SÃO PAULO, São Paulo - Artistas emergentes expõem trabalhos inéditos em ocupação artística urbana, ao lado dos renomados Leonilson e Sonia Andrade, em iniciativa que democratiza o acesso à arte e integra a plataforma Green Your City da Heineken®


Oscar Niemeyer. Edifícios no centro de SP (Crédito: Nelson Kon)

Reconhecida por sua pluralidade, São Paulo movimenta grande parte da cena artística nacional e é considerada palco de importantes iniciativas do setor. A vocação da cidade para a cultura está também em ocupar - rompendo os limites físicos da arte exposta em museus - galerias, instituições e centros culturais, incorporando-a no dia a dia de quem vive em cada espaço da cidade. Neste contexto, conectando arte à paisagem e aos espaços públicos, o projeto arte_passagem, apoiado pela plataforma Green Your City da Heineken®, acontece com intuito de fortalecer a arte por meio de intervenções de artistas renomados e emergentes em espaços públicos. O endereço escolhido, localizado no centro de São Paulo, é o prédio icônico projetado por Oscar Niemeyer na década de 50, o Edifício Eiffel, que tem sua galeria comercial tomada por exposições a partir de 26 de novembro.

Criada pelos artistas Ilê Sartuzi, Matheus Chiaratti, Pedro Zylbersztajn e o curador João Paulo Quintella, a ocupação tem como principal objetivo democratizar o acesso à arte por meio de uma mostra pública e gratuita em um ponto central da cidade, que é também um cartão postal para os amantes da arquitetura modernista. Quem passa todos os dias pela Praça da República se surpreende com o formato inusitado do prédio - o último projetado por Niemeyer na capital paulista, que tem unidades residenciais com vista para a praça, cobogós redondos e uma galeria de lojas de acesso público. Ressignificando o espaço, o arte_passagem endossa sua vocação ao longo de três exposições e duas performances, que acontecerão até março de 2022, com intuito de estimular a (con)vivência do edifício histórico.

O nome do projeto não vem por acaso, mas sim por um desejo de impactar o maior fluxo de olhares em um ambiente fora do eixo cultural, onde acontece a vida cotidiana, que abriga bombonieres, salões de beleza, oficinas e demais comércios. Em meio às vitrines, ironicamente reunidas em uma chamada "galeria comercial", o espaço se torna propício para junção de arte e paisagem. "A ideia é que os projetos sejam conceitualizados e lidos em relação ao contexto onde estão inseridos, e vistos pelos transeuntes da cidade, no fluxo de suas passagens", explica o idealizador e artista Ilê Sartuzi.


Ana Matheus Abbade Processo para Mulher de Pedra, 2019 - 2021

Para a primeira intervenção, que fica em cartaz até 8 de janeiro, obras inéditas e comissionadas das artistas Ana Matheus Abbade e Agrippina R. Manhattan ocupam a vitrine. Carioca de São Gonçalo, Abbade apresenta uma série de intervenções instalativas que se originam de sua pesquisa com substâncias químicas, e que mais tarde se transformam em ativação performática com tecidos sendo tingidos na calçada em frente à galeria. Nascida também em São Gonçalo, o trabalho de Manhattan parte de uma preocupação sobre tudo que restringe a liberdade: palavras, pensamentos, normas e hierarquias. Pensando escultura como poesia e poesia como escultura, um letreiro de led marca a participação da artista.

Ainda, a consagrada Sonia Andrade, conhecida pelo pioneirismo da videoarte no Brasil, mostra na exposição um vídeo acompanhado de uma fotografia dos anos 2000, onde são sobrepostos espaços geográficos distintos que apontam para diferentes relações do olhar com o espaço público. Seus vídeos experimentais colocam o corpo no centro da ação, construída na relação direta com a televisão como meio. Sem espetacularização, seu corpo entra em confronto com a tela e com o aparelho, ora disposto no centro da imagem, ora introduzido em uma gaiola – uma metáfora para a imagem televisiva como aprisionamento.

Como parte dessa primeira ativação desse espaço, a artista Fabiana Faleiros, realizará uma performance na praça em frente à vitrine no dia 11 de dezembro. Até abril de 2022, o espaço recebe outras duas intervenções artísticas que permeiam temas da contemporaneidade, como afetividade e sexualidade sob um viés político, comportamento social, lugar de fala e padrões estéticos. Em um diálogo entre tempos, o edifício modernista convive com ocupações urbanas que integram o projeto arte_passagem, reforçando o papel da arte em retratar o período e contexto em que ela acontece.


Agrippina R. Manhattan, 'A Linha e a Agulha', 2018 (Foto: divulgação)

Próximas exposições
Na segunda intervenção do arte_passagem, a partir de 13 de janeiro de 2022, a galeria comercial do Edifício Eiffel recebe Rafael RG, com trabalhos pautados nas relações afetivas e sexuais e suas implicações políticas, representações do amor na literatura e artes plásticas, além de questões raciais e culturas afro diaspóricas. Para esta intervenção, o paulista estabelece um contraponto com reproduções dos adesivos de Leonilson, um dos um dos maiores nomes brasileiros da arte contemporânea, também expostos no espaço.

Em fevereiro, o Grupo Mexa apresenta a última performance do projeto que, através da dança, assume lugares de fala e de falha de conceitos para enquadrar corpos e estéticas. A dupla Amador e Jr - Segurança Patrimonial são os representantes do projeto em sua última etapa, que acontece em 11 de março. O duo formado por Antonio Gonzaga Amador e Jandir Jr - Amador e Jr - Segurança Patrimonial propõe performances com os artistas, necessariamente, trajados com uniformes de segurança, com ações específicas para cada ambiente. Seus trabalhos são pautados pelas relações entre os espaços artísticos institucionais em sua dimensão pública e as pessoas que trabalham cotidianamente em sua salvaguarda, em um exercício de especulação sobre os trabalhadores nestas funções.

Sobre o arte_passagem
O arte_passagem começou em 2018 como uma ocupação artística de uma vitrine na Galeria das Artes do centro de São Paulo, onde, periodicamente artistas eram convidados a intervir através de propostas que dialogassem com o entorno do centro da cidade. Entre 2020 e 2021, o projeto passou a realizar um programa online chamado "Alguns Dias". A partir de novembro deste ano, o arte_passagem ocupa um novo endereço no Edifício Eiffel, ainda no centro de São Paulo, onde continuará sua programação de comissões para artistas intervirem no espaço em contato com o contexto em que está inserido.

Sobre o Green Your City
Desde 2020, a Heineken anunciou sua produção com energia 100% renovável nas fábricas de Alagoinhas (BA), Araraquara (SP), Ponta Grossa (PR) e, até 2023, em Jacareí (SP). Além da produção, a marca possui outras diversas parcerias, compromissos e metas de sustentabilidade. (saiba mais em www.heinekenenergiaverde.com.br). Em novembro desse ano, lançou a plataforma Green Your City, uma série de iniciativas que trazem o olhar da sustentabilidade para a vida noturna, a cena cultural e para as relações com as cidades, e que tem compromissos firmados em três diferentes pilares: economia circular, cidades mais verdes e consumo responsável. Um convite de Heineken para juntos repensarmos a vida nas cidades e criarmos juntos um futuro mais sustentável. Heineken acredita no potencial humano e coletivo como agente de mudança e, por isso, tem como objetivo usar cada oportunidade para também estimular atitudes individuais no desenho de cidades mais sustentáveis, por meio de apresentação de soluções, novas possibilidades e novas perspectivas. Pois, afinal, momentos de lazer, espaços culturais, festivais de música e até mesmo uma mesa de bar entre amigos podem se tornar espaços de reflexão, aprendizagem e mudança de comportamentos, com imenso potencial de multiplicação.


Sonia Andrade, vídeo-instalação pública, 2002 | detalhe da instalação no Parque Lage, RJ, 2004 (Foto: divulgação)

Serviço
arte_passagem
Primeira Intervenção, com Sonia Andrade, Ana Matheus Abbade e Agrippina R. Manhattan
Abertura: 26 de novembro, a partir das 16h.
Local: Galeria comercial do Edifício Eiffel, na Praça da República, 177 - Centro Histórico de São Paulo.
Período expositivo: de 26 de novembro a 8 de janeiro de 2022, segunda a sexta, das 9h às 18h e aos sábados, das 9h às 13h.
Entrada gratuita

Segunda Intervenção, com Rafael RG e Leonilson
Abertura: 13 de janeiro, a partir das 16h.
Período expositivo: de 13 de Janeiro a 26 de Fevereiro, segunda a sexta, das 9h às 18h e aos sábados, das 9h às 13h.
Entrada gratuita

Terceira Intervenção, com Amador e Jr - Segurança Patrimonial
Abertura: 11 de março, a partir das 16h.
Período expositivo: de 11 de março a 23 de abril, de segunda a sexta, das 9h às 18h e aos sábados, das 9h às 13h.
Entrada gratuita

Sobre o Grupo HEINEKEN no Brasil
O Grupo HEINEKEN chegou ao Brasil em maio de 2010, após a aquisição da divisão de cerveja do Grupo FEMSA e, em 2017, adquiriu a Brasil Kirin Holding S.A ("Brasil Kirin"), tornando-se o segundo player no mercado brasileiro de cervejas. O Grupo gera mais de 13 mil empregos e tem 15 unidades produtivas no país, sendo 12 cervejarias, localizadas em Alagoinhas (BA), Alexânia (GO), Araraquara (SP), Benevides (PA), Caxias (MA), Igarassu (PE), Igrejinha (RS), Itu (SP), Jacareí (SP), Pacatuba (CE), Ponta Grossa (PR) e Recife (PE), duas micro cervejarias em Campos do Jordão (SP) e Blumenau (SC) e uma unidade de concentrados para refrigerantes em Manaus (AM). No Brasil, o portfólio de cervejas do Grupo HEINEKEN é composto por Heineken®, Sol, Amstel, Kaiser, Bavaria, Eisenbahn, Baden Baden, Devassa, Schin, Glacial, No Grau, Kirin Ichiban e Lagunitas. O portfólio de não alcoólicos inclui Água Schin, Schin Tônica, Skinka e os refrigerantes Itubaína, Viva Schin e FYs. Com sede em São Paulo, a companhia é uma subsidiária da HEINEKEN NV, a maior cervejaria da Europa.

Fonte: divulgação por e-mail

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31