MINAS GERAIS, Belo Horizonte - Ato simbólico em homenagem à Inconfidência foi realizado sem a presença de público na manhã desta quarta-feira (21), na Praça Tiradentes, em Ouro Preto, na Região Central de Minas


Homenagem ao Dia da Inconfidência, em Ouro Preto (Foto: Herbert Cabral/ TV Globo)

Um ato simbólico em homenagem ao Dia da Inconfidência foi realizado sem a presença de público na manhã desta quarta-feira (21), na Praça Tiradentes, em Ouro Preto, na Região Central de Minas Gerais.

Pelo segundo ano consecutivo, a tradicional cerimônia de entrega da Medalha da Inconfidência, maior honraria concedida pelo governo de Minas, não será realizada por causa da pandemia. A medalha foi criada em 1952 por Juscelino Kubitschek para saldar personalidades e instituições que contribuem para o desenvolvimento e prestígio do estado.

Como acontece todos os anos no dia 21 de abril, a capital mineira foi transferida simbolicamente para Ouro Preto nesta quarta-feira.

Na cerimônia nesta quarta-feira, um Dragão da Inconfidência ficou encarregado de conduzir a coroa de flores até o monumento de Tiradentes, e um corneteiro da Banda Sinfônica do Corpo de Bombeiros executou o toque de silêncio. Por fim, a Pira da Liberdade foi acesa na Praça Tiradentes, como marco dos ideais de civilidade e liberdade de Minas Gerais.

Além disso, a cerimônia contou com a leitura do poema "Romance XXXV ou do Suspiroso Alferes", do livro Romanceiro da Inconfidência (1953), da escritora Cecília Meireles, que homenageia a luta dos inconfidentes mineiros.

Antes do ato simbólico, a primeira homenagem à Inconfidência Mineira foi a inauguração de uma iluminação verde no Museu da Inconfidência, em Ouro Preto, nesta terça-feira (20).

A cor representa o reconhecimento ao trabalho dos profissionais de saúde, que, há mais de um ano, estão na linha de frente do combate à Covid-19.

O feriado de Tiradentes homenageia Joaquim José da Silva Xavier, símbolo da Inconfidência Mineira, movimento de independência do século XVIII. Tiradentes foi executado no dia 21 de abril de 1792, no Rio de Janeiro.

"Ouro Preto é ícone da memória nacional, porque essa cidade foi palco do maior e mais consistente movimento em prol da liberdade", afirmou a secretária de Cultura e Patrimônio do município, Margareth Monteiro.

Fonte: Bom Dia Minas, Tábata Poline (BH)

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31