DISTRITO FEDERAL, Brasília - Cidade é apresentada por guia de turismo local que conta curiosidades e história da capital maranhense


Palácio dos Leões, localizado no Centro Histórico de São Luís (Crédito: Douglas Junior/MTur)

Mais do que amor, São Luís (MA) transborda beleza, história, cultura e um povo acolhedor para ninguém botar defeito. Abrigo de um dos Patrimônios Culturais do Mundo (Centro Histórico de São Luís), a capital do Maranhão completa nesta quarta-feira (08.09) 409 anos repleta de atrativos prontos para atender aos mais variados perfis de turistas. E não há nada melhor do que aproveitar esta data especial para conhecer cada cantinho dessa cidade. Para nos ajudar a desbravá-la, a Agência de Notícias do Turismo convidou o guia maranhense Darlan Jorge de Jesus Silva, que irá mostrar a famosa “Ilha do Amor”. Vamos embarcar nessa?

Para começar, Darlan recomenda partirmos de um dos maiores símbolos da cultura maranhense. “Eu diria que podemos iniciar no memorial do Palácio dos Leões, de onde se tem uma visão privilegiada de São Luís. De lá você consegue ver a parte contemporânea, a cidade industrial e a cidade antiga do século 17. Uma visão perfeita” disse. O Palácio dos Leões é o edifício-sede do governo do estado, localizado no Centro Histórico da cidade, que foi tombado pela Unesco como Patrimônio Mundial no século passado. “Desse mesmo ponto se contempla um belo estuário onde se vê a segunda ou terceira maior variação de maré do planeta, com 4 km de extensão”, complementa.

Andando mais um pouco, encontramos o eixo cívico-religioso da cidade. Além do Palácio dos Leões, já destacado por Darlan, o turista pode conferir os prédios do poder municipal, da justiça e a igreja. Segundo ele, a sede da prefeitura, antigamente, era uma Casa de Câmara e Cadeia. “São símbolos de poder que os portugueses sempre colocavam. Eles criavam três símbolos de poder para que uma cidade pudesse ser fundada: a casa de câmara, pelourinho e igreja. O nosso pelourinho não ficou em frente à igreja, porque foi uma colonização atípica”, disse o guia. São Luís foi colonizada por franceses e holandeses.

Dando continuidade ao nosso passeio, paramos na Praça dos Poetas. O local é dedicado a homenagear os grandes poetas maranhenses, como Gonçalves Dias e Maria Firmina, primeira romancista negra e abolicionista do Brasil. Logo em seguida, parar na antiga residência de Ana Jansen e de Graça Aranha é obrigatório. Outro ponto importante para se visitar é a Escadaria do Beco do Silva. “Sempre levo as pessoas para tirar foto lá”, pontuou Darlan. Ainda dá para dar uma passada na Praça Benedito Leite e apreciar a 6ª rua mais bonita do Brasil, a Rua do Giz.

Se você procura conhecer um pouco mais da arquitetura da cidade, o guia indica uma parada na Catedral Metropolitana que guarda várias lendas que ficaram no imaginário popular. “Temos uma lenda que há uma serpente adormecida crescendo nessa igreja, que um dia sua cabeça vai se unir com a calda e vai destruir a ilha”, conta. A igreja foi construída no século 17 com estilo neoclássico e tombada pelo Iphan no século XX, por conta do altar-mor, do século XVIII, que é considerado um tesouro da arte barroca brasileira.

“Vale a pena visitar também o Teatro Artur Azevedo, o segundo teatro mais antigo do Brasil e onde nasceu a primeira atriz do teatro brasileiro, Apolônia Pinto”, destacou Darlan. A fachada do teatro também foi construída no estilo neoclássico e segundo a opinião de alguns artistas que por lá passaram, o local possui a melhor acústica de todos os teatros do Brasil. São Luís é dona ainda do maior conjunto arquitetônico europeu fora da Europa de casarões azulejados, na Rua Portugal.

MUSEUS
Por ser rica em cultura e história, os turistas podem encontrar em São Luís uma gama de museus na cidade. De acordo com Darlan, podemos destacar o Museu de Arte Sacra, localizado ao lado da Catedral Metropolitana; o de Gastronomia, situado na Rua da Estrela; e o do Tambor de Crioula, também na mesma rua. “Temos ainda o Museu de Arqueologia, que fica na Rua do Giz junto ao do Índio; A Casa de Cultura Domingos Vieira Filho, o Museu de Artes Visuais; o Museu da República, no Convento das Mercês; e a Casa do Maranhão, que nos traz um pouco da cultura do Bumba-meu-boi”, concluiu.

PARQUES E PRAIA
Para finalizar a visita, o guia Darlan nos apresenta uma das novidades em atrativos na capital: o Parque São João Paulo Segundo. Em 64 mil metros quadrados, o parque contém vários equipamentos como, praças, jardins, playground, praça de alimentação e local para feiras e eventos. Quando o assunto é praia, o recomendado é a Praia de São Marcos. Bastante frequentada por turistas, o local chama a atenção pelas ruínas do Forte de São Marcos e suas dunas que são cobertas por vegetação rala. A região também é bastante visada pelos amantes do Turismo de Aventura e praticantes de esportes radicais como o Kitesurf, modalidade aquática que utiliza o vento como força propulsora para se locomover.

GASTRONOMIA
A culinária típica da região é um misto de tradições europeia, africana e indígena e atrai turistas que vêm de longe para experimentar as iguarias locais cheias de cores e sabores, como o cuxá (puro ou misturado com arroz), o peixe escabeche, a peixada maranhense, o caranguejo “toc toc” ao leite de coco, a torta de caranguejo ou camarão seco, e tudo isso regado a muito coentro, tempero tradicional da região.

Fonte: MTur - Victor Maciel

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30