RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - O prefeito Eduardo Paes inaugurou, nesta terça-feira (05/07), a Nave do Conhecimento e Museu Cidade Olímpica, ao lado do Estádio Olímpico, no Engenho de Dentro.

Com ambientes interativos de alta tecnologia, o espaço vai funcionar na antiga Oficina de Trens do Engenho de Dentro, que foi totalmente restaurada e adaptada. O espaço tecnológico, que ficará como legado dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, funcionará de terça a sábado, das 9h às 21h, e no domingo, entre 9h30 e 16h30.

A Nave é um espaço interativo no qual a comunidade vai vivenciar o espírito olímpico. A população poderá ter uma dimensão do impacto dos Jogos e as transformações urbanas realizadas na cidade, além de saber um pouco mais sobre as Olimpíadas, a ciência, a tecnologia e o esporte. Será também um espaço de pesquisa e estudo capaz de irradiar, por meio de suas diversas interfaces tecnológicas, a paixão pela relação entre esporte e ciência. O objetivo do projeto é aumentar a qualidade de vida das comunidades locais a partir de uma visão do espírito olímpico, diminuindo a desigualdade social através do acesso à tecnologia e à inovação.

Acompanhado dos ministros do Esporte, Leonardo Picciani, e da Justiça, Alexandre de Moraes; além do secretário especial de Ciência e Tecnologia, Franklin Coelho, e do presidente do Comitê Organizador Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, Paes falou sobre a importância desse espaço para a cidade:

- Esse equipamento é uma espécie de lan house pública, que a prefeitura tem investido principalmente nas áreas menos favorecidas da cidade e subúrbio. Ele vai oferecer as mesmas atividades das outras naves, como acesso à internet e cursos, mas com um diferencial que é o Museu Cidade Olímpica, que traz um grande acervo sobre os Jogos Olímpicos e Paralímpicos.

O espaço está integrado às oito naves existentes, que já desenvolvem atividades voltadas para as comunidades locais e têm como ações principais cursos nas áreas de tecnologia da informação, infraestrutura de redes, produção gráfica, robótica, internet das coisas, design gráfico, web design, computação gráfica, produção de vídeo e fotografia, entre outras. No caso da Nave do Conhecimento Cidade Olímpica, o foco está nas Olimpíadas e Paralimpíadas e no legado para a cidade. A rede de naves faz parte do Plano Estratégico do Rio na perspectiva de construção de uma cidade integrada, digital, inteligente, criativa e sustentável.

Pretende ainda utilizar a relação entre esporte, ciência e tecnologia para criar um espaço que estimule a compreensão sobre novas tecnologias de forma democrática e para agir contra qualquer forma de discriminação que afete o movimento olímpico.

O espaço de alta tecnologia vai se integrar com ações e atividades de instituições que se dedicam à educação olímpica, promovendo um acervo sobre o legado dos Jogos para as cidades-sede e os países de acolhimento, identificando formas de cooperação entre as organizações públicas, privadas e as autoridades na tentativa de colocar o esporte a serviço do direito à cidade e da promoção da paz.

- As naves já são um projeto de inovação e de integração, mas era importante ter uma nave que pensasse em Olimpíada e no seu legado. Aqui, teremos robôs dos mascotes recepcionando os visitantes, um acervo digital sobre os Jogos, a linha do tempo com a história dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, exposição de medalhas, simulações esportivas, a possibilidade de tirar fotos com mascotes e com a tocha, de voar de asa-delta e de correr com o Bolt. Além disso, também serão oferecidos cursos de inglês, robótica, design, fotografia, e outros com foco em esporte, como táticas de futebol - explicou o secretário de Ciência e Tecnologia do município, Franklin Coelho.

Ambientes tecnológicos
No primeiro andar da Nave Olímpica estão desenvolvidos diversos ambientes, nos quais em grande parte é similar às Naves do Conhecimento, com conteúdo modificado para abordar o tema Esporte e Ciência. Deste modo o Cadastro, a Lan Table, a Biblioteca Digital, a "Semente do Amanhã", o Tecno Playground, e a Sala Multimídia reproduzem os espaços existentes nas Naves de Padre Miguel, Madureira, Complexo do Alemão, Penha, Vila Aliança, Santa Cruz, Irajá e Triagem.

Entrando na Nave, temos o momento de recepção dos visitantes, que irá atraí-los para um mundo tecnológico que permita instigá-lo a interagir com este ambiente a partir dos ícones olímpicos. Por esta razão, robôs personificando as mascotes Tom e Vinicius vão recepcionar e indicar os caminhos do espaço. Um Domo Virtual apresenta as instalações que a prefeitura está preparando para os Jogos, criando um espaço inovador de visualização. Ao acessar o segundo andar, o visitante poderá circular na exposição permanente.

No salão principal está localizado o "Caminho Olímpico".  Ali o visitante poderá também conhecer a segunda parte da exposição que fala sobre a relação entre ciência, tecnologia e o esporte atualmente. Na área "Viva o Esporte" será criado um circuito livre para que cada visitante possa viver o seu esporte favorito.

Em uma linha do tempo interativa, os visitantes poderão escolher determinada época e acessar imagens e vídeos que contarão a história das Olimpíadas através de infográficos com países participantes, recordes e curiosidades. Integrado a este ambiente, ele vai se deparar com imagens em tamanho real de heróis olímpicos. Em uma solução de valorização dos atletas, serão exibidos depoimentos que contam suas histórias.

Ainda no "Caminho Olímpico" há um grande painel interativo que tem por objetivo aproximar o grande público do que serão os Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016. Informações sobre a programação, expectativa de público, perfil dos atletas e modalidades estarão disponíveis em um imenso mapa da Cidade Maravilhosa.

Para identificar a "Inteligência Corporal" das diferentes modalidades, a exposição apresenta um espelho das comparações corporais entre atletas de diferentes modalidades, como um jogador de basquete e um jóquei. Com informação adesivada integrada ao ambiente, alguns gráficos surgirão da cenografia em relevo para destacar as características mais marcantes. Dando continuidade à dimensão de inteligência corporal, o visitante pode responder perguntas de um quiz sobre suas preferências, descobrindo a que modalidade seu perfil se adequa.

No painel "Nutrição", os visitantes vão poder saber mais sobre o consumo e o gasto de calorias. Outra possibilidade de aproximação do público é o "Microscópio Virtual", no qual se pode utilizar um dial e visualizar em grande escala o que faz os materiais serem tão diferentes.

Simuladores permitirão ao público viver a experiência de ser um atleta olímpico. Eles poderão disputar uma corrida de 100 metros, comparando sua velocidade ao de um atleta; avaliar sua disposição em uma simulação de remo ou coletivamente; e disputar uma corrida em bicicletas adaptadas para pessoas com deficiência.

A área do legado vai contar a história da transformação do Rio de Janeiro em uma cidade olímpica. Com o "Cinema Interativo", o público vai assistir à  transformação da cidade sede dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos e a alguns vídeos sobre cases de sucesso de outras cidades que já sediaram as Olimpíadas.

Como lembrança da experiência vivida no espaço, o público da Nave vai poder tirar uma foto em realidade aumentada com os mascotes Tom e Vinícius. Com tecnologia inovadora, o visitante poderá estar próximo à tocha olímpica Rio 2016 e ainda visualizar, de forma virtual, a chama que representa o fogo olímpico.

O túnel de encerramento é um momento fundamental na finalização da experiência, baseado no formato dos pictogramas. Uma cenografia trabalhada com espelhos dará ao visitante a sensação de imersão no universo de paixão de transformação dos Jogos Rio 2016.

A rede de Naves do Conhecimento conta com a parceria de várias instituições públicas e privadas. Além da ação integrada com diversas secretarias e órgãos da Prefeitura do Rio, o projeto tem o apoio das seguintes instituições: Instituto NET/CLARO/Embratel/, CISCO, RIO 2016, Museu de Lausanne, Casa da Moeda, Intel, CCR, Sequoia Foundation, Projeto Portinari, P3D, Companhia de Teatro Talentos da Vila Vintém, Globo Cidadania, Jornal Extra, Instituto Cultural Cravo Albin, Sebrae, Centro Cultural Banco do Brasil, Museu de Artes do Rio, Museu do Amanhã, Light, Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro, Ministério de Ciência e Tecnologia, UFF e UFRJ.

Fonte: Prefeitura do RJ

Agenda