MINAS GERAIS, Belo Horizonte - Instituição disponibiliza seu acervo para criação de obras que promovam reflexões sobre a relação entre arte, ciência e tecnologia


Parte do acervo mineral MM Gerdau (Crédito: Jomar Bragança)

Com a prorrogação, as inscrições vão até o próximo dia 28. Dez artistas serão escolhidos e participarão de uma residência artística acompanhada por interlocutores multidisciplinares.

O novo edital CoMciência é um marco do programa promovido pelo MM Gerdau. Pela primeira vez, o museu disponibiliza seu rico acervo mineralógico para a criação de obras comissionadas. Este é o terceiro edital lançado pelo programa e um dos diferenciais desta edição é a escolha dos vencedores a partir de suas trajetórias e conexões com as temáticas do programa e não em função da viabilidade de um projeto apresentado, ampliando o acesso aos interessados. Serão selecionados ao todo 10 participantes, além de 6 suplentes, nas seguintes categorias: nativo digital, site-specific e escrita. Por conta disso, o MM Gerdau passa a ser uma das primeiras instituições museológicas do país voltadas para promover a ciência e a tecnologia a disponibilizar seu acervo para a criação artística.

As novas tecnologias impactaram todos os setores, incluindo o fazer artístico. E esse fenômeno possibilitou o surgimento de uma categoria denominada Nativo Digital, abrigando trabalhos concebidos especialmente a partir de uso de recursos tecnológicos como computadores, tablets, câmeras, videogames, aparelhos de celulares e uma série de outros dispositivos capazes de auxiliar tanto na criação quanto na operação de mecanismos artísticos. Já a categoria site-specific compreende as obras criadas especialmente para o local onde ficarão expostas, ou seja, para o espaço expositivo do museu. A categoria escrita, é outra ação inédita no edital e abre espaço para a participação de um selecionado, que ficará responsável por documentar os processos e as pesquisas inerentes ao programa.

O edital coMciência 2021-2022 - Jardim Mineral: residência criativa e exposição autoral é na verdade um convite a artistas, cientistas, pesquisadores e criativos a desenvolverem trabalhos tomando como ponto de partida o vasto acervo do museu. Com a prorrogação, edital receberá inscrições até 28 de julho de 2021, impreterivelmente. Os selecionados deverão participar de uma residência artística entre os meses de setembro, outubro e novembro e os trabalhos poderão ser conferidos pelo público durante uma exposição, que será realizada entre os meses de dezembro de 2021 e março de 2022.

Os resultados serão divulgados no dia 27 de agosto. A exposição dos trabalhos selecionados será realizada entre os meses de dezembro de 2021 e março de 2022. O edital e todas as informações e formulários para inscrição estão disponíveis no site: www.programacomciencia.org.br

Para incentivar a participação de pessoas com deficiência, haverá o suporte de vídeos com tradução em libras e transcrição em áudio. Caso entre os selecionados, existam pessoas com deficiência auditiva e/ou visual, elas contarão com o suporte de tradutores e audiodescritores durante todo o processo. Os selecionados receberão bolsas de incentivo, divididas em: bolsa residência e bolsa criação. A bolsa residência é destinada aos custos referentes à participação na residência artística. Já a bolsa criação se destina aos custos referentes à criação e execução da obra. O valor total distribuído para os selecionados será de: R$ 88.500,00 (oitenta e oito mil e quinhentos reais), sendo:

06 (seis) bolsas para obras nativo digital
Bolsa residência: R$5.100(cinco mil e cem reais) por participante
Bolsa criação: R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais) por execução

03 (três) bolsas para obras site-specific
Bolsa residência: R$ 5.100,00 (cinco mil e cem reais) por participante
Bolsa criação: R$ 9.000,00 (nove mil reais) por execução

01 (uma) bolsa para o desenvolvimento de escrita
Bolsa residência: R$ 3.300,00 (três mil e trezentos reais)

O Acervo do MM Gerdau
Assim como temos a riqueza da biodiversidade, temos também a Geodiversidade - um universo particular, com ambientes geológicos únicos, de serras, mares, montanhas, cordilheiras, desertos, dunas, vulcões e tantos outros, de belezas magníficas, que seguem confiando à humanidade surpresas, fascínio, magnificência e possibilidades de apreciação, mesmo após cinco bilhões de anos da formação do planeta Terra. Entre a origem dessas singulares formações, destaca-se aqui o popularmente conhecido “reino mineral''. É deste reino que serão retirados os recursos minerais que integram as matérias-primas dos produtos, objetos e insumos que consumimos em nossas vidas, no nosso dia a dia. É este reino que possui quase seis mil espécimes minerais identificadas no planeta e, possivelmente, tantas outras a serem descobertas ainda. E é a este reino que pertence o DNA do acervo do MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal, fonte de inspiração às pessoas interessadas em participar deste edital.

O "jardim mineral", em geologia, pode ser considerado o reino mineral. Ambiente geológico, inorgânico, onde é possível o crescimento dos cristais, também conhecidos, afetivamente, de "flores do mundo inorgânico". A diversidade das espécimes minerais é algo que impressiona e encanta pela ampla variedade de cores, formas, tamanhos e propriedades físicas.


Parte do acervo mineral MM Gerdau (Crédito: Jomar Bragança)

Residência artística e exposição autoral
Os selecionados no edital irão participar de uma residência artística para acesso e conhecimento de todo o acervo do MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal, além de encontros com mentores para auxiliar no processo de criação dos trabalhos. A residência se dará no formato virtual e híbrido, sendo os encontros virtuais destinados às transmissões para conhecimento do acervo.

Durante o período de três meses serão promovidas aulas expositivas, bate-papos, orientações, diálogos e conversações com o intuito de auxiliar no desenvolvimento do processo criativo. Simultaneamente, artistas, cientistas, pesquisadores e criativos produzirão trabalhos para uma exposição autoral, que deverá ser apresentada em ambiente virtual e também físico, nas dependências do museu MM Gerdau. Ao se inscrever, o participante deverá optar se pretende criar um trabalho para o espaço virtual ou para o espaço físico, que receberá visitas presenciais do público.

Para a terceira edição do edital coMciência, a equipe do MM Gerdau convidou para a curadoria artística e os diálogos de criação artistas, cientistas e pesquisadores em arte, ciência e tecnologia, residentes no Brasil, em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro, assim como nomes residentes em países como Canadá e Japão, garantindo diálogos locais e globais. Com larga experiência em suas áreas de atuação, os convidados acompanharão todo o processo de criação dos participantes.

Curadoria artística e interlocuções entre Arte, Ciência e Tecnologia
Bárbara Castro é artista, pesquisadora, programadora atuando nos campos de visualização de dados, exposições e experiências interativas e professora na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).

Gabriel Menotti é pesquisador e curador independente, atuando em diversas formas de cinema. Atualmente, trabalha como professor assistente em curadoria e imagem em movimento na Queen's University, em Ontário - Canadá.

Diálogos em Arte
Isabela Prado é artista visual, pesquisadora em artes e professora da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Vive e trabalha em Belo Horizonte. Em 2011, foi contemplada com o Prêmio Funarte de Arte Contemporânea, com o projeto “Entre Rios e Ruas”, que gerou recentemente a publicação do livro “Lição: se essa rua fosse um rio” (2016).

Diálogos em Geociências
Lúcia Maria Fantinel é Geóloga, mestre e doutora em Geociências e professora aposentada do Departamento de Geologia do Instituto de Geociências da UFMG. Atua no ensino e filosofia da geologia; geologia aplicada ao ambiente e à saúde humana e geologia urbana.

Diálogos em Tecnologia
Claus Aranha é cientista da computação e professor na Universidade de Tsukuba, Japão. Sua pesquisa é focada em Vida Artificial, Evolução Computacional e Inteligência Artificial para jogos como Lobisomem e Minecraft.

SOBRE o CoMciência:: www.programacomciencia.org.br
O coMciência é o programa de divulgação científica do MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal que, desde 2013, busca trazer temas atuais para debates, por meio de palestras e rodas de conversas, além de oferecer cursos ligados a temáticas científicas, mostras e feiras em parceria com instituições de ensino. Como museu de ciência e tecnologia, a ideia é desmistificar a ciência como lugar intocável, de difícil compreensão ou distante do universo da maioria das pessoas. O programa, por meio de suas atividades, busca aproximar o público do conhecimento científico, tornando-o mais palatável, com temas da atualidade e uma linguagem acessível.

Em sua 3ª edição, o edital do programa continua com a proposta de abrir espaços para propostas que promovam reflexões sobre a relação arte, ciência e tecnologia, mas desta vez, ele surge em uma nova versão, ainda mais completa e alinhada com os novos tempos e com os objetivos do museu. Nos anos de 2019 e 2020, o MM Gerdau convocou artistas, cientistas e pesquisadores em todo o mundo para a ocupação de seus espaços expositivos a partir de convites às perguntas e reflexões sobre a humanidade relacionadas à contemporaneidade.

SOBRE O MM GERDAU O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal :: |@mmgerdau |
O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, integrante do Circuito Liberdade desde 2010, é um museu de ciência e tecnologia que apresenta de forma lúdica e interativa a história da mineração e da metalurgia. Em 20 áreas expositivas, estão 44 exposições que apresentam, por meio de personagens históricos e fictícios, os minérios, os minerais e a diversidade do universo da Geociências. O Prédio Rosa da Praça da Liberdade, sede do Museu, foi inaugurado em 1897, juntamente com Belo Horizonte. Tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (IEPHA), o edifício passou por meticuloso trabalho de restauro, que constatou que a decoração interna seguiu o gosto afrancesado da época, com vocabulário neoclássico e art nouveau. O projeto arquitetônico para a nova finalidade do Prédio Rosa, que já foi Secretaria do Interior e da Educação, foi feito por Paulo Mendes da Rocha e a expografia, que usa a tecnologia como aliada da memória e da experiência, é de Marcello Dantas. Além da exposição permanente, o MM Gerdau oferece uma programação diversa e para todas as idades. Todas as atividades são gratuitas e estão sendo oferecidas em formato digital. O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal é patrocinado pela Gerdau, via lei Federal de Incentivo à Cultura, com o apoio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM).

MM Gerdau prorroga inscrições para edital coMciência 2021-2022 - Jardim Mineral: residência criativa e exposição autoral

Inscrições prorrogadas até 28/07/2021, pelo site www.programacomciencia.org.br

Fonte: divulgação por e-mail

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31