SANTA CATARINA, Florianópolis - Reconhecido como um dos responsáveis pelo desenvolvimento do Museu Nacional do Mar, em São Francisco, o navegador Amyr Klink será homenageado com o título de Benemérito da instituição.

Ele será recebido na segunda-feira (03), às 14h, na sede da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), em Florianópolis, pelo presidente Rodolfo Joaquim Pinto da Luz e por membros do Conselho Gestor do Museu Nacional do Mar.

Um dos idealizadores do Museu Nacional do Mar, o arquiteto do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Santa Catarina (Iphan/SC), Dalmo Vieira Filho, destaca o envolvimento de Amyr logo no início das atividades da instituição, ainda na década de 1990. "Amyr é um estudioso, sempre se colocando a favor da preservação. A sua relação com o Museu do Mar se alicerça por duas razões: além da contribuição como um especialista na temática, há a relação afetiva que o ligou fortemente à instituição", explica Vieira, também membro Benemérito do MNM.

Amyr Klink (Acervo pessoal)

No Museu se encontra uma sala que leva o nome do navegador e que apresenta uma retrospectiva das suas grandes façanhas marítimas, como a travessia do Atlântico Sul, em 1984, a bordo do barco a remo I.A.T. – cuja réplica se encontra em exposição. "Amyr abraçou a causa do Museu Nacional do Mar e sempre o promoveu pelo país, como um incentivador e estudioso. Contribuiu com a sua sabedoria e também com críticas e isso exemplifica a sua ligação afetiva com a instituição. Esse reconhecimento é importante, mas é um passo na direção da maior homenagem que o Amyr deseja, que é ver o MNM forte, bem equipado e tratado com o merecido zelo e carinho de todos", diz o presidente da FCC, Rodolfo Joaquim Pinto da Luz.

A revitalização da Sala Amyr Klink marcará também a reabertura integral de todas as alas do Museu Nacional do Mar programada para julho. Há a expectativa para o retorno do barco I.A.T. original, que já esteve em exposição no museu, mas foi levado pelo navegador para reparos. Com a nova sala, a FCC e o Iphan iniciarão as tratativas com Amyr Klink para o transporte da embarcação de volta ao museu para exposição permanente. Original e réplica ficarão juntos, sendo o segundo utilizado para fins educativos, possibilitando a interação dos visitantes.

Desde março, o prédio foi submetido a uma ampla série de reformas emergenciais para a recuperação do telhado, do madeirame, pintura e recuperação de salas até então interditadas e fechadas ao público. Com a conclusão, o complexo estará em condições completas para visitação.

Desbravador
O paulista Amyr Klink é considerado um dos pioneiros na navegação moderna brasileira e coleciona uma série de feitos, como a sua primeira investida, em 1984, com a travessia do Atlântico Sul. A jornada de 100 dias navegando, em um curso de 3,7 mil milhas rendeu seu primeiro livro best seller Cem Dias entre o Céu e o Mar. Em 1986 empreendeu a primeira da série de 15 épicas viagens à Antártica, incluindo a solitária incursão de 1989 e que durou 642 dias, também tema do livro Parati, Entre Dois Polos.

No início da década de 1990, Amyr se envolve com o projeto de implantação do Museu Nacional do Mar, em São Francisco do Sul, do qual se considera um dos seus fundadores e agora benemérito.

Fonte: FCC

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30