MINAS GERAIS, Ouro Preto - O Museu da Inconfidência (Ibram/MinC) firmou parceria com a Fundação Aleijadinho para o conserto do relógio do prédio construído na Praça Tiradentes para ser a Casa de Câmara e Cadeia de Vila Rica e que hoje abriga a exposição de longa duração.

Entre os serviços prestados estão a lubrificação, a limpeza geral e a troca de peças desgastadas. A estimativa é de que as horas voltem a ser informadas corretamente ainda nesta semana.

Mecânico de manutenção Geraldo Roque Fernandes, o Itatiaia, observa interior da torre do relógio.
(Foto: Cláudia Klock)

O Prédio
O monumental edifício da Praça Tiradentes foi edificado entre os anos 1785 e 1855, destinado à nova sede do poder municipal. De autoria do capitão-general Luís da Cunha Meneses, governador da Capitania, o projeto foi elaborado já no declínio da atividade mineradora. Os recursos para o custeio da obra vieram de loteria criada para esse fim. Os serviços exigiram o estabelecimento de uma fábrica de cal e a mão-de-obra era de prisioneiros - negros e "vadios" - submetidos a trabalho forçado. Thomaz Antônio Gonzaga, nas Cartas Chilenas, critica os métodos adotados para garantir a continuidade da obra, considerados cruéis, abusivos e desumanos.

As sete décadas de construção da fortaleza contribuíram para que sua forma, calcada na horizontalidade e geometrismo do estilo renascentista, incorporasse diversas influências arquitetônicas.

A Câmara funcionou no imóvel por 25 anos, sendo posteriormente transferida para o endereço que ainda é o mesmo, na Praça Tiradentes. O casarão a partir dali foi então destinado, na totalidade, à prisão. No início do século XX, o governador João Pinheiro o transformaria em penitenciária estadual. Com a construção da Penitenciária de Neves nas imediações de Belo Horizonte, em 1938, o prédio, desocupado, passou ao domínio da União, para nele instalar o Museu da Inconfidência, cujo decreto de criação é de 20 de dezembro do mesmo ano.
 
Fundação Aleijadinho
A Fundação Antônio Francisco Lisboa – "O Aleijadinho" – foi instituída em março de 1996 pela juíza da Infância e Juventude, Dra. Lúcia de Fátima Magalhães Albuquerque e Silva, com o objetivo de promover o desenvolvimento socioeducacional da comunidade de Ouro Preto e região, além de desenvolver e apoiar projetos de esporte, educação, lazer e cultura para crianças e adolescentes. Também tem como objetivo levar seus projetos sociais às comunidades, expandindo sua área de atuação, formando os multiplicadores do conhecimento, ou seja, capacitando as pessoas para o trabalho onde estão inseridas, evitando assim o êxodo e garantindo a sustentabilidade familiar. É uma entidade não governamental, sem fins lucrativos, em busca constante de sua autonomia financeira. Possui título de utilidade pública municipal e estadual. Mais em www.fundacaoaleijadinho.com.br

Fonte: Ascom MI

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31