SÃO PAULO, São Paulo - O Instituto Vladimir Herzog, com apoio da Unibes Cultural, promove hoje, dia 24 de abril (terça-feira), às 19h30, um encontro para pensar a arte como resistência a partir das obras de Antonio Benetazzo, artista plástico e militante político assassinado pela ditadura militar em 1972.

O evento celebra a inclusão da exposição 'Antonio Benetazzo, permanências do sensível' no acervo do IVH na plataforma Google Arts&Culture, ocorrida no dia 07 de março.

Os convidados para a conversa são: Carla Borges, ex-coordenadora de Políticas de Direito à Memória e à Verdade da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo; Elifas Andreato, artista gráfico, cuja trajetória está ligada à fase áurea da música popular brasileira e à luta contra o regime militar; e Reinaldo Cardenuto, pesquisador e curador da exposição "Antonio Benetazzo, permanências do sensível". Além de Rogério Sottili, diretor executivo do Instituto Vladimir Herzog.

Nascido na cidade de Verona em 1941, Antonio Benetazzo deixou a Itália junto aos pais em 1950, partindo rumo ao Brasil onde, na juventude, integraria importantes organizações como o Partido Comunista do Brasil (PCB), a Aliança Libertadora Nacional (ALN) e o Movimento de Libertação Popular (MOLIPO). Em 28 de outubro de 1972 ao entrar na casa do operário e militante político Rubens Carlos Costa, na Vila Carrão, Benetazzo foi surpreendido com a presença de policiais que o levaram para a sede do DOI-CODI em São Paulo, importante aparelho de repressão onde muitos militantes foram torturados e executados. Dois dias depois, em 30 de outubro de 1972, após ser brutalmente torturado, Benetazzo foi assassinado.

A exposição sobre o artista apresenta diferentes fases de sua produção e faz parte da nova etapa do projeto ​"O ​que ​é ​Arte ​Contemporânea?" do Google Arst&Culture. ​No ​Brasil, ​o ​projeto ​foi ​desenvolvido ​em ​colaboração ​com o Instituto Vladimir Herzog e ​mais ​outras ​14 ​instituições ​culturais ​de ​renome ​para ​trazer ​50 ​exposições, ​com ​mais ​de 3.200 ​obras ​que ​revelam ​detalhes ​da ​arte ​contemporânea ​brasileira. ​O ​acervo ​do IVH inclui cerca de 90 obras de Benetazzo distribuídas em três diferentes fases de sua produção artística: a biografia do artista e seus anos de formação; estudos em nanquim e obras de engajamento político; e em plena ditadura, a poesia, a crítica e a clandestinidade política.

Será exibido também o documentário 'Entre Imagens (Intervalos)' sobre a vida e obra de Benetazzo, curta-metragem dirigido por Reinaldo Cardenuto e André Fratti Costa. Produzido como parte do projeto da exposição 'Antonio Benetazzo, permanências do sensível', o filme-ensaio já foi exibido em importantes festivais, como a 19ª Mostra de Cinema de Tiradentes, Mostra de Curta CCBB, 16ª Mostra de Curta Goiânia, a mostra francesa Brésil en Mouvement e VII Festival Pachamama, onde foi premiado na categoria Melhor Curta Metragem.

O evento é gratuito e o ingresso pode ser retirado neste link.

Serviço
Antonio Benetazzo - A arte como resistência
Data: 24 de abril (terça-feira)
Horário: 19h30
Local: Rua Oscar Freire, 2500, Sumaré, São Paulo/SP - ao lado do metrô Sumaré
Entrada aberta e gratuita

Fonte: divulgação por e-mail

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31