DISTRITO FEDERAL, Brasília - Turistas e interessados em conhecer o Sítio Histórico São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul, Patrimônio Mundial desde 1983, já podem visitar o local.

Como resultado dos esforços das equipes envolvidas na limpeza e organização do espaço após o tornado que atingiu a região em 24 de abril, o sítio arqueológico está novamente aberto a visitação. Já o Museu das Missões e a Antiga Sacristia, mais danificados pela tempestade, permanecem isolados até que seja finalizada a restauração desses espaços. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), por meio da Superintendência no Rio Grande do Sul e da Sede, é responsável pela condução do processo de restauração emergencial.

Parte do acervo do museu pode ser apreciado na sala de eventos do Tenondé Park Hotel, localizado no município de São Miguel das Missões. Um diagnóstico preliminar realizado pela equipe do museu constatou que praticamente todo acervo foi atingido, sendo que cerca de 30% das peças sofreram danos mais graves. Os procedimentos necessários para a restauração das peças são dirigidos pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) com a colaboração dos técnicos do Iphan.

O temporal atingiu o município de São Miguel das Missões no dia 24 de abril e deixou pelo menos 50 casas com muitos danos. A força do vento ainda arrancou parte da cobertura do hospital, praticamente destruiu o Centro de Tradição Gaúcha (CTG). As chuvas também derrubaram várias árvores e causou falta de energia elétrica.

O sítio arqueológico de São Miguel das Missões é um dos conjuntos históricos mais importantes situados em terras brasileiras. Em 1937, o arquiteto Lucio Costa foi enviado ao Rio Grande do Sul para analisar os remanescentes dos Sete Povos das Missões e a visita resultou no tombamento, pelo Iphan, em 1938.

Fonte: Iphan

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31