DISTRITO FEDERAL, Brasília - Um dos marcos do Conjunto Moderno da Pampulha, a Igreja de São Francisco de Assis foi o primeiro monumento moderno a receber o tombamento pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), ainda em 1947.

Parte do complexo que também foi reconhecido como Patrimônio Mundial, esse importante símbolo mineiro será agora restaurado, garantindo sua conservação e preservação, conforme as recomendações do ICOMOS, órgão assessor da Unesco.

Igreja São Francisco de Assis (Foto: Acervo Iphan)

A obra de restauração será executada pela Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, com recursos de cerca de R$1,07 milhão do Governo Federal, por meio do Iphan, advindos do programa PAC Cidades Históricas. A ordem de serviço para o início dos trabalhos foi assinada nesta segunda-feira, dia 11 de junho, com a presença da presidente do Iphan, Kátia Bogéa; do diretor do Departamento de Projetos Especiais do Iphan, Robson de Almeida; da superintendente do Iphan em Minas Gerais, Célia Corsino; e demais autoridades locais.

A Igreja São Francisco de Assis será completamente restaurada, incluindo serviços de revitalização de piso, revestimentos, pinturas, impermeabilização e recuperação de elementos danificados. O templo é parte do Conjunto Moderno da Pampulha, também formado pela Casa de Baile, pelo Iate Tênis Clube, pelo Cassino (atual Museu de Arte da Pampulha) e pela Casa Kubitscheck, e foi inaugurado em 1943, na região da Pampulha, durante a gestão de Juscelino Kubitscheck como prefeito de Belo Horizonte. O projeto para o complexo da Pampulha reuniu nomes como Oscar Niemeyer, Roberto Burle Marx, Cândido Portinari e Alfredo Ceschiatti e todo o Conjunto foi tombado pelo Iphan em 1997. O título de Patrimônio Mundial foi concedido pela Unesco em 2016, sendo o primeiro bem cultural a receber o título de Paisagem Cultural do Patrimônio Moderno.

Congonhas
Também no dia 11, como parte da agenda em Minas Gerais, a equipe do Iphan seguiu para a cidade de Congonhas, para assinar a ordem de serviço de mais uma obra no Estado. No município, será iniciada a obra de restauração do Centro Cultural da Romaria, contando com uma previsão de investimentos de R$5,5 milhões do Governo Federal, por meio do Iphan, e execução da Prefeitura Municipal de Congonhas.

O projeto para o novo equipamento cultural da cidade irá oferecer condições técnicas ideais para receber diversos tipos de espetáculos. A intervenção será executada em duas frentes de trabalho, uma para a restauração do Centro Cultural da Romaria e outra etapa futura para a construção do novo Teatro Municipal. O projeto prevê a integração do Centro Cultural ao Parque Natural da Romaria, que também está em execução.

Romaria, em Congonhas, MG (Foto: Acervo Iphan)

Investimentos no Patrimônio Cultural
Belo Horizonte e Congonhas estão entre as 44 contempladas com ações do PAC Cidades Históricas em todo o país. Em Belo Horizonte, já foi concluída parte da restauração da Casa do Conde de Santa Marinha e Galpão da antiga oficina, que é, atualmente, sede do Iphan no Estado. Já em Congonhas, foram concluídas as obras de restauração da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição e da Igreja do Rosário, além da requalificação urbanística da Alameda Cidade Matozinhos de Portugal. Também estão em execução na cidade a implantação do Parque da Romaria e a restauração da Basílica do Senhor do Bom Jesus de Matozinhos, já em sua fase final. Em Minas, outras seis cidades foram contempladas pelo Programa: Sabará, Ouro Preto, Diamantina, Serro, São João Del Rei e Mariana – sendo 93 ações em todo o Estado, e uma previsão de investimentos de cerca de R$256 milhões.

Fonte: Iphan

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31