB), unidade da Fundação Pedro Calmon/Secretaria de Cultura do Estado (FPC/SecultBA), tem como objetivo a difusão da história da Bahia, através da preservação e ordenação de arquivos privados e personalidades públicas, bem como a realização de exposições, seminários e cursos de formação gratuitos. Entre suas funções, é responsável pelo Memorial dos Governadores Republicanos da Bahia (MGRB), localizado no Palácio Rio Branco, no Centro Histórico de Salvador.

Fonte: Secult BA

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31