MINAS GERAIS, Belo Horizonte - Gestores assumem os cargos com o desafio de ampliar ações de descentralização em todo o estado


Foto: Jefferson da Fonseca, Leônidas Oliveira e Felipe Cardoso Vale Pires (Paulo Lacerda /Fundação Clóvis Salgado)

Dois novos gestores da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) foram empossados na quarta-feira (19/5). Felipe Cardoso Vale Pires, nomeado para a presidência do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), e Jefferson da Fonseca, presidente da Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop), assumiram os cargos em cerimônia realizada na sede do Iepha (Prédio Verde), no Circuito Liberdade, em Belo Horizonte.

Os novos presidentes se integram à Secult com o desafio de promover as culturas tradicionais e o patrimônio do estado, bem como a descentralização das atividades formativas e artísticas. Para o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, a chegada de Felipe Pires e Jefferson da Fonseca simboliza um novo momento na trajetória do Iepha-MG e da Faop, importantes instituições que trabalham, principalmente, a difusão das artes e o fomento das culturas tradicionais em Minas.

“Tanto a Faop quanto o Iepha precisam intensificar, cada vez mais, as ações de descentralização e formação em Minas Gerais. Ambas as instituições também vão ampliar o diálogo com o turismo por meio de uma transversalidade cada vez mais ativa. Temos desafios, mas a certeza é de que o trabalho será pautado, sempre, na descentralização de atividades, na proteção e promoção de nossa identidade mineira e na exaltação das nossas artes. De Minas para Minas”, destacou Leônidas Oliveira.

Felipe Cardoso Vale Pires já havia ocupado o cargo de gerente de Monitoramento e Avaliação do Iepha-MG entre 2017 e 2018. Agora, à frente da presidência, ele se diz preparado para assumir os desafios que estão por vir. “Há um legado especial aqui, o Iepha é uma instituição sólida e reconhecida pelo trabalho de excelência que sempre executou. Nosso patrimônio é muito mais que a materialização. Ele é formado pelos saberes tradicionais, pela culinária, pelo artesanato, pelas folias. Tudo isso tem profundos reflexos na economia do estado, gerando valor à identidade do povo mineiro. O Iepha sempre irá valorizar e fazer crescer nosso estado. Mostrar para nós mesmos, e para o país, quem são as Minas e quem são as Gerais”, declarou.

Jefferson da Fonseca assume a Fundação de Arte de Ouro Preto com a missão de ampliar o diálogo da instituição com outros municípios mineiros, garantindo ações de formação em arte e cultura que não se limitem à antiga capital do estado. De acordo com o gestor, a expectativa de iniciar os trabalhos é enorme. “A Faop é referência no país e estamos ansiosos para essa nova fase. Queremos levar a qualidade técnica pela qual a Fundação tem sido amplamente reconhecida a outros locais, não só aqui em Minas, mas no Brasil, democratizando o acesso ao conhecimento”, disse.

Conheça os novos presidentes
Com mais de dez anos de experiência profissional, Felipe Cardoso Vale Pires é arquiteto, urbanista e engenheiro civil, formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e mestre em Análise Estrutural de Monumentos e Edificações Históricas pela Universidade do Minho, em Portugal. Iniciou sua trajetória no patrimônio cultural em Mariana, onde atuou como consultor em conservação e restauro, e chefiou o Escritório Técnico do Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan). Trabalhou, também, na prefeitura de Mariana e atuou junto ao Conselho Municipal do Patrimônio Cultural da cidade. No Iepha-MG, atuou como gerente de Monitoramento e Avaliação entre 2017 e 2018.

Jefferson da Fonseca é ator, administrador, jornalista e professor. Diretor da Casa do Ator – Studio de Treinamento e Arte, atuou como professor de interpretação e improviso em instituições como Puc Minas e Fundação Dom Cabral. Entre 1998 e 2016, com trabalhos em Cuba, Alemanha e França, foi curador e diretor do Festival Internacional de Teatro de Belo Horizonte (FIT-BH). Também foi diretor de artes da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte. Foi repórter de Cultura e Cidades e vencedor do Grande Prêmio Nacional de Jornalismo dos Correios, com a série Minas das Caratas, em 2014. Escreveu peças teatrais e teve histórias roteirizadas para a TV e Cinema, além de adaptar e dirigir diversos textos clássicos para o teatro. Atuou na TV e no cinema. Fonseca é mestrando em Cinema pelo Instituto Politécnico de Lisboa (IPL). Entre agosto de 2020 e abril de 2021, foi diretor-executivo e presidente substituto da Fundação Nacional de Artes (Funarte).

Assista à integra da cerimônia de posse AQUI.

Fonte: Secult MG

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31