RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - Uma obra de arte. Assim é considerado o Sítio onde residiu Roberto Burle Marx (SRBM). Localizado na Barra de Guaratiba no Rio de Janeiro, o espaço que espelha de forma notável a cultura, a energia criadora e a preocupação científica do mais importante paisagista brasileiro entrou em 2015 para a lista indicativa a Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Durante esta semana, o diretor de Articulação e Fomento (DAF), Marcelo Brito, o diretor do Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização (DEPAM), Andrey Schlee e o Assessor internacional, Rafael Volochen, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) estiveram reunidos com a diretoria e técnicos do Sítio e especialistas de diversas áreas e instituições parceiras para apresentar e discutir, em workshop, o processo de candidatura do bem e as estratégias para formulação do dossiê.

Após os debates, a magnitude da obra conseguiu atingir quatro critérios da Unesco (I, II, IV e VI), representando, respectivamente: uma obra-prima do gênio criador humano;  o testemunho de um intercâmbio de influências considerável, durante um dado período ou em uma determinada área cultural, sobre o desenvolvimento da arquitetura ou da tecnologia, das artes monumentais, do planejamento urbano ou da criação de paisagens;  como um exemplo excepcional de um tipo de construção ou de conjunto arquitetônico ou tecnológico, ou de paisagem que ilustre um ou mais períodos significativos da história humana; e, estar direto ou materialmente associado a acontecimentos e tradições vivas, ideias, crenças ou obras artísticas e literárias que têm um significado universal excepcional.

O valor excepcional não está apenas no lugar, mas sim no gênio criador do artista que o modelou, para quem a natureza e a cultura constituem uma mesma esfera. No Sítio está expressa a memória de um profissional internacionalmente renomado, sendo testemunho das influências e dos processos de criação e experimentação que embasaram a criação do conceito de jardim tropical moderno, que constituiu uma mudança de paradigma no paisagismo mundial. Esses processos estão materializados em extenso e variado repertório que inclui, ademais, obras de artes visuais e mais de três mil jardins em diversas partes do mundo.

Hoje, o SRBM é uma propriedade pública, sendo uma unidade especial do Iphan desde 1984. Em 2003 seus valores histórico, estético e paisagístico foram protegidos por meio do tombamento federal. A equipe tem trabalhado conjuntamente com os demais parceiros para que o Sítio seja o próximo bem do Brasil a receber o título de Patrimônio Mundial.

Fonte: Iphan

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31