CHINA, Hong Kong - Mais de 66 mil pessoas assinaram uma petição que apela ao governo de Hong Kong para banir o comércio de marfim na cidade, anunciou a organização World Wild Fund (WWF).

A WWF-Hong Kong informa, num anúncio publicado hoje no jornal South China Morning Post, que a petição conta com mais de 66 mil assinaturas.

O grupo também reitera o apelo à proibição do comércio de marfim às vésperas da apresentação de linhas de ação do governo para 2016, agendada para a próxima quarta-feira, dia 12.

No portal da WWF-Hong Kong, a campanha, que apela para que se reescreva o futuro dos elefantes, começa explicando que, em chinês, o marfim é designado como “dente de elefante”. “É por isso que muitos de nós pensam que a extração de marfim é inofensiva, apesar de mais de 35 mil elefantes serem brutalmente assassinados por causa das suas presas todos os anos. Por causa desta confusão, os elefantes africanos caminham para a extinção”.

Neste sentido, a campanha sugere que se invente um novo caráter para a palavra marfim e “para que deixe o mundo saber que não se trata de um simples dente”.

A China impôs uma proibição de um ano, em fevereiro de 2015, à importação de marfim esculpido, em resposta às críticas internacionais de que a procura crescente no mercado chinês encoraja o massacre de elefantes ameaçados de extinção.

 

Fonte: Agência Lusa

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 11/01/2016 - 35 visitas até :h)

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31