PARANÁ, Curitiba - O projeto de restauro e conservação do Museu de Arte Contemporânea do Paraná (MAC-PR) foi apresentado na tarde desta terça-feira (30/05) para membros da Sociedade de Amigos do MAC-PR e conselheiros do museu.

As obras contemplam a construção de um novo anexo de três andares, que vai abrigar o setor de pesquisa e documentação e ainda espaço de convivência com café e loja. O prédio principal também será restaurado, com ampliação e modernização das salas expositivas.

O prédio que abriga o MAC-PR desde 1974 ocupa uma área de 1.678 m2 e é formado por construções de épocas diferentes, que foram sendo adaptadas para atender às necessidades do museu com obras de readequação do espaço em 1988, 1998 e 2005. O edifício principal, com entrada pela Rua Desembargador Westphalen, é de 1928 e foi tombado pelo Patrimônio Histórico Estadual em 1978. Desde que passou a funcionar neste endereço, o MAC-PR passou por algumas obras de reforma para readequação do espaço, em 1988, 1998 e 2005.

No projeto apresentado agora está prevista uma grande recuperação do prédio seguindo suas características iniciais, como a cor original e recuperação de alguns ornamentos que foram se perdendo ao longo dos anos. O muro será de vidro com o desenho da grade original do museu. "Uma forma mais moderna encontrada pelos arquitetos, que conversa com o passado e ao mesmo tempo é bastante contemporânea, que combina muito com o museu", comenta a diretora do MAC-PR, Lenora Pedroso. O anexo será construído na mesma linha do museu, dando ênfase ao prédio histórico. Hoje o anexo está levemente à frente do prédio.

A vice-presidente da Sociedade de Amigos do MAC-PR, Juliane Fuganti Casagrande, considerou o projeto excelente. "Nós vínhamos conversando sobre a necessidade do MAC-PR ter um café como ponto de encontro dos artistas e ficamos deslumbrados quando soubemos que o projeto conta com esse espaço. E ainda contempla a acessibilidade, amplia a reserva técnica, todas questões que estão em déficit e precisam ser adequadas no prédio do MAC-PR atualmente", comentou Juliane, que se dispôs a acompanhar o processo de perto para que seja executado no menor prazo possível.

Obras, acervo e mudança
O secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani, falou sobre a inviabilidade de realizar as obras e manter o museu funcionando no mesmo local. "O anexo, onde hoje funciona o setor de pesquisa e documentação, será totalmente reconstruído. A avaliação dos engenheiros detectou falhas estruturais na construção, sendo mais apropriada a demolição do prédio e reconstrução do que tentar recuperá-lo. Para uma obra desse porte, será necessário realocar todo o acervo do MAC-PR para outro local".

Este local será o Museu Oscar Niemeyer (MON), que vai abrigar não só o acervo do MAC-PR, como também toda sua equipe administrativa e técnica, além de destinar parte de sua estrutura para manter em funcionamento o Museu de Arte Contemporânea, com o setor de pesquisa e documentação e exposições em cartaz.

O MON apresentou o estudo de readequação do espaço para receber toda a estrutura do MAC-PR. "Com base nas demandas listadas, estudamos todas as possibilidades do MON para melhor recebê-los. Existe a necessidade de fazer algumas obras de infraestrutura, que estão em fase de aprovação para serem executadas", explicou a diretora-presidente do MON, Juliana Vosnika.

A diretora do MAC-PR descreveu o passo a passo da mudança. "Não é uma tarefa fácil, pois temos 1300 obras no acervo que precisam ser devidamente transportadas e acomodadas na reserva técnica do MON. Devido ao grande volume e aos cuidados necessários para garantir a integridade das obras, será necessário abrir uma licitação para contratação de empresa especializada para fazer o laudo técnico, embalagem e transporte de cada objeto. Também será contratada empresa de transporte para mudança do mobiliário das salas de trabalho, cerca de 104 arquivos, 33 estantes de livros. E ainda os conteúdos da biblioteca e setor de pesquisa, que somam 5 mil livros, 1.100 encadernados e 34 mil pastas de documentação".

O acervo total do MAC-PR reúne 1700 obras. Hoje 400 delas já estão salvaguardadas no MON, por meio de um contrato firmado entre os espaços para utilização conjunta da reserva técnica.

Para a conselheira do MAC-PR, Maria José Justino, tudo que é pensado para preservar é válido. "Tudo que é para preservar, sobretudo prédios históricos e patrimônio do Estado, eu sou totalmente favorável e acho que a ideia é genial. E o MAC-PR tem uma história muito importante em relação à arte contemporânea". Em relação ao exposto sobre as reservas técnicas, tanto do MON quanto do MAC-PR, a conselheira sugere que o Estado poderia pensar em uma política maior no campo das artes, como, por exemplo, a criação de um Centro de Documentação de Artes do Estado.

Outro cuidado é a criação de uma identidade visual do MAC-PR dentro do MON, que está sendo estudada por ambos os museus.

O objetivo principal de todo esse esforço conjunto é garantir o pleno funcionamento do MAC-PR durante a reforma. "É importante esclarecer que o museu só vai fechar no momento em que todas as obras saírem de lá. Queremos que a transferência seja o menos traumática possível. À medida que estiver tudo pronto, a gente começa a obra", salientou o secretário João Luiz Fiani.

Primeira exposição
Um dos principais salões de artes visuais do país, o Salão Paranaense é o evento mais importante organizado pelo MAC-PR e será a primeira vez que a exposição vai ser realizada no MON. A mostra da 66ª edição abre no dia 8 de junho, às 19h. São 85 obras entre vídeos, instalações, fotografias, pinturas, desenhos e objetos de 25 artistas de todo o Brasil.

Fonte: SEEC PR (Crédito das fotos: Kraw Penas)

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31