SANTA CATARINA, Florianópolis - Na data em que se completam 118 anos da morte de Victor Meirelles de Lima (1832 - 1903), 22 de fevereiro de 2021, o Museu Victor Meirelles e a Profa. Dra. Mara Rúbia Sant'Anna (UDESC) homenageiam o artista lançando o livro O Jovem Victor Meirelles: tempos, traços e trajes


Capa do livro 'O Jovem Victor Meirelles: tempos, traços e trajes' (Divulgação/MVM)

 Disponível nas versões impressa e digital, o livro contou com o apoio do MVM e do Museu Nacional de Belas Artes (Ibram/MTur). Nas páginas, a autora Mara Rúbia aborda a coleção "Estudo de Trajes Italianos", realizada no século XIX pelo consagrado pintor oitocentista, com o objetivo de analisar as relações discursivas entre os registros artísticos dos trajes tradicionais de uma região, considerando os processos de memória social e as narrativas visuais neles contidos.

A publicação é resultado do estágio de pós-doutoramento desenvolvido junto ao Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da UFRJ, cujo projeto "Olhares românticos entre cores e traços: Victor Meirelles e o Estudo de Trajes Italianos, 1853-1859" foi financiado pelo CNPq. Também envolve recursos da UDESC e da FAPESC. Após o estágio, mais dois anos foram dedicados à pesquisa em acervos no Rio de Janeiro, Florianópolis, Paris e Roma. A pesquisa é formada por 170 obras, sendo 104 pranchas coloridas, pertencentes aos Museus Victor Meirelles e ao Nacional de Belas Artes e de alguns colecionadores particulares, completadas por mais 66 registros catalográficos de desenhos em preto e branco e de tamanhos e títulos diversos.

O livro se divide em três partes: "Ainda na sala"; "Casa a dentro" e "Através das janelas", com um total de sete capítulos, sendo dois na primeira parte, três na segunda e dois na terceira, mais a conclusão. Segundo a autora, todos os capítulos estão a serviço do objetivo geral do trabalho, que é dar complexidade à singeleza da obra Estudo de Trajes Italianos de Victor Meirelles, fazendo-a reverberar nas condições das narrativas visuais produzidas e nas memórias concatenadas sobre o vestir e o humano para o Ocidente. As edições físicas serão doadas para bibliotecas de instituições públicas. O conteúdo digital, na íntegra, pode ser baixado gratuitamente no site do Museu Victor Meirelles a partir do dia 22 (https://museuvictormeirelles.museus.gov.br).

Saiba mais
A autora
Mara Rúbia Sant'Anna nasceu em Laguna/SC, 1969. Licenciada em História (UFSC, 1990), Mestre em História do Brasil (UFSC, 1996), Doutora em História (UFRGS, 2005). Realizou pós-doutoramento na Université de Strasbourg (2012) e EBA-UFRJ (2017). É autora dos livros O velho no espelho (2000), Teoria de moda (2007/2009), Elegância, beleza e poder (2014), Sociabilidades coloniais (2016), Império: uma civilização nos trópicos (2019), além de inúmeros artigos e capítulos desenvolvidos a partir dos temas de predileção: aparência, poder, imagem, publicidade, moda e ensino superior. Dirige desde 2005 o Laboratório de pesquisa "Moda, Artes, Ensino e Sociedade", filiado ao CNPq e faz parte do corpo docente permanente do Centro de Artes/UDESC.


A autora Mara Rúbia Sant'Anna no Museu delle arti e tradizioni popolari Lamberto Lori, Roma, 2018 (Arquivo pessoal/Mara Rúbia)

Sumário
PREFÁCIO
O Jovem Victor Meirelles: tempos, traços e trajes de Mara Rubia Sant' Anna
Preâmbulo ou Átrio
Introdução: De um projeto ao percurso
1ª parte – Ainda na sala

Capítulo 1 – A formação do artista no século XIX – a permanência da tradição
1.1 A formação acadêmica
1.2 Normas vigentes
1.3 O aprendizado em Roma
1.4 O aprendizado em Paris
1.5 Inspirações tangenciadas

Capítulo 2 - Narrativas de tradição
2.1 Em busca de uma tradição
2.1.1 Por uma vereda
2.1.2 Ilustradores de trajes do século XIX
2.2 Trajes, moda e história
2.3 Romantismo e a produção da memória social do vestir

2ª parte – Casa a dentro
Capítulo 3 - Rastros escritos: Victor Meirelles de Lima
3.1 Escritos de testemunhas
3.2 Escritos comemorativos
3.3 Escritos acadêmicos
3.4 Escritos de revisão e crítica

Capítulo 4 - Rastros de manchas: os trajes italianos de Meirelles em pranchas coloridas
4.1 A coleção
4.1.1 Quantidade, distribuição por acervos, denominação e origem da coleção
4.1.2 Dimensões
4.1.3 Técnicas e materiais
4.1.4 Autoria, datação, títulos e local de realização
4.2 As pranchas
4.2.1 Ambiência e objetos
4.2.2 Posição e flexão das figuras
4.2.3 Tipos humanos representados quanto ao gênero e a faixa etária
4.2.4 Tipologia de trajes, cores, formas e acessórios do vestuário representados
A – Gênero feminino
B - Gênero masculino


Estudo de Traje Italiano. Victor Meirelles, Aquarela sobre papel, 29 x 19,5cm. Circa 1853/1856. Acervo Museu Victor Meirelles

Capítulo 5 - Rastros de linhas: os trajes e outros rabiscos de Meirelles
5.1 A coleção
5.1.1 Os acervos
5.1.2 As denominações dos registros catalográficos
5.1.3 Dimensões e materiais
5.1.4 A datação e o local
5.2 Os desenhos
5.2.1 Ambiência e posicionamento das figuras
5.2.2 Representações de objetos e condições sociais e de gênero
5.2.3 Trajes e tendências de moda
A – Gênero feminino
B - Gênero masculino

3ª parte – Através das janelas
Capítulo 6 – O visto e o sentido
6.1 Desmontar os estudos, olhando pelas vidraças
6.2 Remontar os estudos a partir da luz da janela
6.2.1 Materiais, técnicas e temáticas
6.2.2 Trajes
6.3 Move-se o olhar, desmonta-se o ângulo, o sentido se vê

Capítulo 7 – O silêncio dos estudos
7.1 A irmandade
7.2 Dos sussurros aos indícios
7.3 A voz do autor em meio aos silêncios das irmandades

Últimas Linhas e Traços
Referências
Lista de Figuras
Lista de Quadros

Fonte: MVM/Ibram

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31