RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - Um dos maiores trombonistas do Brasil, Zé da Velha é o convidado de julho na série Depoimentos para a Posteridade do MIS / Museu da Imagem do Som, equipamento da Secretaria de Estado de Cultura.

O encontro acontece na tarde do dia 26 de julho (quarta-feira), às 13h30, na sede da Praça XV. Para compor a mesa dos entrevistadores, Déo Rian, bandolinista e coordenador do Instituto Jacob do Bandolim, o pesquisador Diogo Cunha, o cavaquinista Sérgio Prata além, é claro, do parceiro de 30 anos de carreira, o compositor e trompetista Silvério Pontes. Vale lembrar que o auditório tem capacidade para 50 pessoas, por isso é bom chegar cedo para garantir o lugar. A entrada é franca.

O músico apresenta seu depoimento no dia 26 de julho, na Praça XV (RJ)

José Alberto Rodrigues Matos, mais conhecido como Zé da Velha teve suas primeiras noções de música com o pai, que era saxofonista amador. Começou tocando trombone de pistão e depois trombone de vara. Sempre presente em qualquer roda de choro, o sergipano, que se mudou para o Rio de Janeiro ainda jovem, encontrou-se logo cedo, com mestres como Jacob do Bandolim e Pixinguinha, seus grandes mentores musicais.

Na década de 1990, o músico conheceu o trompetista Silvério Pontes, e, após cinco anos, a dupla lançou em parceria o primeiro disco, "Só gafieira". A parceria rendeu frutos e já dura 30 anos, com muitos outros discos lançados e trabalhos de sucesso. Em 2016, o livro "Zé da Velha & Silvério Pontes 30 anos ? a menor Big Band do mundo", uma coletânea sobre os grandes momentos da parceria. Aos 75 anos, Zé da Velha promete contar durante seu depoimento no MIS, os novos planos de carreira.

Sobre o projeto 'depoimentos para a posteridade'
Em 1966, o MIS-RJ, inaugurou o projeto Depoimentos para a Posteridade, inédito programa de história oral criado para preservar a memória de diversos setores da cultura nacional, tais como a música, a literatura, o cinema e as artes plásticas. Atualmente conta com um acervo de mais de mil depoimentos, com quatro mil horas de material, gravado em áudio e vídeo, de figuras notáveis, como Nelson Rodrigues, Tarsila do Amaral, Fernanda Montenegro, Paulinho da Viola, Gilberto Gil, Nelson Motta, Ary Fontoura, Antonio Fagundes, Nicette Bruno, Zezé Motta, Neguinho da Beija-Flor, Zeca Pagodinho, Paulo César Pinheiro, Daniel Filho, Geraldo Azevedo, Dori Caymmi, Antonio Adolfo, Maria Pompeu, Áurea Martins, Jacqueline Laurence, Ricardo Amaral, Eduardo Dussek, Agildo Ribeiro, entre outros. Vale lembrar que todas as gravações ficam à disposição do público, nas salas de consulta do MIS, 48 horas depois do término da entrevista.

Serviço
Local: Museu da Imagem e do Som do RJ - Praça Luiz Souza Dantas, 01, Praça XV - RJ
Data: 26 de julho de 2017 (quarta-feira)
Horário: 13h30
Entrada franca
Censura: Livre
Informações: (21) 2332-9520/ 2332-9506

Fonte: SEC RJ

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31