RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - Mostra gratuita com obras da artista Françoise Schein permanece em cartaz até 23 de maio


Com obras que versam sobre Direitos Humanos, exposição percorre trajetória da artista (Crédito da imagem: Luke Garcia)

O Centro Cultural do Patrimônio - Paço Imperial (CCPPI) apresenta a exposição Luz no Brasil, que percorre a trajetória da artista belga Françoise Schein. A mostra apresenta fotos, textos, desenhos originais, vídeos, esboços e peças da coleção pessoal da artista, que comemora 20 anos de atuação no Brasil com obras públicas sobre os Direitos Humanos. A iniciativa tem o patrocínio do Ministério do Turismo, da Secretaria Especial da Cultura e da Caixa Seguradora.

Unidade especial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o Paço adotou protocolos para combater o contágio do novo coronavírus (Covid-19). Aferição de temperatura, uso obrigatório de máscara, monitoramento do fluxo de visitantes, circulação do público com distanciamento social, disponibilidade de álcool em gel, entre outras ações garantem a reabertura segura de um dos principais espaços culturais da cidade do Rio de Janeiro (RJ).

Os Direitos Humanos representam o fio condutor de toda a experiência de Luz no Brasil. Com a Associação Inscrire, Françoise desenvolve trabalhos artístico-educativos em quatro continentes. O processo de criação é sempre feito com a participação de estudantes, jovens e crianças de comunidades menos favorecidas. Neste processo, passam a conhecer a Declaração Universal dos Direitos Humanos e, apoiados por um trabalho educativo, são estimulados a pensar sobre o assunto e a relacioná-lo com as suas vidas.

O maior destaque da exposição é a obra da Estação da Luz, em São Paulo, que demorou dez anos para ser concluída e inspirou o título da exposição. Os 16 painéis da Luz contam a história da cidade através de desenhos figurativos criados pela artista e painéis sobre os Direitos Humanos pintados por três mil alunos das escolas da periferia.

A Estação da Luz foi tombada pelo Iphan em 1996, com a inscrição nos Livros do Tombo Histórico e das Belas Artes. A edificação também integra o Conjunto Arquitetônico e Paisagístico no Bairro da Luz, protegido pelo Instituto de 2016.

Também merecem ser ressaltados na mostra os projetos da artista na cidade do Rio de Janeiro. O da comunidade do Vidigal é a primeira obra de Schein no Brasil. Já a estação de metrô Siqueira Campos apresenta um mapa de 200 m² da região com conteúdo sobre Direitos Humanos e imagens da história da escravidão. Outras instalações públicas participativas localizadas nas comunidades da periferia do Rio também integram a exposição.

Em Brasília, por sua vez, a obra da estação de metrô da Galeria dos Estados trata-se de uma encomendada do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento: um painel de 110 m² criado com a participação de mil jovens do Distrito Federal.

“O trabalho que estamos a fazer, lenta mas seguramente, nas escolas brasileiras e noutras partes do mundo, é o alfabeto das competências para a vida e deve ser a primeira coisa a ser ensinada aos milhares de milhões de jovens estudantes de todo o mundo. Então, não será ensiná-lo de uma forma lúdica, criando obras de arte para o prazer da beleza para todos e por todos, a melhor maneira de fazê-lo?”, questiona Françoise Schein.

Além de Luz no Brasil, outras três exposições estão em cartaz no Paço: 7 Povos: Retratos de Um Território; Barcos do Brasil e do Mundo; e Limite Oblíquo.

Serviço
Exposição de Françoise Schein com Associação Inscrire Brasil
Curadoria: Lohana Schein
Patrocínio: Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura, Caixa Seguradora
Apoio: Consulado Geral da França, Artmyn, Gigascope, Studio Zero

Visitação
Local: Paço Imperial (Praça XV de Novembro, 48 – Centro / Tel: 2215-2622)
Período: até 23 de maio
Dias e horários:
De terça a sexta, de 12h às 18h
Feriados e sábados, de 12h às 17h
Valor: gratuito

Fonte: Iphan

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31