MINAS GERAIS, Belo Horizonte - A segurança museológica é o tema do 12º Encontro Estadual de Museus, que acontece de 11 a 13 de setembro, no Minas Tênis Clube, espaço integrante do Circuito Liberdade.


Foto: Izabel Chumbinho

Realizado pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult), em parceria com o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o evento acontece um ano após o incêndio que destruiu as dependências e parte do acervo do Museu Nacional, no Rio de Janeiro. Para refletir sobre a preservação da memória e a salvaguarda dos equipamentos culturais, o encontro vai colocar em pauta assuntos como as políticas públicas voltadas à segurança do patrimônio e oferecerá aos participantes oficinas de gestão de riscos e de elaboração de planos de prevenção.

A abertura do encontro acontece nesta quarta (11/09), às 9h15, e vai contar com a assinatura de um Termo de Reciprocidade entre a Secult e o Ibram. O documento estabelece como diretriz o registro de todos os equipamentos museais do estado no Sistema Estadual de Museus de Minas Gerais (SEMMG), fortalecendo as políticas públicas de segurança em nível regional. De acordo com o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Marcelo Matte, a iniciativa vai auxiliar na identificação dos problemas reais de cada um dos espaços. “O registro no SEMMG nos permite conhecer melhor os equipamentos, para auxiliá-los na formulação projetos específicos de segurança e gestão de riscos. Assim as políticas públicas ganham em aderência e efetividade”, explica Matte.

Direcionado a gestores, técnicos e profissionais da área, o evento busca apresentar ao público discussões sobre o contexto museológico contemporâneo, afirmando-se como um fórum de debate para o crescimento de instituições ligadas à preservação da cultura e da memória. Para a diretora de Museus da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, Ana Werneck, o Encontro ganha força com a parceria entre a Secult e o Ibram, e também com a ocupação do Centro de Memória do Minas Tênis Clube, que este ano passou a fazer parte do Circuito Liberdade. “A participação do Ibram, trazendo oficinas de gestão de riscos, planejamento e elaboração de planos de segurança museais engrandece o evento. Nossa perspectiva é ampliar esse trabalho conjunto para garantir ainda mais eficiência para a preservação de nossos museus. Fazer o evento no Minas Tênis Clube nos dá uma imensa satisfação, pois o espaço é um marco para a cultura mineira”, pontua Ana.

A tragédia do Museu Nacional despertou o alerta para as situações dos equipamentos que guardam a memória e a cultura do país. Segundo o coordenador geral do Sistema de Informação Museal (CGSIM) do Ibram, Alexandre César Avelino Feitosa, os órgãos públicos de controle intensificaram a vigilância e estão investindo, em conjunto com os Sistemas Estaduais de Museus, em projetos que ampliem as ações para garantir a segurança. “Estamos trabalhando políticas preventivas, voltada a uma gestão de risco bem estruturada. Os gargalos vão além de planos de incêndios e envolvem uma série de fatores, como a edificação, o acervo e as pessoas. A digitalização dos acervos e de documentos também são medidas protetivas e foi o que permitiu salvar muitos arquivos do Museu Nacional”, explica Alexandre. O coordenador do CGSIM enaltece a iniciativa do 12º Encontro Estadual de Museus. “O evento é uma oportunidade de reunir profissionais de museus de uma mesma região. Mais do que isso, o fórum vai buscar soluções para cada um dos museus do estado”, completa.

Edital Museu Seguro
A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo lançou, este ano, o Edital Museu Seguro. Dividido em duas categorias, o certame vai investir R$ 3,5 milhões, do Fundo Estadual de Cultura, na elaboração e implementação de projetos de segurança contra incêndio e pânico e também na confecção de Programas de Segurança de Plano Museológico. O objetivo é tornar os equipamentos museais de Minas Gerais ainda mais protegidos, garantindo a fruição do público e assegurando a preservação de seus acervos.

A primeira parte do edital, destinado às prefeituras mineiras, está com inscrições abertas e vai destinar R$ 1,5 milhão para os municípios. Os interessados têm até o dia 15 de setembro para se inscrever no pleito por meio da Plataforma Digital Fomento e Incentivo à Cultura, disponível no site da Secult (www.cultura.mg.gov.br). A segunda parte do edital Museu Seguro, ainda a ser lançada, vai destinar R$ 2 milhões para Sociedade Civil (Pessoas Jurídicas de Direito Privado Sem Fins Lucrativos). "Ao fortalecer as instituições museológicas, a Secult garante a valorização e preservação do patrimônio cultural e ambiental do estado e promove a salvaguarda dos acervos públicos”, pontua Marcelo Matte, secretário de Estado de Cultura e Turismo.

Projeto Minas Patrimônio Cultural
Também dividido em duas frentes, o projeto vai destinar ao todo R$ 3 milhões para garantir a segurança dos museus sob a guarda da Secult, além de igrejas e outras edificações tombadas em Minas Gerais. Os recursos, aportados via Lei Estadual de Incentivo à Cultura pela Cemig, englobam a segurança contra incêndio em nove edificações tombadas e sob a tutela do estado, (R$ 1,5 milhão), e a segurança contra intrusão para 57 edificações tombadas, em 28 municípios mineiros (R$ 1,5 milhão).

Fonte: SEC MG

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31