RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - Artistas, Técnicos e Administrativos da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro se reunirão na próxima segunda-feira (18), a partir das 17h, na Praça Marechal Floriano, Centro do Rio, para protestar contra as condições precárias em que hoje se encontram a maioria dos servidores do poder Executivo do Estado do Rio, devido ao atraso de salários e a crise do governo.

"Queremos alternativas, e não promessas de empréstimos!", disseram os servidores, em nota, continuando: "Hoje estamos com 4 folhas salariais em atraso, e não há perspectiva de regularização. A manutenção do Theatro Municipal agoniza, pois o Governo não efetua os repasses de verbas para esta finalidade. Queremos nos apresentar da forma que podemos".

O grupo de apoio S.O.S Theatro Municipal, que reúne o Sindicato dos Trabalhadores em Entidades Públicas da Ação Cultural do Estado (SINTAC/RJ), a Associação da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal (AMOSTEMURJ), Associação do Corpo de Baile do Theatro Municipal (ACOBATEMURJ) e a Comissão dos Técnicos e Administrativos da FTMRJ, afirma que servidores estão sendo despejados, perdendo a cobertura de plano de saúde, tendo que optar entre a passagem para chegar ao trabalho ou colocar comida em casa.

"Nossos colegas aposentados que dedicaram suas vidas ao Theatro e ao Estado estão em situação ainda mais precária, pois nos parcelamentos são os últimos a receber. Que todos recebamos juntos", acrescentou o grupo, lembrando que a Fundação só não fechou porque teve o apoio da sociedade carioca que doou para a campanha S.O.S.

"Acreditamos que o Theatro Municipal não pode deixar de oferecer ao público a sua temporada própria, valorizando seus Corpos Artísticos e a cultura pública do Estado", finalizou.

Outros protestos
No último 31 de outubro, os servidores realizaram ato na escadaria do Theatro Municipal que se encerrou ao som da música Apesar de Você, de Chico Buarque, cantada com a participação do público. Em maio, os funcionários da instituição já haviam realizado um protesto contra o atraso de salários. Na ocasião, assim como será dessa vez na próxima segunda (18), os organizadores pediram contribuição em alimentos não perecíveis para os próprios servidores que encontram dificuldades.

Inaugurado em 1909, o Theatro Municipal do Rio de Janeiro tem cerca de 550 funcionários. Atualmente, é vinculado à Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro e sofre os impactos da crise financeira que atinge o governo estadual.

Dívidas
O governo federal assinou na última sexta-feira (15) o contrato de recuperação fiscal do Rio de Janeiro, autorizando o empréstimo de R$ 2,9 bilhões do banco BNP Paribas para o governo estadual quitar os salários atrasados do funcionalismo público.

Na cerimônia de assinatura do contrato, que teve a presença do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), admitiu que não será possível realizar todos os atrasados até o fim do ano.

Segundo Pezão, R$ 2 bilhões devem ser liberados em até três dias úteis e serão destinados aos salários atrasados de outubro e ao décimo terceiro de 2016 dos servidores. Posteriormente, com a liberação em até 60 dias de mais R$ 900 milhões do empréstimo, o governo estadual efetuará, então, o pagamento dos salários de novembro e o décimo terceiro deste ano. Esta segunda etapa deve ocorrer entre janeiro e fevereiro de 2018.

Fonte: Jornal do Brasil

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31