DISTRITO FEDERAL, Brasília - Os ministério da Cultura (MinC) e do Turismo (MTur) trabalham em parceria para a atualização do Guia Brasileiro de Sinalização Turística.

O projeto integra o Plano Brasil Mais Turismo, programa desenvolvido a pedido do presidente Michel Temer que prevê diversas ações interministeriais. A nova versão do Guia, criado em 2001, está prevista para ser lançada até o fim de 2017. Essa é a primeira atualização do material nesses quinze anos de existência.

O trabalho tem como objetivo adotar premissas alinhadas com a evolução tecnológica ocorrida nas duas últimas décadas. Devem ser incorporadas orientações para as estratégias de sinalização de acordo com a natureza do reconhecimento patrimonial, com os princípios de interpretação do patrimônio, com a linguagem direta para a comunicação de públicos e com os meios tecnológicos de informação sobre os atrativos turísticos que venham a ser sinalizados.

Juntamente com o MTur, o MinC, por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), realiza estudos específicos para atualização do Guia, incorporando orientações técnicas já desenvolvidas com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) para os Sítios do Patrimônio Mundial. Também serão contempladas possíveis inovações tecnológicas disponíveis atualmente no mundo. Com o estabelecimento de uma identidade gráfica comum, que una sítios patrimoniais de interesse turístico, como os Sítios do Patrimônio Mundial, por exemplo, é possível destacar uma marca que valorize destinos turísticos pelo seu forte sentido patrimonial.

Segundo o diretor de Articulação e Fomento do Iphan, Marcelo Brito, a publicação constitui-se como importante ação para superar desafios da hospitalidade informada nas localidades em relação aos seus atrativos turísticos; garantir direitos de acessibilidade; melhorar mobilidade urbana diante do aumento de fluxos turísticos cada vez mais globalizados; e otimizar sistemas existentes de informação pública, que, em geral, são escassos.

"É importante adotar um padrão de sinalização que valorize os atrativos turísticos, estimule o processo de cidadania por meio da educação patrimonial sobre os bens materiais e imateriais da localidade e amplie a sua acessibilidade, seja física ou intelectual", afirma Marcelo Brito.  

O diretor explica que o tema "sinalização" tem sido um dos itens mais criticados por turistas nacionais e internacionais, ao lado da segurança e limpeza. Seja pelo oferecimento de informação pouco qualificadas ou pela inexistência de algo que sinalize o local. Brito informa que esses dados constam em estudos realizados pelo Ministério do Turismo (MTur), para nortear soluções concretas de implantação, uso correto e compreensão das indicações gráficas que compõem um sistema de sinalização.

O Iphan e a Unesco lançaram, em janeiro de 2014, a publicação "Sinalização do Patrimônio Mundial no Brasil – Orientações Técnicas para Aplicação". Esse lançamento gerou maior visibilidade aos vinte sítios brasileiros declarados como Patrimônio Mundial, sendo treze sítios culturais e sete sítios naturais.

Os ministros Roberto Freire, da Cultura e Marx Beltrão, do Turismo, trataram sobre os preparativos para o lançamento do Plano Brasil Mais Turismo, programa que prevê ações conjuntas da pasta do Turismo com outros ministérios, em reunião realizada no último dia 27 de dezembro. Segundo Beltrão, o lançamento do conjunto de medidas ainda não tem uma data definida, mas deve ser divulgado até o início de fevereiro. "A expectativa é que o plano intensifique o turismo nacional", disse Marx Beltrão.

O ministro Roberto Freire considera que os projetos do Plano Brasil Maior são de extrema relevância para ambas as pastas e para o Brasil. "O turismo tem um chamariz tremendo pela boa utilização de seu patrimônio. É fundamental que possamos melhorar a interação entre as áreas cultural e turística", destacou Freire.

Sobre o Guia
O Guia Brasileiro de Sinalização Turística foi criado em 2001, em trabalho conjunto desenvolvido à época por Iphan, Embratur e Denatran. O documento pretendeu ressaltar a importância dos recursos patrimoniais como elemento que desperta forte interesse turístico, e apresenta grande potencial econômico para o desenvolvimento do País. O Guia considera a autenticidade e o caráter único dos sítios históricos, artísticos, naturais e arqueológicos como o maior atrativo para o visitante. Sobretudo, quando se leva em conta exemplos como gastronomia, folclore, festas religiosas, e populares, além dos saberes e fazeres que compõem o significativo patrimônio imaterial brasileiro.

A sinalização turística nesses sítios patrimoniais pode ser considerada ainda mais estratégica quando se pretende fortalecer e destacar destinos turísticos de dominância patrimonial importante, como, por exemplo, Ouro Preto, Diamantina, São Luís, São Miguel das Missões e Olinda, onde o patrimônio se constitui como elemento central para despertar interesse turístico.

Fonte: MinC

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31