BRASIL, Belo Horizonte - Criação de indicadores para comparar o grau de autonomia entre os países, busca de boas práticas e identificação de riscos estão entre os objetivos da iniciativa


Brasão da UFMG projetado em sala do prédio da Reitoria (Flickr UFMG)

A UFMG sediará o Observatório Regional de Autonomia e Orçamentos Universitários da Associação de Universidades Grupo Montevideu (AUGM), que reúne instituições públicas e autônomas de seis países da América do Sul (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai). A proposta de criação da instância, feita pela própria UFMG, foi aprovada na semana passada, durante reunião do Conselho Consultivo da entidade.

O Observatório vai propor indicadores para comparar os graus de autonomia universitária entre os países, buscar boas práticas e iniciativas capazes de contribuir para a expansão da autonomia universitária e identificar riscos por meio de dispositivos de alerta precoce.

Para o diretor de Relações Internacionais da UFMG, Aziz Tuffi Saliba, iniciativas do gênero se justificam pelo fato de que a defesa da autonomia universitária, princípio instituído no Brasil pela Constituição de 1988, "tem sido interpretada de maneira restritiva".

Responsável pela concepção e pelo encaminhamento da proposta, Aziz explica que a coordenação e a estrutura do Observatório serão definidas no início do próximo ano, mas adianta que a proposta de uma estrutura enxuta foi avaliada como positiva pela AUGM. Ele informa, ainda, que existe a possibilidade de que professores e pesquisadores interessados no tema se incorporem à iniciativa.

A AUGM é presidida pelo professor Enrique Mammarella, reitor da Universidade Nacional do Litoral, da Argentina. A vice-presidenta da entidade é a reitora da UFMG, Sandra Regina Goulart Almeida.

Fonte: UFMG

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31