MINAS GERAIS, Belo Horizonte - O Monumento ao Aleijadinho, localizado no gramado da Reitoria, no campus Pampulha, está sendo restaurado.

O trabalho, de acordo com a Pró-reitoria de Administração (PRA), envolve limpeza e troca das pastilhas que revestem a obra, uma vez que muitas delas se descolaram do monumento com o passar dos anos.

Pastilhas que revestem o monumento estão sendo substituídas (Marina Gontijo/ UFMG)

O Departamento de Planejamento e Projetos da PRA elaborou o Memorial Descritivo e de Especificação Técnica, que detalha as atividades de intervenção, manutenção, conservação e recuperação do monumento. As obras começaram depois que o documento foi aprovado pela Diretoria de Patrimônio Cultural (DIPC) da Prefeitura de Belo Horizonte, no início de janeiro.

É a primeira vez que o monumento é restaurado. Desde 1969, ano de sua instalação, foram feitas apenas lavagens esporádicas. A Fundação de Desenvolvimento e Pesquisa (Fundep) está contribuindo com a restauração, por meio da aquisição de pastilhas de serpentinito (pedra-sabão), que compõem o revestimento. A previsão é de que o trabalho seja concluído em maio.

De autoria de Sylvio de Vasconcellos, a escultura, a maior do campus, é composta de duas seções de cilindro de concreto entrelaçados, que lembram uma coroa. Homenagem ao artista barroco Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, a construção simboliza dois elementos: a aspiração, representada pelo cilindro ascendente, e o domínio da técnica pelo homem.

A restauração da obra integra as comemorações dos 90 anos da UFMG.

Fonte: UFMG (com Redes Sociais da UFMG)

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28