DISTRITO FEDERAL, Brasília - Executada com recursos do PAC Cidades Históricas, a requalificação da Praça Cívica, em Goiânia, será entregue nesta quarta-feira (31), em cerimônia com a presença do governador de Goiás, Marconi Perillo, da presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa, e do prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, entre outras autoridades. Foram investidos no local cerca de R$ 12,5 milhões em novo calçamento, recuperação paisagística e na instalação de fontes luminosas.

Na manhã desta quarta, antes de retornar a Goiânia para a cerimônia de entrega das obras da Praça Cívica, o governador Marconi Perillo esteve no Ministério da Cultura (MinC), em Brasília, em audiência com o ministro Marcelo Calero. Perillo apresentou demandas de valorização do patrimônio histórico cultural goiano, entre elas a inclusão no PAC Cidades Históricas de prédios localizados na Praça Cívica, como o Palácio das Esmeraldas (sede do governo estadual), o Palácio Pedro Ludovico (antigo Centro Administrativo) e o Museu Zoroastro Artiaga. "A realização do nosso sonho seria ampliar atividades de revitalização e requalificação do PAC Cidades Históricas para os prédios que compõem a Praça", destacou Perillo.

Todos esses prédios citados por Perillo são da década de 1940, tendo sido os primeiros inaugurados após a transferência da capital do estado para Goiânia. Apresentam características arquitetônicas típicas do estilo art decó, com predominância de linhas verticais e influências do construtivismo, futurismo e cubismo.

Durante a reunião com Perillo, Calero ressaltou que os projetos do PAC Cidades Históricas têm uma repercussão cultural muito grande para o País. "O impacto também se reflete na economia da Cultura, com a movimentação da indústria de restauro de bens históricos e atividades de pequenas empreiteiras, por exemplo", pontuou o ministro.

Segundo o diretor do PAC Cidades Históricas, Robson de Almeida, a superintendência do Iphan em Goiás é a que registrou maior nível de execução das obras do programa. No estado, foram selecionadas oito obras, que receberam investimentos de mais de R$ 46 milhões. Em junho, também foi finalizada a obra do Arquivo Diocesano na Cidade de Goiás, que custou R$ 1,3 milhão.

A Praça Cívica é patrimônio cultural brasileiro desde 2003, quando o Iphan tombou o conjunto histórico de Goiânia, que reúne outros 21 edifícios e monumentos históricos, a maioria concentrados no centro da cidade.

PAC Cidades Históricas
Implantado em 44 cidades de 20 estados brasileiros, o PAC Cidades Históricas prevê um investimento de R$ 1,6 bilhão em 425 obras de restauração de edifícios e espaços públicos. O programa é uma ação intergovernamental articulada com a sociedade para preservar o Patrimônio Cultural Brasileiro, valorizando a cultura e promovendo o desenvolvimento econômico e social com sustentabilidade e qualidade de vida para os cidadãos.
 
Na atual gestão do Ministério da Cultura, foram entregues às comunidades locais outras seis obras realizadas pelo PAC Cidades Históricas. Em Alagoas, o Casarão Montepio dos Artistas, em Penedo, recebeu recursos de R$ 380; na Paraíba, o Hotel Globo, em João Pessoa, recebeu outros R$ 770 mil. Para a restauração dos Chafarizes em Ouro Preto, Minas Gerais, os investimentos foram da ordem de R$ 3 milhões. Em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, a obra da Praça da República custou R$ 740 mil e da Praça da Independência, R$ 1,6 milhão. Ainda foram empregados mais de R$ 578 mil na segunda fase da restauração do Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro.
 
Fonte: MinC - Lara Aliano

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31