PORTUGAL, Lisboa - O programa das Jornadas de Primavera contempla uma discussão a propósito do tema escolhido para celebrar o Dia Internacional de Museus em 2016 pelo ICOM e terá como mote "A propósito do Dia Internacional de Museus: A Carta de Siena e a Recomendação da UNESCO".

O programa contempla duas conversas sobre dois documentos relevantes e publicados recentemente: A Recomendação da UNESCO relativa a Colecções e Museus que será discutida pela Ana Carvalho, Clara Frayão Camacho e Pedro Pereira Leite; e a Carta de Siena que dá o mote para o tema do Dia Internacional de Museus e será abordada numa conversa entre a Joana Sousa Monteiro e a Dália Paulo.

ITÁLIA, Toscana - Cidade derrotou outras 8 concorrentes, entre elas, Pisa e Parma

A cidade de Pistoia, na Toscana, foi escolhida como a Capital Italiana da Cultura para 2017, informou o ministro dos Bens Culturais e do Turismo, Dario Franceschini, nesta segunda-feira (25). Para ser escolhida pelo júri, a localidade derrotou outras oito cidades: Aquileia, Como, Ercolano, Parma, Pisa, Spoleto, Taranto e Terni.

"Parece-me uma bela vitória, um pouco surpreendente. As favoritas eram outras cidades, mas a Comissão trabalhou de modo aprofundado e transparente sem nenhuma forma de pressão e, então, escolheu Pistoia", afirmou Franceschini. Além de ganharem o título, as cidades que vencem a escolha recebem cerca de um milhão de euros para realizar o projeto apresentado ao júri. Em 2016, a cidade de Mântua é a atual Capital Italiana da Cultura.

 

Fonte: Agência ANSA

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 25/01/2016 - 11 visitas até 09:57h)

 

 

ESPANHA, Madri - Nove réplicas, com magnitude entre 2,9 e 4,6 graus, foram sentidas esta manhã após o sismo registado de madrugada no Mar de Alboran, no Mediterrâneo, que causou danos materiais em Melilla (Espanha).

O movimento sísmico – de magnitude 6,1, segundo o Centro Geológico dos Estados Unidos da América e 6,3, de acordo com o Instituto Nacional Geográfico espanhol – foi sentido com maior intensidade em Melilla, mas também em vários outros pontos de Espanha, como na Andaluzia, Ceuta, Múrcia e Madri.

Após o sismo principal, que levou muitos habitantes de Melilla (cidade espanhola próximo ao Norte da África) a sair às ruas, sucederam-se réplicas, também com o epicentro no Mar de Alboran.

A magnitude dessas réplicas oscilou entre os 2,9 e 4,6 graus, mas só as de maior magnitude foram sentidas pela população.

O sismo não causou vítimas, mas registaram-se alguns danos materiais, principalmente em Melilla, onde algumas fachadas de edifícios ficaram danificadas. Os bombeiros tiveram de evacuar algumas casas, por receio de desabamentos.

A linha de emergências 112 recebeu mais de 250 chamadas de toda a Andaluzia, denunciando que o sismo foi sentido em toda a região.

 

Fonte: Agência Lusa

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 25/01/2016 - 9 visitas até 11:31h)

PORTUGAL, Lisboa - O candidato do Partido Social Democrata (PSD), Marcelo Rebelo de Sousa, foi eleito neste domingo (24), em primeiro turno, presidente de Portugal. Rebelo de Sousa é professor de direito da Universidade de Lisboa e tem 67 anos.

Conforme os dados da Secretaria-Geral do Ministério de Administração Interna - Administração Eleitoral, divulgados na noite de domingo, o candidato conservador foi o mais votado, com 52% dos votos, e vai suceder a Cavaco Silva, que o apoiou.

Em segundo lugar, ficou Sampaio da Nóvoa, com 22,89%.

Dez candidatos concorreram ao cargo, um recorde na história das eleições do país. A previsão era que cerca de 9,7 milhões de eleitores comparecem às urnas – 85,3 mil a mais do que em 2011, quando Cavaco Silva foi reconduzido ao cargo de chefe de Estado, também no primeiro turno, com 53,14% dos votos.

 

Fonte: Agência Lusa

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 25/01/2016 - 8 visitas até 11:29h)

ARGENTINA, Buenos Aires - Decisão é parte de um processo de ‘deskirchnerização’

Era uma experiência e tanto entrar na Casa Rosada durante o Governo de Cristina Fernández de Kirchner. 

A ex-presidente organizava grandes comícios nos pátios deste edifício histórico, sede do Governo argentino, com milhares de militantes que literalmente tomavam o palácio. Havia jovens, bebês e mães amamentando nos corredores, crianças brincando de correr e lanchando.

Ao seu redor estava a Galeria dos Patriotas Latino-Americanos, com 40 retratos de personalidades como Che Guevara, Hugo Chávez, Juan Domingo e Evita Perón, Salvador Allende, Augusto Sandino, Tupac Amaru e, em lugar destacado, Néstor Kirchner, falecido marido da ex-presidenta. Tudo era pensado para dar a ideia de que o povo kirchnerista havia tomado o poder. Os militantes se foram,mas os quadros ficaram. E agora o Governo do liberal Mauricio Macri precisa encará-los todos os dias.

A decisão de retirá-los já foi tomada, segundo fontes do Executivo, num processo de deskirchnerização dos símbolos que incluirá também o dinheiro. 

Os Kirchner haviam colocado na nota de 100 pesos, a mais usada, a efígie de Evita Perón, que Macri substituirá por uma taruca, um cervo andino ameaçado de extinção. 

Em outras notas, de 200, 500 e 1.000 pesos, haverá baleias, uma onça e um joão-de-barro, pássaro nativo.

Macri ainda não anunciou quando vai retirar os retratos de Kirchner e Chávez da Casa Rosada. A informação oficial é de que o Governo está fazendo um inventário de todas as obras que há no edifício. 

A realidade é que o Executivo busca a hora e a maneira adequadas para não causar muito ruído. Mas a convivência do Che e de Chávez com Macri não durará muito.

Néstor Kirchner ficará com um busto no salão dedicado aos ex-presidentes, onde também aparecerá em algum momento a figura de Cristina, mas outros quadros sairão.

 

Fonte: Jornal do Brasil

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 24/01/2016 - 1 visitas até 11:25h)

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31