BRASIL, São Paulo -  Na comemoração dos 25 anos do Anima Mundi e dos 150 anos do Canadá (criação da entidade política unida do Canadá na Confederação canadense em 1867),  o Canadá participará em peso nesta edição de um dos mais importantes festivais de animação do mundo, que acontecerá nas cidades do Rio de Janeiro, entre os dias 14 e 23 de julho e também em São Paulo, entre os dias 26 e 30 de julho.

No Rio, vai ocupar o Centro, no Cine Odeon - Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro, Espaço Cultural BNDES, Centro Cultural Justiça Federal, Cinemateca do MAM, Centro Cultural dos Correios e Centro Cultural do Banco do Brasil, que abrigou a primeira edição do Anima Mundi. A participação canadense deste ano destacará as animações do Ofício Nacional do Filme do Canadá (National Film Board of Canada/Office national du film du Canada – NFB/ONF) com destaque para os filmes do renomado animador Norman McLaren,  além da vinda de dois animadores do Canadá, Robert Valley e Theodore Ushev. No total, o festival contará com 52 animações canadenses, sendo duas co-produções.  

A mostra “Foco Canadá” terá quatro sessões especiais que incluem produções premiadas do NFB/ONF, para crianças e adultos, além de duas sessões dedicadas ao Norman McLaren, considerado o pai da animação e fundador do departamento de animação do NFB/ONF.  Uma das sessões destacará as obras experimentais e clássicas do McLaren, enquanto a outra será um documentário biográfico que conta a trajetória da obra do animador.

Além da exibição de filmes, o Canadá contará com a presença de dois animadores do país que participam dos Papos Animados e do Anima Fórum 2017.  Nos Papos Animados, Robert Valley, indicado ao Oscar™ de melhor curta-metragem de animação pelo filme Pear Cider and Cigarretes (2017), apresenta sua marcante linguagem de HQ e videoclipes de bandas como Gorillaz e Metallica. E Theodore Ushev, que teve seu filme Blind Vaysha premiado como melhor roteiro da edição de 2016 no Anima Mundi e, em 2017, foi indicado ao Oscar™ de melhor curta de animação, falará ao público sobre suas obras. No Anima Forum, Robert Valley ministrará um masterclass, onde revelará seu processo criativo, dos quadrinhos à animação.

“Estamos muito contentes em participar de três celebrações tão importantes: os 25 anos do Festival Anima Mundi, os 100 anos de animação brasileira e os 150 anos do Canadá! Os animadores canadenses estão na vanguarda global da arte, expressão cultural e tecnologia e o Festival Anima Mundi aqui no Brasil sempre foi um parceiro especial para nós. Parabenizo o festival nos seus 25 anos de excelência.  O Brasil e o Canadá tem uma história longa na área de animação, especialmente através do NFB/ONF que trabalhou com muitos animadores brasileiros. Queremos fortalecer ainda mais esta relação com parcerias e co-produções”, enfatizou o Embaixador do Canadá no Brasil, Riccardo Savone.

Sobre a Indústria de Mídias Digitais no Canadá
Desde os anos 40, o Canadá vem consolidado sua reputação na área de filmes de animação, produzindo mais horas de animação que outros países no mercado internacional.  Com estes anos de dedicação e inovação no setor, hoje, o Canadá é reconhecido mundialmente como um líder na indústria das mídias digitais, incluindo animação, videogames e efeitos visuais.  A indústria de animação e efeitos digitais representam parte importante da economia canadense, empregando mais de 50 mil pessoas e gerando 7.5 bilhões de dólares canadenses por ano.   As empresas canadenses criaram animação e efeitos para muitos sucessos de bilheteria e longas-metragens famosas como As Aventuras de Pi, O Espetacular Homem Aranha e Círculo de Fogo. Estúdios canadenses também estão fortemente envolvidos na produção de publicidade comercial e muitas séries populares de televisão, como Game of Thrones, The Walking Dead e Falling Skies, bem como shows de animação infantil como Thomas e seus Amigos, As Tartarugas Ninja e My Little Pony, entre outros.

Sobre o NFB/ONF
O NFB/ONF é a produtora pública do Canadá de documentários e animações autorais criativos e premiados, histórias interativas inovadoras, instalações e experiências participativas. Os produtores do NFB/ONF estão profundamente enraizados nas comunidades em todo país, trabalhando com talentosos artistas e criadores em estúdios de produção desde St. John’s (costa leste) à Vancouver (costa oeste), em projetos que se destacam pela excelência em contar histórias, sua inovação e sua ressonância social. As produções do NFB/ONF ganharam mais de 5000 prêmios, incluindo 18 Canadian Screen Awards, 17 Webbys, 12 Oscars e mais de 90 Genies. Para acessar muitos desses trabalhos, visite o site NFB.ca ou baixe os aplicativos do NFB/ONF para dispositivos móveis e Smart TVs.

Norman McLaren
Pioneiro do cinema e fundador do departamento de animação do National Film Board of Canada/Office national du filme (NFB/ONF), Norman McLaren (1914 – 1987) permanece um importante ícone do cinema de animação; um artista cujas habilidades, espírito inventivo e consciência social continuam a influenciar os cineastas até hoje.  Desde suas primeiras experiências cinematográficas na Escócia em 1913, até seu último filme no NFB/ONF em 1983, as obras de McLaren revelam um talento extraordinário e uma criatividade, além de um humanismo profundamente enraizado.

McLaren era um artista complexo e um criador prolífico, abrindo novos caminhos e possibilidades através de um leque de mídias e estilos. Ele foi um mestre da técnica do “filme direto” – desenhando ou riscando em celulóide – até mesmo criando som sintetizado desenhando em cima de trilhas sonoras.  Ele abriu o caminho na técnica de “pixilação”, na qual atores e objetos são extraordinariamente transformados em marionetes de stop-motion. Ele foi um pioneiro na “música visual”, explorando novas maneiras para criar representações visuais da música que ele tanto amou, embora em outras vezes, foi apenas o movimento que ele explorou. Cinema abstrato, surrealismo cinematográfico, dança – nenhuma área escapou à incansável imaginação de McLaren.

Acima de tudo, Norman McLaren foi motivado por um profundo compromisso com o pacifismo, com os direitos humanos e com a justiça social. Do mesmo modo com que ele foi um inovador na forma, ele tomou a liderança para fundir a arte à consciência social, e este legado passou a inspirar gerações de cineastas engajados nas questões sociais.

Biografia – animadores
Robert Valley é nascido em Vancouver, na província da Colúmbia Britânica, no Canadá. Ele completou um programa de animação de três anos no Emily Carr College, em Vancouver, em 1992. Em 1993, Valley mudou-se para San Francisco e trabalhou com Peter Chung no Aeon Flux. Entre 1994 e 1998, Valley passou grande parte de seu tempo trabalhando em direção de comerciais animados para clientes como Nike, Coke e Levis. Em 1999 a 2009, Valley trabalhou com a Passion Pictures em Londres e trabalhou com Pete Candeland em Gorillaz, Beatles Rock Band e uma série de outros projetos comerciais animados.

Em 2011, Valley mudou-se para Los Angeles e trabalhou como designer de personagens em Motorcity e Tron Uprising. Em 2013, o Valley dirigiu os curtas de Mulher Maravilha da DC Nation e os curtas de Shinjuku. De 2014 a 2016, Valley escreveu e dirigiu o pequeno filme de animação 'Pear Cider and Cigarettes' recentemente indicado para um Oscar. No fim do ano passado, Valley dirigiu um vídeo musical para a banda Metallica.

Seu projeto mais recente foi novamente com a Passion Pictures, onde trabalhou como diretor de animação no mais recente lançamento da música dos Gorillaz, "Saturn's Barz", disponível em realidade virtual.

Theodore Ushev nasceu em Kyustendil, na Bulgária, em 1968, e se formou na Academia Nacional de Belas Artes de Sófia. Ficou famoso primeiramente por ser um desenhista de cartazes no seu país natal antes de se estabelecer em Montreal em 1999.

Ushev encontrou um ambiente favorável para desenvolver seu próprio estilo artístico original no NFB/ONF. Com mais de 15 filmes até hoje, que foram mostrados em todo o mundo e que lhe renderam mais de 150 prêmios, ele continua trabalhando no campo do cinema, multimídia, e instalações. Alguns dos prêmios mais importantes são o Grand-Prix do Festival de Clermont-Ferrand, dois Canadian Screen Awards, dois "IRIS" (Quebec Film Awards), seis vezes vencedor do prêmio Melhor Filme Canadense do Canadian Film Center, Grande Prêmios em Annecy, Ottawa e Hiroshima. Seus filmes foram exibidos e selecionados em competições no Toronto Film Festival, Berlinale e Sundance, entre muitos outros.

Seu último projeto, em 2017, seu filme Blind Vaysha (2015), um conto filosófico sobre a importância de viver o momento, foi nomeado para o Oscar na categoria de Melhor Curta-Metragem de Animação esse ano. O filme ganhou mais de 35 prêmios até o momento.  Membro votante da American Academy of Motion Pictures and Sciences (AMPAS).

Mostra Foco Canadá
Os Clássicos de McLaren
Pas de Deux  Um estudo sobre a coreografia do balé. Um ambiente vazio e escuro, com as silhuetas dos bailarinos Margaret Mercier e Vincent Warren iluminadas por trás produz um efeito hipnótico com múltiplas exposições. Curta-metragem nomeado ao Oscar em 1968.

Vizinhos  Uma parábola sobre dois homens que entram em conflito na disputa por uma flor. Vencedor do Oscar de curta-metragem de animação em 1953.

Blinkity Blank Um experimento com animação intermitente e imagens estroboscópicas. McLaren risca imagens direto na película velada, adicionando efeitos sonoros à trilha por meio dessa mesma técnica. Palma de Ouro em Cannes, 1955.

O Discurso de Abertura de Norman McLaren Norman McLaren é literalmente pego por seus próprios truques. À medida que tenta dar as boas-vindas ao público, ele se frustra com um microfone animado que tem vontade própria.

Galinha Saltitante Animação feita com bico de pena sobre película, em que uma galinha - às vezes em forma de um ovo com pés - dança ao som de música folclórica.

Percussão na Ponta da Caneta   Norman McLaren explica como criar sons sintéticos para um filme. Com um osciloscópio, ele mostra como sons familiares se transformam em imagens. Em seguida, como inserir estas imagens no espaço da trilha sonora ótica. E então, como soam estas imagens desenhadas diretamente na película.

Capricho em Cores  Uma interpretação vibrante, em linhas fluidas e coloridas, do jazz tocado pelo Oscar Peterson Trio, pintada diretamente sobre a película.

O Melro  Uma antiga canção nonsense franco-canadense é recriada a partir de simples recortes de papel branco que formam um pássaro animado. Feito com a participação de Evelyn Lambart, com música do Trio Lyrique de Montreal.

Sincromia McLaren criou técnicas óticas, inovadoras na época, para compor timbres e melodias da trilha sonora. Ao transferir esses padrões multicoloridos para a área da tela onde se projeta a imagem, o espectador pode ver o que está ouvindo. É a sincronização de imagem e som em sua acepção mais precisa.

O Processo Criativo de Norman McLaren
Documentário sobre o processo de criação de Norman McLaren. Um gênio cinematográfico que fez filmes sem câmeras e música sem instrumentos, McLaren produziu 60 filmes com uma incrível variedade de estilos e técnicas, recebendo mais de 200 prêmios internacionais e reconhecimento mundial.

Retrospectiva National Film Board of Canada Infantil
Quando a Poeira Baixa O vento das pradarias não é o responsável pela sujeira que voa neste filme. Os culpados são vizinhos roedores com um apetite pela raiva e pela vingança.

O Gato Voltou  A história de um homem que não consegue se livrar de um gatinho amarelo que sempre volta para casa. Inspirado uma canção folclórica.

O Castelo de Areia Um homem de areia tem mágica nas mãos para esculpir estranhas criaturas e dar-lhes vida. Vencedor do Oscar na categoria de melhor curta-metragem de animação em 1978.

A Doce História da Cinderela Pinguim  A história de Cinderela representada por pinguins com muita graça e imaginação.

Christopher, Por Favor Arrume seu Quarto  Christopher é uma criança e tanto. Ele é maneiro, é legal e é esperto. Mas tem um problema: é bagunceiro.

Como os Dinossauros Aprenderam a Voar  Os dinossauros estavam procurando por encrenca: só comiam porcaria, nunca escovavam os dentes, ficavam acordados até tarde. Os antigos mamíferos os alertavam: “Vocês vão se tornar extintos se continuarem assim”. Eles riam ... e através dos tempos, se transformaram em pássaros.

A Coruja que Casou com um Ganso  Conto esquimó sobre um ganso que se deixa cativar pelos encantos de uma coruja.

Toda Criança  Filme produzido a pedido da UNICEF, para ilustrar o direito de toda criança a ter um nome e a ter uma nacionalidade. Vencedor do Oscar na categoria de melhor curta-metragem de animação em 1980.

Retrospectiva National Film Board of Canada 14 anos
A Grande Picuinha A interseção comovente e cheia de humor entre uma briga doméstica e uma guerra nuclear global. Indicado ao Oscar de melhor curta-metragem de animação em 1986.

Entrega Especial  Uma comédia de humor negro sobre adultério, morte... e o sindicato das entregas especiais. Vencedor do Oscar de melhor curta-metragem de animação em 1978.

O Farol  Uma fábula evocativa das falhas da ambição humana.

Minha Carreira Financeira  Relato da primeira experiência, não tão boa, entre um jovem adulto e seu banco. Indicado ao Oscar de melhor curta-metragem de animação em 1962.

Fome  Filme cruel, mas verdadeiro. O destino de um homem que vive só para comer. Indicado ao Oscar de melhor curta-metragem de animação em 1974. Uma obra clássica pioneira da animação por computador!

O Jogo das Miçangas  Milhares de contas são arrumadas e manipuladas, assumindo formas de criaturas, tanto místicas quanto reais, em uma explosão de cores. Indicado ao Oscar de melhor curta-metragem de animação em 1977.

Quando o Dia Amanhece   Após presenciar a morte acidental de um estranho, Ruby acaba encontrando conforto nos lugares mais surpreendentes. Vencedor do Grande Prêmio de Annecy 1999 e indicado ao Oscar de melhor curta-metragem de animação em 2000.

O Aniversário de Bob  Uma festa surpresa de aniversário pode ser arriscada, especialmente quando o convidado de honra completa 40 anos! Vencedor do Oscar de melhor curta-metragem de animação em 1995.

Serviço
Rio de Janeiro
Mostra Foco Canadá
Programa “Os Clássicos de McLaren”
Espaço Cultural BNDES
Data: 14/07, às 12h

Centro Cultural Banco do Brasil CCBB/RJ - Sala 1
Data: 19/07, às 16h30

Centro Cultural Banco do Brasil CCBB/RJ - Sala 2
Data: 21/07, às 14h

Centro Cultural Banco do Brasil CCBB/RJ - Sala 2
Data: 23/07, às 12h30

Programa “O Processo Criativo de Norman McLaren”
Espaço Cultural BNDES
Data: 17/07, às 19h  
Hora: 19:00

Centro Cultural Justiça Federal CCJF
Data: 18/07, às 20h30

Centro Cultural dos Correios
Data: 23/07, às 19h30

Programa “Retrospectiva National Film Board Infantil”
Centro Cultural Banco do Brasil CCBB/RJ - Sala 2
Data: 19/07, às 14h
15/07/2017 - Bonde de Santa Teresa funcionará no domingo

Centro Cultural Justiça Federal CCJF
Data: 22/07, às 14h30
Hora: 14:30

Centro Cultural Banco do Brasil CCBB/RJ - Sala 1
Data: 23/07, às 15h

Programa “Retrospectiva National Film Board 14 anos”
Espaço Cultural BNDES
Data: 17/07, às 12h

Centro Cultural Banco do Brasil CCBB/RJ - Sala 2
Data: 20/07, às 18h30

“Papo Animado com Robert Valley” - Rio de Janeiro
“Papo Animado com Theodore Ushev” - Rio de Janeiro

CONSULTE NA PROGRAMAÇÃO DO ANIMA MUNDI.

Fonte: Governo do Canadá

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31