DISTRITO FEDERAL, Brasília - Intervenções valorizam Patrimônio Cultural da cidade e geram emprego e renda para população


Edificação é uma das mais antigas da cidade (Foto: divulgação/Iphan)

Localizado no ponto mais elevado do sítio histórico de Olinda, o conjunto arquitetônico formado pela Igreja de Nossa Senhora da Graça e pelo antigo Seminário há séculos testemunha e participa da história da cidade. A fim de que continue a compor a paisagem olindense, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia federal vinculada ao Ministério do Turismo e à Secretaria Especial de Cultura, vai investir aproximadamente R$ 1,151 milhão em obras no monumento.

O escopo dos trabalhos contempla a requalificação, a reforma e o restauro dos bens integrados do Seminário, como capela-mor, altares laterais e arcaz da sacristia. Além disso, serão modernizadas as instalações elétricas e hidrossanitárias de banheiros, cozinha e lavanderia. Também serão promovidas adequações de acessibilidade na edificação.

Já no pavimento térreo, serão instalados uma biblioteca, um auditório para 20 pessoas e duas lojas para artigos religiosos. A previsão é que as obras se estendam até dezembro deste ano.

O conjunto denominado Igreja de Nossa Senhora da Graça e Seminário de Olinda foi tombado pelo Iphan em 1938, um ano após a criação da Autarquia. O monumento foi inscrito no Livro do Tombo das Belas Artes. Além da proteção individual, o conjunto também está inserido na área do sítio histórico de Olinda, Patrimônio Cultural brasileiro desde 1968.

O reconhecimento não se limita ao âmbito nacional: desde 1982, o Centro Histórico de Olinda é chancelado Patrimônio Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

História
Algumas das primeiras edificações do alto da Sé, onde se encontra o atual conjunto, remontam a 1550. A vista privilegiada para o território e o oceano Atlântico contribuiu para que o local fosse aproveitado nos anos que se seguiram. A Igreja de Nossa Senhora da Graça e do antigo Seminário de Olinda consistem em um dos mais importantes testemunhos da arquitetura jesuítica no Brasil do século XVI.

Marcado pela aparência despojada e singela, o Seminário guarda mais de cem sepulturas. Frestas, tribunas laterais, porta e outros elementos proporcionam iluminação natural ao ambiente.

Outros atrativos cativam a atenção: nas capelas laterais há dois altares, que são considerados os monumentos em pedra mais antigos do país. Construídos no final do século XVI ou início do século XVII, aliam aparência rústica com composição renascentista.

O Iphan no Pernambuco
Além das obras que acabam de se iniciar, está em execução em Olinda o restauro da Igreja de São Pedro dos Apóstolos, com recursos do Iphan na ordem de aproximadamente R$ 1,5 milhão.

Em 2018, foram entregues três obras em Olinda com recursos do Instituto: adro do Convento Franciscano, com R$ 3 milhões; Igreja do Bonfim, que recebeu R$ 2 milhões; e Bicas de Olinda, que receberam R$186 mil.

O Instituto tem trabalhado em uma série de ações para a preservação do Patrimônio Cultural edificado em Pernambuco. Nos últimos anos, já foram mais de R$ 38,5 milhões investidos em obras em Recife, Olinda e Fernando de Noronha. Além da restauração da Igreja de São José do Ribamar, iniciada recentemente, encontram-se em andamento as restaurações dos bens móveis integrados das Igrejas de São Pedro dos Clérigos e Conceição dos Militares. Ainda em outubro de 2020, foi entregue a requalificação do terreiro de Pai Adão.

Fonte: Iphan

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31