BAHIA, Salvador - O Inventário do Acervo de Arte da Fundação Hansen Bahia e o Projeto ‘Terreiros Criativos’ que beneficia 10 terreiros de candomblé no Recôncavo baiano serão lançados nesta quinta-feira (8), a partir das 15h, na cidade de Cachoeira (cerca de 130 km de Salvador).

A iniciativa é do Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura (SecultBA) e IPAC (Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural). O Acervo da Hansen recebe recursos como vencedor do Edital Setorial de Museus/SecultBA, e o projeto ‘Terreiros Criativos integra o Programa de Fomento e Valorização dos Terreiros Patrimonializados, registrados ou tombados, como Patrimônio da Bahia pelo Governo estadual.

O ‘Terreiros Criativos’ beneficiará 10 terreiros de Cachoeira e São Félix já patrimonializados. O projeto dura três meses, com cursos e treinamentos, tendo 80 horas de carga horária. Serão implantadas ações de educação (capacitação), turismo (sinalização) e comunicação (informação, campanha e impressos) com concepção de Economia Criativa. Serão treinados integrantes de terreiros, condutores e guias de turismo da região. Além da SecultBA/IPAC, compõem a iniciativa a Associação dos Guias e Condutores de Turismo do Vale do Paraguaçu (ACTUP) e a Secretaria do Turismo do Estado (Setur). O lançamento do projeto contará com apresentação da ‘Ópera dos Terreiros’ do Núcleo de Ópera da Bahia e a doação de 400 exemplares do livro bilíngue ‘Festa da Boa Morte’ para a Irmandade, comemorando o Dia Internacional da Mulher (8 de março).

Foto: divulgação

Recôncavo e Hansen Bahia
“Com a imensa riqueza das culturas materiais e imateriais, o Recôncavo da Bahia vem sendo beneficiado por várias iniciativas da SecultBA/IPAC, desde ações de salvaguarda de bens culturais, com tombamentos e registros, lançamentos de livros e videodocumentários, até os editais governamentais de apoio financeiro e obras prediais em terreiros e na Irmandade da Boa Morte, dentre outras”, diz o diretor do IPAC, João Carlos de Oliveira. A SecultBA/IPAC coordenou ainda o Programa Monumenta/IPHAN restaurando igrejas, monumentos e as orlas fluviais de Cachoeira e São Félix.

Já o acervo Hansen Bahia foi beneficiado com a implantação de sistema de documentação e organização que facilita o acesso às informações. O acervo total é composto por 4.559 obras de arte em papel (gravuras), madeira entalhada, pintura, desenho e técnica mista. Criada 1976 pelo próprio artista alemão radicado na Bahia – Karl Heinz Hansen (1915-1978) – a fundação funciona em dois imóveis em Cachoeira e na Fazenda Santa Bárbara, em São Félix, tombada como Patrimônio da Bahia pelo governo estadual.

A fundação tem a meta de preservar e difundir o legado de Hansen e a formar novos talentos, dentre outras ações. Os recursos do Edital de Museus são do Fundo de Cultura da Bahia. “O programa de documentação permite o registro e a recuperação das informações do acervo”, destaca a proponente do projeto, Cristiane Marques. O acervo passa a ser mais acessível para a população e pesquisadores. A Hansen Bahia também promoveu ontem (6), no Parque Histórico Castro Alves (PHCA/IPAC), em Cabaceiras, uma Oficina de Xilogravura, e no dia 14, abre exposição, nas comemorações pelo 171° aniversário de nascimento do poeta Castro Alves (1847-1871). A iniciativa é da Diretoria de Museus (DIMUS/IPAC).

Economia criativa, sinalização e campanha
O chefe de Gabinete do IPAC, Andre Reis, lembra que o Projeto ‘Terreiros Criativos’ é inédito. “Além dos tombamentos e registros, temos que proporcionar políticas públicas continuadas que auxiliem na preservação dos patrimônios culturais (materiais e imateriais) e os insiram na dinâmica da Economia Criativa visando a sobrevivência das comunidades envolvidas e dos próprios bens culturais”, afirma Andre.

O presidente da ACTUP, Alessandro Simão, relata detalhes do projeto. “São três módulos em três meses, com tópicos das Histórias do Brasil e da África, Turismo e Patrimônio cultural e Vivência e Roteirização dos bens culturais, além de conceitos de arquitetura e roteirização turística”, comenta Simão. Segundo ele, o projeto prevê ainda sinalização (com padrões internacionais) para os terreiros. “Teremos identificação em três idiomas (português, inglês e espanhol) da historicidade, arquitetura e ‘nação’ de cada terreiro”, adianta. “Vamos produzir campanha sobre turismo étnico, além de impressos sobre os terreiros com história, origem e mapa”, completa Alessandro.

Os 10 terreiros beneficiados pelo ‘Terreiros Criativos’ são o ‘Aganjú Didê’ (conhecido como ‘Ici Mimó’), ‘Viva Deus’, ‘Lobanekum’, ‘Lobanekum Filha’, ‘Ogodó Dey’, ‘Ilê Axé Itayle’, ‘Humpame Ayono Huntóloji’ e ‘Dendezeiro Incossi Mukumbi’, em Cachoeira, além de‘Raiz de Ayrá’ e ‘Ile Axé Ogunjá’ em São Félix. Acesse o livro sobre os 10 terreiros: http://migre.me/to47q. Conheça outros livros/IPAC: http://goo.gl/CDv6q3. Acesse: www.ipac.ba.gov.br, facebook Ipacba Patrimônio, twitter @ipac_ba e instagram @ipac.ba.

Serviço
Lançamento do Inventario Hansen Bahia
Data: 08/03/2018
Horário: 15h
Local: Casa Hansen Bahia(Rua 13 de maio, nº 197- 373 Cachoeira –BA)

Entrega de Livros de Publicação da Festa da Boa Morte
Data: 08/03/2018
Horário: 16h
Local: Casa da Irmandade da Boa Morte(Casa Estrela, nº 41 em Cachoeira)

Lançamento Terreiros Criativos
Data: 08/03/2018
Horário: 17h
Local: Câmara de Casa e Cadeia(Rua Benjamin Constant nº 02 Cachoeira - BA)

Fonte: Secult BA

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31