RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - Terceira edição dos concorridos programas chega com uma novidade: pela primeira vez, todos os alunos terão bolsa mensal de permanência


O palacete do Parque Lage, onde está sediada a EAV (Foto: Renan Lima/Divulgação)

A Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV Parque Lage) lançou, nessa segunda (19), o edital público e a abertura do período de inscrição em dois programas de formação gratuitos, voltados à fundamentação teórica e ao desenvolvimento poético nos campos das artes e da cultura. Os interessados podem se candidatar gratuitamente nos concursos para a terceira edição dos programas de “Formação” e “Formação e Deformação”. Serão ao todo 30 vagas, 15 para cada curso, e o prazo de inscrições vai até o dia 2 de maio de 2021.

Após duas edições que firmaram os programas de Formação e Formação e Deformação da EAV Parque Lage entre os mais concorridos do campo das artes visuais, a edição de 2021 chega com um importante adendo que vai incentivar ainda mais os candidatos. Pela primeira vez, os alunos contarão com uma bolsa mensal de permanência no valor de R$ 300, a ser disponibilizada ao longo dos cursos, que têm a duração de oito meses. O edital público dos dois concursos e os formulários de inscrição estarão disponíveis no site da instituição a partir do dia 19 de abril.

Os dois programas visam a fomentar e apoiar a produção artística e discursiva com caráter crítico, experimental e disruptivo. As práticas serão realizadas por meio de encontros virtuais e presenciais periódicos, que devem acontecer em espaços da cidade do Rio de Janeiro ou na própria EAV.

O curso de Formação é voltado a pessoas interessadas em conhecer ou se aproximar do campo da arte, sem necessidade de experiência prévia. O programa será dividido em quatro módulos, com orientação e acompanhamento pedagógico de Camilla Rocha Campos e Natália Nichols, e terminará, após oito meses, com a realização de um projeto coletivo. A seleção será feita a partir de análise do formulário disponível no edital e da carta de intenção dos candidatos.

Já o programa de Formação e Deformação é voltado a artistas que já tenham poéticas em desenvolvimento. A seleção será feita a partir da análise de portfólio dos interessados, que também devem preencher o formulário disponibilizado no edital. Ao final de oito meses de estudos e práticas, sob a orientação da professora Clarissa Diniz e do curador Ulisses Carrilho, os alunos realizarão um projeto de exposição como trabalho de conclusão do curso.

“Com nossos programas gratuitos de Formação e Deformação, queremos contribuir para ampliar o acesso ao campo da arte e da cultura, a partir de novos olhares, vivências e posturas”, destaca Yole Mendonça, diretora da EAV Parque Lage, que aponta a diferença entre os dois cursos: “O de Formação é um curso introdutório e está voltado aos que desejam se aproximar do campo das artes visuais, enquanto o Programa de Formação e Deformação se destina a artistas visuais com poéticas e pesquisas em desenvolvimento”.

Ulisses Carrilho, curador da instituição e idealizador do Formação e Deformação, revela que o programa, em seus dois níveis, “parte de um anseio de pensar alternativas a uma ideia fixa de grade curricular. Pensar formação e deformação é, de alguma maneira, pensar o quão adaptável pode ser esse currículo e quanto o sistema artístico, em franca transformação, está disponível para novos sujeitos e novas formas que os artistas cotidianamente inventam para o mundo”. Carrilho ressalta ainda a importância do acesso gratuito a um ensino de qualidade: “Os programas reafirmam o caráter público da EAV. Não basta ser uma escola pública, é preciso criar acesso para um currículo como esse e para a oportunidade de ser artista, que de alguma maneira ainda é restrita a poucas classes sociais”.

Neste ano, o Programa de Formação e Deformação – que integra o Plano Anual de Atividades da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, patrocinado pelo Instituto Cultural Vale – terá como ponto de partida o projeto “Teteia”, que Lygia Pape, professora da EAV na década de 1970, realizou entre anos de 1978 e 1979 na floresta que abriga a escola. “Fazer do programa um processo de imantação, construção e aprendizado coletivos traz desafios que atualizam e potencializam o que entendemos por uma ‘formação de artistas’. Será, decerto, uma experiência singular, de interlocução e muita criação", adianta Clarissa Diniz, que divide a coordenação do programa com Carrilho.

“Uma das estratégias pedagógicas do Programa de Formação é postular de maneira simples e publicamente que arte é um vocabulário e um conjunto de operações que as pessoas devem e podem acessar. O programa é generoso ao oferecer tempo e estrutura mínima para que artistas e não-artistas se aproximem e experimentem com intimidade um campo que por muitos anos vislumbrou exclusividade sistêmica, elitismo social e poder simbólico universal”, afirma Camilla Rocha Campos, coordenadora do Programa de Formação.

As duas primeiras edições dos programas de Formação e Formação e Deformação da EAV Parque Lage aconteceram em 2018 e 2019. Por conta da pandemia de Covid-19, a terceira edição – que aconteceria em 2020 – foi transferida para esse ano. No primeiro trimestre de 2021, entre janeiro e março, a escola realizou também o curso on-line gratuito Pedra e Ar, voltado a artistas com poéticas em desenvolvimento, que teve a relação de 58 candidatos por vagas.

O currículo da edição 2021 dos programas foi elaborado levando em consideração todas as restrições sanitárias impostas, com aulas e práticas desenvolvidas para os meios virtuais*. "A formação de artistas é a vocação da EAV. Neste contexto tão cruel da pandemia, poder dar continuidade a essa vocação é uma alegria imensa”, celebra Diniz.

*Diante das medidas preventivas para a contenção da disseminação e combate ao coronavírus (covid-19) o cronograma de aulas poderá sofrer ajustes ao longo do ano.

Sobre a EAV Parque Lage
A Escola de Artes Visuais foi criada em 1975, pelo artista Rubens Gerchman, para substituir o Instituto de Belas Artes (IBA). Seu surgimento acontece em plena Guerra Fria na América Latina, durante o período de forte censura e repressão militar no Brasil. A EAV afirma-se historicamente por seu caráter de vanguarda, como marco da não conformidade às fronteiras e categorias, e propõe regularmente perguntas à sociedade por meio da valorização do pensamento artístico.

Alguns exemplos marcantes da história do Parque Lage são a utilização do palacete como sede do governo da cidade de Alecrim em Terra em Transe, dirigido por Glauber Rocha em 1967; e a exposição “Como Vai Você, Geração 80?”, que reuniu 123 jovens artistas de diferentes tendências numa mostra que celebrava a liberdade e o fim do regime militar. O palacete em estilo eclético foi também palco de “Sonhos de uma noite de verão”, clássico shakespeariano, e serviu como locação para Macunaíma, de Joaquim Pedro de Andrade.

A Escola de Artes Visuais do Parque Lage está voltada prioritariamente para o campo das artes visuais contemporâneas, com ênfase em seus aspectos interdisciplinares e transversais. Abrange também outros campos de expressão artística (música, dança, cinema, teatro), assim como a literária, vistos em suas relações com a visualidade. As atividades da EAV contemplam tanto as práticas artísticas como seus fundamentos conceituais.

A EAV Parque Lage configura-se como centro educacional aberto de formação de artistas e profissionais do campo da arte contemporânea. Como referência nacional, com uma consistente imagem no meio da arte, a EAV busca criar mecanismos internos e linhas de atuação externa que permitam um diálogo produtivo com a cidade e com o circuito de arte nacional e internacional. A instituição integra a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do estado do Rio de Janeiro.

Serviço:
Edital dos programas de formação gratuitos da EAV Parque Lage
Link do edital.

“FORMAÇÃO” - Programa de introdução às poéticas artísticas
Abertura de inscrições: 19 de abril
Encerramento das inscrições: 02 de maio
Divulgação dos selecionados: 18 de maio
Início das aulas: 27 de maio
Dedicação: Quintas e sextas, das 10h às 12h30 (5h semanais)*
Bolsa Permanência: R$ 300 por mês
*Diante das medidas preventivas para a contenção da disseminação e combate ao coronavírus (COVID-19) o cronograma de aulas poderá sofrer ajustes ao longo do ano.

“FORMAÇÃO E DEFORMAÇÃO: TETEIA” - Programa de acompanhamento crítico de poéticas artísticas
Abertura das inscrições: 19 de abril
Encerramento das inscrições: 02 de maio
Divulgação dos selecionados: 18 de maio
Início das aulas: 24 de maio
Dedicação: Segundas e quartas, das 17h às 19h30 (5h semanais)*
Bolsa Permanência: R$ 300 por mês
*Diante das medidas preventivas para a contenção da disseminação e combate ao coronavírus (COVID-19) o cronograma de aulas poderá sofrer ajustes ao longo do ano.

Escola de Arte Visuais do Parque Lage
Rua Jardim Botânico, nº 414
Rio de Janeiro | RJ
Instagram: @parquelage
Whatsapp: (21) 99228-7955 - Secretaria 1 | (21) 96654-3179 - Secretaria 2

Fonte: Jornal do Brasil - Caderno B

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31