RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - Realizado pelo Ministério da Cultura (MinC), no Rio de Janeiro, o evento global Emergências reunirá, entre os dias 7 e 13 de dezembro, cerca de 400 pensadores, ativistas, artistas, produtores culturais, gestores e agentes políticos do Brasil e de diversos países em espaços que se destinam a pensar a cultura como ativadora de processos na conquista de direitos civis, políticos, sociais, econômicos e ambientais.

Nesta segunda-feira (7), O ministro da Cultura, Juca Ferreira, participa da abertura com ato simbólico, às 15h, no Circo Voador. Logo em seguida, às 17h30, integra a mesa As Aventuras políticas do século XXI, da qual também participam convidados como Lawrence Lessig, Constanza Moreira e Gilberto Gil.

Mesas de debate e cerca de 100 rodas de conversa irão alimentar as discussões em torno dos temas cultura, ativismo e política. Atividades como apresentação de experiências, encontros de redes, intervenções, percursos territoriais e debates em encontros permanentes também integram a programação oficial. Na agenda cultural vinculada ao evento, há 120 atividades previstas, incluindo mais de 100 horas de shows.

Programação do Emergências

Serviço:
Abertura do Emergências – Mesa

Data: 7 de dezembro
Horário: 15h
Local: Circo Voador (Rua dos Arcos, Lapa, Rio de Janeiro)

Fonte: MinC

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 07/12/2015 às 13:46hs - 40 visitas até 16/05/2016 )

RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - O Theatro Municipal do Rio de Janeiro – vinculado à Secretaria de Estado de Cultura – realizará no próximo dia 9 de dezembro, às 19h, a Solenidade de Inauguração da Sala Mário Tavares. O espaço com 159 lugares no Prédio Anexo, onde funcionava o Teatro B, será rebatizado com o nome do compositor e maestro que atuou por mais tempo como Regente Titular da Orquestra Sinfônica do TM, entre os anos de 1960 e 1998. Na breve cerimônia, o Presidente da Fundação Teatro Municipal, João Guilherme Ripper, fará uma explanação sobre as atividades artísticas desta Sala, a exemplo das séries Cameristas e Vesperais Líricas.

Na sequência, o Diretor Artístico da FTM, André Cardoso, apresentará aos presentes uma ligeira biografia do homenageado. Após as falas, haverá um rápido concerto de câmara com a execução de quatro composições de Mário Tavares (1928—2003) e que terá as participações da soprano Flávia Fernandes, da pianista Priscila Bomfim, do violoncelista Marcelo Salles e do Trio Capitu, integrado pela flautista Sofia Ceccato, pela oboísta Janaína Perotto e pela fagotista Débora Nascimento. No encerramento, João Ripper acompanhará a viúva do compositor e maestro Gláucia Tavares, para descerrar a placa comemorativa.

Sobre o compositor e maestro Mário Tavares (1928—2003)
Nasceu em 18 de abril de 1928 em Natal (RN) e faleceu no Rio de Janeiro, em 05 de fevereiro de 2003. Em 1957 fundou a Orquestra de Câmara da Rádio MEC, dirigindo-a até 1968. Foi nomeado Regente Titular da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal no Rio de Janeiro em 1960, cargo que desempenhou por 38 anos até sua aposentadoria em 1998. Foi fundador da Associação Brasileira de Violoncelistas e membro honorário da Sociedade Brasileira de Musicologia. Foi reconhecido pelo Governo Federal Brasileiro com a Ordem do Rio Branco, no grau de Comendador, e primeiro regente brasileiro a receber o Prêmio Nacional da Música – MinC / 95. Foi professor do Conservatório de Música de Niterói, da Escola de Música Villa-Lobos e dos Seminários de Música da Pro-Arte. Foi eleito para a Academia Brasileira de Música em 1988. Na Escola de Música da UFRJ foi professor visitante da graduação e pós-graduação. Em 2002 recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Iniciou os estudos musicais através do violoncelo, que estudou com Tomaz Babini. Foi violoncelista da Orquestra Sinfônica do Recife e, a partir de 1947, da Orquestra Sinfônica Brasileira. No Rio de Janeiro estudou na Escola Nacional de Música, sendo discípulo de Francisco Mignone. Colaborou e estudou também com Cláudio Santoro e Victor Tevah. Como maestro convidado, regeu as principais orquestras brasileiras e ainda a Beethovenhalle Orchester, de Bonn, Alemanha, e orquestras nos Estados Unidos, Portugal, Porto Rico, Chile, Colômbia, Peru, Romênia e Bulgária. Durante dezesseis anos foi regente oficial dos Festivais Internacionais Villa-Lobos, no Rio de Janeiro. Paralelamente, atuou como principal maestro dos Festivais da Canção Popular, entre 1967 e 1975, na Rede Globo, onde foi regente da orquestra da emissora. Acompanhou grandes solistas internacionais, como Mstslav Rostropovich, Aldo Parisot, Nina Beylina, Narciso Yepes, Marguerite Long, Felícia Blumental, Magdalena Tagliaferro, Giorgy Sandor e Cláudio Arrau. Foi responsável pela estreia mundial de obras de vários compositores brasileiros, em especial Villa-Lobos, como do poema sinfônico Gênesis, do bailado Rudá e da estreia brasileira da ópera Yerma e da Fantasia Concertante para orquestra e violoncelos.

Como compositor recebeu vários prêmios nacionais, com destaque para o I Concurso para Compositores Jovens do Brasil do programa Música e Músicos do Brasil da Rádio MEC (1959), o Concurso de Composição do Cinquentenário do Teatro Municipal l (1959), o da Secretaria de Estado de Cultura da Guanabara de Música de Bailado p

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 07/12/2015 às 08:20hs - 44 visitas até 16/05/2016 )

MINAS GERAIS, Belo Horizonte - Exposição sobre os processos de restauração do Presépio do Pipiripau está aberta ao público até o próximo dia 17, das 9h às 11h, no campus Pampulha. A mostra Processos e técnicas de conservação e restauração de presépios: a experiência do Pipiripau pode ser vista no laboratório responsável pelo projeto de restauração do Pipiripau, localizado no Centro de Conservação e Restauração de Bens Culturais (Cecor), da Escola de Belas Artes.

De 15 a 18, o processo de restauração também estará em vitrines na Sala Teórica do Cecor, aberta a visitação das 10h às 12h30 e das 14h às 16h30.

Fonte: UFMG

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 07/12/2015 às 08:09hs - 37 visitas até 16/05/2016 )

MINAS GERAIS, Belo Horizonte - O Museu Regional de São João del-Rei (MRSJDR) recebe, no dia 10 de dezembro, às 20h, o Auto de Natal. A apresentação conta com a participação do Coral de crianças da Iniciação Musical e do grupo instrumental dos professores do Conservatório Estadual de Música Padre José Maria Xavier, de São João del-Rei. O evento faz parte da programação de Concertos Natalinos.

Com seus primeiros registros datados de 1717, a música é uma tradição na cidade. Ainda no século XVIII, as primeiras orquestras se formaram, especializando-se e dividindo-se entre músicas sacras e profanas. O Coral de Crianças da Iniciação Musical apenas reforça esta tradição, incentivando uma nova geração de músicos em São João del-Rei.

O coral é formado por cerca de duzentas crianças, com idades entre 6 e 9 anos, com regência da professora Conceição Souza. A apresentação será na fachada do museu e o coral ficará disposto nas janelas do prédio centenário.

O Museu
Aberto à visitação pública a partir de 1963, está localizado na antiga residência do comendador João Antônio da Silva Mourão (1806-1866), importante comerciante da cidade no período final da produção de ouro. Após a conclusão das obras, em 1859, o comendador instalou sua família na mansão, no segundo e terceiro pavimentos, e a loja de secos e molhados ficou no primeiro andar.

O Museu Regional de São João del-Rei apresenta uma exposição de aspectos do cotidiano no comportamento e nos costumes dos séculos XVIII e XIX, retratados em móveis, utensílios, meios de transporte, imagens religiosas e pinturas. O objetivo do acervo montado é contar um pouco da intimidade e do modo de viver dos mineiros no período colonial.

Fonte: divulgação por e-mail

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 07/12/2015 às 08:14hs - 35 visitas até 16/05/2016 )

SÃO PAULO, São Paulo - Organizada anualmente pela Edusp desde 1999, a Festa do Livro da USP tornou-­se um dos eventos editoriais mais importantes do país, atraindo a participação de mais editoras e um público maior a cada edição. Neste ano, ela acontece de 9 a 11 de dezembro.

Em outubro havia sido anunciado o retorno da Festa do Livro para a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), mas o evento precisou alterar novamente o local de realização, passando para a travessa C da avenida Professor Mello Moraes, entre a Raia Olímpica e Praça do Relógio Solar, na Cidade Universitária. Uma estrutura de galpões e tendas totalizará 3.600 m² para comportar as cerca de 150 editoras que normalmente participam do evento e seu público.

As inscrições para as editoras já estão abertas e em breve haverá informações sobre as editoras participantes na página.

Fonte: USP

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 07/12/2015 às 07:10hs - 34 visitas até 16/05/2016 )

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31