RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - A Agência Nacional do Cinema (Ancine) lançou hoje (22) dois editais do Programa Brasil de Todas as Telas – 2, destinados a projetos de linguagem inovadora para as salas de cinema e propostas de desenvolvimento de projetos de obras audiovisuais, seriadas e não seriadas, para TV aberta ou paga.

Os editais obedecem ao compromisso assumido pela agência em setembro passado, quando lançou o Plano Ancine + Simples, uma série de ações que visam simplificar o financiamento público do audiovisual.

Para o primeiro edital – Chamada Pública Prodecine 05/2015 – serão destinados R$ 30 milhões, em recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) para projetos de produção independente de longa-metragem de ficção, documentário e animação. De acordo com a Ancine, a seleção terá como foco propostas de linguagem inovadora, com potencial de participação e premiação em festivais, mas também capazes de dialogar com seu público-alvo.

Pelo menos 30% dos recursos serão aplicados em projetos audiovisuais de produtoras independentes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, enquanto outros 10% ficarão para produtoras independentes da região Sul ou dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. As inscrições foram abertas hoje e vão até 26 de fevereiro de 2016.

Já a linha de financiamento Prodav 05/2015, com recursos de R$ 10 milhões, selecionará 70 propostas de obras audiovisuais seriadas e não seriadas, destinadas aos segmentos de TV paga ou aberta e às salas de exibição e vídeo por demanda. O critério de distribuição regional dos recursos é o mesmo adotado para a chamada Prodecine 05/2015. As inscrições começam amanhã (23) e vão até 28 de março de 2016.

O Programa Brasil de Todas as Telas – Ano 2 foi lançado em 1º de outubro, no Rio, em cerimônia com a presença do ministro da Cultura, Juca Ferreira. A edição anterior do programa, lançada em 2014, superou as metas estabelecidas pela Ancine, contemplando um total de 306 longas-metragens e 433 séries ou telefilmes.

Fonte: Agência Brasil - Paulo Virgílio

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 22/12/2015 às 22:16hs - 100 visitas até 16/05/2016 ) 

RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - A Prefeitura do Rio lançou nesta segunda-feira (21/12) a marca Visit.Rio — a mais nova plataforma de comunicação do turismo carioca. A ideia é ampliar a interatividade com visitantes e moradores, incrementando as peças promocionais impressas e digitais para exibir as maravilhas e os points do Rio. O portal Visit.rio vai substituir o site Rio Guia Oficial a partir desta terça (22/12), com um visual mais moderno e serviços de geolocalização e mobilidade integrados. A cidade é primeira da América Latina a registrar oficialmente o domínio "rio", sem redirecionamento para sites ".com.br".

— A nova marca foi pensada para ser mais internacional, por isso estará estampada em todo material gráfico e online. Sem falar que o conteúdo é relevante e atual, abrangendo os serviços e atrativos turísticos da cidade. A poucos meses dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a prefeitura mostra a sua preocupação com quem visita a cidade, independente de sua nacionalidade, e com aqueles que moram no município. A ideia é interagir de forma dinâmica – explica o secretário de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello.

A publicação mensal Guia do Rio, editada pela Riotur há 40 anos, também será rebatizada de Visit.Rio, ganhando nova diagramação e um desenho mais arrojado. Todo o material impresso produzido a partir de agora – como folhetos, showcases, mapas e informativos especiais produzidos pontualmente para eventos de grande porte, como as Olimpíadas - levará o selo Visit.Rio. A ideia é deixar um legado na área de comunicação, criando unidade e eficiência no material turístico.

— Não há nenhuma ferramenta do tipo na Internet, o que torna esse lançamento ainda mais especial. A partir de agora, o Rio se posiciona como um destino turístico ainda mais receptivo e preparado para receber e dar o suporte necessário aos visitantes — destacou Alfredo Lopes, presidente do Rio Convention & Visitors Bureau, parceiro da Riotur no empreendimento.

As principais atrações da cidade — praias, Cristo Redentor, Pão de Açúcar, Maracanã, Museu do Amanhã — são apresentadas num formato de mosaico na seção Rio Imperdível, enquanto curiosidades sobre o estilo de vida e dados sobre clima e geografia estão disponíveis em "O que nos faz especial" no estilo parallax (técnica que causa uma ilusão de profundidade nas interfaces). Informações úteis e de Mobilidade também são de fácil localização.

As seções "Agenda, O que Fazer e Onde Comer" são as mais dinâmicas, com informações variadas e atualizadas sobre a programação e as novidades da cidade. Na seção "Wishlist", o usuário seleciona as atrações que deseja visitar, organiza de acordo com sua agenda e personaliza seu roteiro, podendo ainda compartilhar em suas redes como será sua programação na cidade.

A parte dedicada a Negócios traz o calendário de feiras, congressos e eventos do segmento. Destinos turísticos localizados nos arredores, como Búzios e Paraty, também são prestigiados no novo portal, na área "Por Perto". Quem acessar o portal em busca de dados sobre o Rio Olímpico será redirecionado para a página Cidade Olímpica.
— Essa nova roupagem exibe o que o Rio tem de melhor, facilitando a vida de todo mundo. Embora seja uma iniciativa voltada para o turismo, a cidade ganhou uma enorme vantagem sobre todas as concorrentes internacionais — avaliou o secretário estadual de Turismo, Nilo Sergio Felix.

A partir de maio de 2016, o portal fica ainda mais interativo com os "apps" e páginas parceiras para ajudar a traçar rotas utilizando o transporte público, que realizem venda de tíquetes e passeios turísticos e que forneçam reserva de hotéis, apart-hotéis, albergues, pousadas e hospedagem no estilo cama e café.

Nas redes sociais, o nome @visit.rio também substitui o @rioguiaoficial no Instagram e vem acompanha

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 22/12/2015 às 07:35hs - 104 visitas até 16/05/2016 ) 

SÃO PAULO, São Paulo - Um brigadista que trabalhava no Museu da Língua Portuguesa morreu após um incêndio atingir o local na tarde de ontem (21). O homem sofreu uma parada cardíaca e foi levado para o Hospital das Clínicas, mas não resistiu. Em entrevista no local, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, confirmou a morte do brigadista e prestou solidaridade à família.

O incêndio começou por volta das 15h30 no primeiro andar do museu e se alastrou atingindo, principalmente, os últimos andares. O telhado foi bastante destruído pelas chamas. De acordo com o secretário municipal de Cultura, Nabil Bonduki, até momento, as informações são de que o acervo do museu não foi atingido. O local mais afetado pelo fogo, segundo o secretário, abrigava uma exposição temporária de cenografia. Como o museu não recebe visitas às segundas-feiras, não havia visitantes no local na hora do incêndio. "Os acervos são a alma dos museus. Se não se perdeu o acervo, considero que é uma perda menor", disse.

O secretário estadual de Cultura, Marcelo Araújo, disse que o acervo do museu é digital. "Temos cópias técnicas. A exposição de longa duração poderá ser refeita", disse, acrescentando que a área expositiva foi toda destruída. O secretário não soube responder se o museu tinha álvara de funcionamento, pois a licença é concedida para todo o edifício, que inclui a estação de trens e metrô. "Todos os equipamentos de segurança estavam previstos e instalados." O museu está localizado em uma parte do edifício da Estação da Luz. Um dos cartões-postais da cidade, o prédio foi inaugurado em 1867.

Mais de 100 homens e 60 viaturas dos bombeiros trabalharam no local e conseguiram o controlar o fogo por volta das 17h45. Neste momento, os bombeiros fazem uma operação de rescaldo. As causas do incêndio estão sendo apuradas.

As ruas próximas ao museu permanecem fechadas para circulação de carros e pedestres e chove bastante na região. As linhas 7 e 11 da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) tiveram a circulação interrompida entre as estações Luz e Brás. O incêndio chamou a atenção de quem passava pelo local e da imprensa, inclusive internacional.

Museu
O Museu da Língua Portuguesa abriu as portas ao público no dia 21 de março de 2006. Dedicado à valorização e difusão do idioma, considerado patrimônio imaterial, recebeu mais de 1,6 milhão de visitantes em nos primeiros três anos de funcionamento, tornando-se um dos museus mais visitados do Brasil e da América do Sul.

A equipe é formada por sociólogos, museólogos, especialistas em língua portuguesa e artistas. O museu foi montado pelo governo do Estado de São Paulo, em convênio com o governo do estado de São Paulo. Foram usados cerca de R$ 37 milhões para financiar a criação, pesquisa, implantação do museu e restauração do prédio da Estação da Luz.

Fonte: Agência Brasil - Daniel Mello

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 22/12/2015 às 07:29hs - 101 visitas até 16/05/2016 ) 

MINAS GERAIS, Juiz de Fora - Em visita a Juiz de Fora, o Secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo, anunciou a reedição, pela Imprensa Oficial, da Carta Pastoral dos Bispos Mineiros, de 1926, marco pioneiro da preservação da arte sacra no Estado. O secretário salientou, na ocasião, a contribuição do episcopado local para a proteção dos bens artísticos e históricos de Minas Gerais. O arcebispo de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, é coordenador de patrimônio cultural da Regional Leste da CNBB.

Angelo Oswaldo destacou ainda a retomada das obras complementares do Teatro Paschoal Carlos Magno, como uma ação motivada pela união de esforços entre o Estado e a prefeitura local. O Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Cultura - SEC e da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais - Codemig, atendeu em menos de um ano as reivindicações de mais de três décadas para o recomeço de tais intervenções.

Com o diretor do Museu Mariano Procópio, Douglas Fasolato, o secretário conheceu o projeto da última etapa do restauro arquitetônico do grande museu da cidade. Para completar a viagem, o secretário visitou o Museu do Crédito Real. A instituição vinculada à Superintendência de Museus e Artes Visuais da SEC preserva a memória do banco fundado em 1888, em Juiz de Fora, por ato de Dom Pedro II. Diretor Roberto Dily.

Fonte: SEC MG

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 22/12/2015 às 07:32hs - 117 visitas até 16/05/2016 ) 

BAHIA, Salvador - A partir do dia 20 de dezembro, cerca de três mil fotos do acervo do Arquivo Histórico Theodoro Sampaio, que pertence ao Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB), serão digitalizadas. Com a iniciativa, importantes imagens históricas da Bahia – como as inaugurações de grandes Avenidas, a visita do ex-presidente Getúlio Vargas ao bairro do Lobato e a construção do Belvedere, após a demolição da Igreja da Sé, poderão ser acessadas por pesquisadores, estudantes e público interessado. Através do Governo da Bahia, serão investidos R$ 46 mil para a digitalização das fotografias e a impressão de um catálogo com 200 imagens do acervo.

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31