DISTRITO FEDERAL, Brasília - O velório da atriz, cantora, diretora e compositora Bibi Ferreira, de 96 anos, será aberto hoje (13) ao público de 10h as 15h, no foyer do Theatro Municipal, no Rio.

A atriz, cantora e diretora em entrevista à TV Brasil - Arquivo/TV Brasil

Com mais de nove décadas dedicadas aos palcos, será em um dos principais do país que ela receberá as últimas homenagens.

O corpo da artista será cremado no Memorial do Carmo, às 17h, em cerimônia reservada à família e amigos. Bibi Ferreira morreu ontem (12) no começo da tarde em consequência de problemas cardíacos, enquanto dormia no seu apartamento, no Flamengo.

De acordo com a única filha, Tina Ferreira, a mãe aproveitou bem a vida e morreu tranquilamente. Ela contou que a mãe amanheceu ontem bem, mas reclamando de um “pouco de falta de ar”. Porém, quando os médicos chegaram, ela já havia morrido.

“Ela fez o que ela queria, ela teve uam vida muito boa”, disse Tina Ferreira. “Ela sempre falou isso: ‘Eu vivo para o meu público. Eles [os espectadores] e que fique nas lembranças deles, o que eu pude dar, eu dei o meu melhor”, acrescentou.

Em seguida, Tina Ferreira lembrou-se da frase que a mãe gostava de repetir. “No palco é o momento que não sou atingida por nada. É o momento que eu me encontro com Deus.”

No Theatro Municipal, Bibi Ferreira foi diretora de dramartugia e apresentou-se várias vezes. A primeira apresentação, aos 16 anos, com a peça “João e Maria”, baseada na ópera homônima, no papel da bruxa. Em 1951, já acumulava as funções de diretora e atriz na peça “Diabinho de Saias’, de N. Krasna, e em “A Hipócrita”, de Hagar Wilde e Dale Eunson, nessa última também como tradutora.

Fonte: Agência Brasil

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31