RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - Evento acontece pela primeira vez no Brasil, on-line


O prédio da Cidade das Artes, projetado pelo arquiteto francês Christian de Portzamparc, estará na exposição 'Arquiteto - Cidade' (Foto: divulgação)

Na segunda-feira (19) estarão abertas ao público na plataforma do Congresso Mundial de Arquitetos, duas exposições virtuais que valorizam a produção arquitetônica francesa contemporânea, seja no âmbito urbanístico ou paisagístico.

Uma é a exposição AJAP - Álbuns dos Jovens Arquitetos e Paisagistas, com 25 projetos de jovens Arquitetos e Paisagistas, e a outra é a AFEX - Arquitetos Franceses para Exportação, com a seleção de projetos destacados dos últimos dez anos, premiados e desenvolvidos ao redor do mundo.

Para os amantes da 7ª arte, a partir do dia 21, estará disponível também a "Mostra Curta em francês", organizada pela Aliança Francesa Brasil em parceria com o Sesc São Paulo e com o apoio da Embaixada da França no Brasil. A mostra exibirá 12 curtas-metragens franceses com foco em temas de urbanismo e desenvolvimento territorial.

Entre os dias 19 e 23 de julho, o Canal de Podcasts AFluência da Aliança Francesa apresenta dois novos podcasts que abordam relatos sobre detalhes patrimoniais, arquitetônicos do Rio de Janeiro e da França. Um episódio cada dia, para o ouvinte se surpreender com fatos inusitados e histórias curiosas sobre os Bairros de Rio.

25 projetos
A exposição AJAP - Álbuns dos Jovens Arquitetos e Paisagistas, apresenta 25 projetos e trajetórias de vidas de arquitetos e paisagistas premiados dentro do concurso AJAP organizado pelo ministério da Cultura Frances. Os Álbuns dos Jovens Arquitetos e Paisagistas dá origem a uma exposição a cada dois anos, desde 1980, com o apoio da Cité de l’architecture et du patrimoine. Essas mostras representam o contexto ideal para impulsionar artistas com menos de 35 anos, tanto na França quanto no estrangeiro. A ideia é fomentar a inovação com um cenário que valoriza a singularidade de cada projeto, assim como suas influências e processos. Para visitar a exposição acesse.

'Arquiteto - Cidade'
A Afex - Arquitetos Franceses para Exportação apresenta a exposição “Arquiteto - Cidade” com diferentes projetos vencedores e destacados dos últimos dez anos. Afex, Architectes Français à l'Export, é uma associação francesa com mais de 200 membros, incluindo 120 escritórios de arquitetura, assim como engenheiros, urbanistas, paisagistas, designers de interiores, gerentes de projetos e industriais, agregando mais de 5000 profissionais. Como parte de suas missões, a Afex organiza o Grande Prêmio Afex de arquitetura francesa no mundo, desde 2010. Este Grande Prêmio e os eventos associados visam a divulgar e promover, na França e no mundo inteiro, a qualidade da produção arquitetônica francesa no exterior.

Um dos projetos em destaque desta exposição é o projeto da "Cidades das Artes" (RJ), do arquiteto e urbanista francês Christian de Portzamparc. Sua arquitetura responde às belas curvas das montanhas e à linha do mar. Porta de entrada da Barra da Tijuca, a Cidade das Artes é vista como uma grande casa, uma varanda sobre a cidade, homenagem a um arquétipo da arquitetura brasileira. Christian de Portzamparc, graduou-se na École Nationale des Beaux Arts em Paris, em 1970 e desde então tem sido notado por seus projetos arrojados e seu toque artístico; seus projetos refletem uma sensibilidade com seus ambientes e a cidade é um princípio básico de seus trabalhos.

13 curtas
A programação Curta em francês - Espèces d’espaces (Espécies de espaços), organizada pela Aliança Francesa Brasil em parceria com o Sesc São Paulo e com o apoio da Embaixada da França no Brasil do Institut Français e da Wallonie-Bruxelles International, está de volta com uma edição especial on-line e gratuita pela plataforma Sesc Digital, com 13 curtas sobre a temática da arquitetura, urbanismo e desenvolvimento territorial em diferentes direções.

Em sinergia com os temas discutidos durante a UIA 2021 e com o objetivo de provocar o intercâmbio de ideias e experiências e incentivar debates, a mostra apresenta uma seleção de curtas-metragens que tratam dos temas de diferentes maneiras, tanto através de uma abordagem mais contemporânea ou mais histórica, fornecendo exemplos de planejamento do uso do solo no ambiente urbano e até mesmo social.

O título da série “Espèces d´espaces” (em português, "Espécies de espaços"), é uma referência à obra de Georges Perec. O autor Georges Perec, tal como essa programação de curta-metragens, decidiu focar na poética dos espaços que nos rodeiam. A arquitetura e o urbanismo nos permitem reconsiderar os lugares nos quais moramos e o vínculo entre trajetória pessoal, íntima e os espaços. Os filmes, contam a cidade com um olhar documental, histórico, romântico, político ou até alternativo.

Tem curtas-metragens contemporâneos, como por exemplo, "Gagarine" (2015), adaptado em largo metragem para o cinema este ano e o "Le plus petit appartement de Paris" (2014), com atores cada vez mais destacados na França. Aqui o público poderá assistir a filmes de diretores mais clássicos, como "L'école des facteurs" (1947), do famoso diretor Jacques Tati, ou "L'Amour existe" (1961), de Maurice Pialat.

Para tratar de patrimônio, o filme "Correspondance privée sur un lieu public", de Jeanne Labrune (1988) reúne herança arquitetural e história de amor à perfeição. Para este programa, há também dois filmes de Sami Lorentz e de Audrey Espinasse, lindos testemunhos das periferias parisienses. Vão viajar de Paris a Aix-en-provence, com o diretor Pierre Coulibeuf que também está agora exposto no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo. Além disso, a mostra destaca a difusão do trabalho de oito mulheres diretoras e reflete a diversidade quanto aos tipos de filmes: documentários, ficções e animação.

A arquitetura e o urbanismo, são os cenários de base de muitos assuntos, e o público poderá descobrir histórias de amor, da vida cotidiana, de aprendizagens; e a construção de si mesmo se funde com a construção dos prédios.

O que poderiam nos dizer os edifícios que nos rodeiam se eles pudessem falar? Neste podcast, cinco lugares franceses contam suas histórias, na primeira pessoa. Por meio desses relatos, descobrimos o patrimônio e o dia-dia francês em diferentes pontos do território. Seja monumentos históricos, seja prédios residenciais, esses “Lieux-dits” narram a França de hoje.

Canal AFluência com novos podcasts
O que poderiam nos dizer os edifícios que nos rodeiam se eles pudessem falar? Neste podcast, cinco lugares franceses contam suas histórias, na primeira pessoa. Por meio desses relatos, descobrimos o patrimônio e o dia-dia francês em diferentes pontos do território. Seja monumentos históricos, seja prédios residenciais, esses “Lieux-dits” narram a França de hoje.

Episódio 1: Notre-Dame de Paris
Episódio 2: Le Palais idéal du Facteur Cheval
Episódio 3: Les traboules de Lyon
Episódio 4: Le Parc aux lièvres d’Evry
Episódio 5: Le Moulin Rouge

Lieux-dits
É um podcast escrito pela Clémentine Spiler. A versão francesa é narrada pela Clémentine Spiler e realizada por Malo Williams. A parte administrativa foi feita pela Veda Sphere (Elise Viard). As versoes em português sao narrados pelos André Curti & Artur Ribeiro da Companhia Dos à Deux e Laila Garin, realizada por Gabriel Reis(Podmix) e traduzida pela Cristiana Brindeiro. Os jingles são de autoria do Tucaninho Musical (Raquel Rihan Cypel e Bidu Campeche).

Um rolê diferente no Rio
Em uma série de 10 podcasts - 5 episódios cariocas e 5 franceses - o ouvinte se surpreenderá com fatos inusitados e histórias curiosas.

Sabia que no bairro de Guadalupe, na zona Norte, tem casas-iglus? Que nos anos 70, a praça Saens Peña, na Tijuca, tinha mais cinemas do que a Cinelândia, no Centro? Em cinco episódios, o canal de podcasts AFluência leva o ouvinte a descobrir os "Bairros de Janeiro". Nos bairros emblemáticos como nas vielas menos frequentadas, os habitantes se convertem em guias para um passeio sensorial pela Cidade Maravilhosa. Eles contam as próprias histórias e os próprios bairros ao microfone da jornalista Sarah Cozzolino. Um episódio cada dia, entre 19 e 23 de julho. Em francês e em português. Uma viagem em 5 etapas: Copacabana - Tijuca - Centro - Morro da Providência / Zona portuária - Guadalupe.

Baroque in Rio
Três documentários que estreiam durante o Congresso Mundial de Arquitetos, promovido pela União Internacional de Arquitetos (UIA), em 20 e 21 de julho, ficarão disponíveis para todos os participantes. São eles: Música da Independência, Órgãos Ibéricos viajantes e Encontros Musicais no Hotel de Noailles. Os vídeos apresentam um contraponto entre o barroco brasileiro e europeu, com a apresentação de repertórios de grandes compositores ambientados em edificações excepcionais.

Cada episódio recebe os comentários sobre as conexões entre os repertórios e os locais emblemáticos por especialistas como: o jornalista, escritor e prefeito de Ouro Preto, Angelo Oswaldo de Araújo Santos, e o arquiteto Sérgio Magalhães.

Julien Chauvin, Olivier Baumont e Rosana Lanzelotte assinam a direção artística e concepção do projeto, que contou com o patrocínio do Consulado Geral da França no Rio de Janeiro, o apoio da Aliança Francesa do Rio de Janeiro e a realização é do Musica Brasilis.
O primeiro episódio da série, "Música da Independência", foi gravado na Igreja da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência (1773). O programa celebra os 200 anos da Independência. São revividas obras dos principais compositores do período, inclusive D. Pedro I, interpretadas por Rosana Lanzelotte (pianoforte), Tomaz Soares (violino) e Marcus Ribeiro (cello). As obras musicais são contextualizadas pela narração de Adam Lee, que revive D. Pedro I, e pela entrevista com o arquiteto Sérgio Magalhães.

O segundo episódio, "Órgãos ibéricos viajantes", faz um contraponto entre os órgãos barrocos das igrejas Matriz de Santo Antônio (Tiradentes, MG) e de Saint-Éloi (Fresnes, França). Ambos provenientes da Espanha, os dois órgãos são contemporâneos e têm muitas características em comum. As peças musicais, interpretadas por Jean-Luc Ho e Robson Bessa, são intercaladas pela entrevista com Angelo Oswaldo de Araújo Santos.
O terceiro episódio da série, "Encontros musicais no Hotel de Noailles", apresenta o Projeto de Mansart, do séc. XVII. O Hotel de Noailles foi sede de intensa atividade musical. Em 1778 hospedou, ao mesmo tempo, Mozart e Johann Christian Bach, cujas obras são apresentadas, além das de compositores do barroco francês, por Olivier Baumont (cravo), Julien Chauvin (violino), Atsushi Sakai, viola da gamba e Aurélien Delage (cravo e pianoforte). As conexões do local com a música são comentadas por Françoise Brissard.

 


Baroque In Rio - música e patrimônio arquitetônico


Fonte: JB

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31