RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - "Cultura se faz da base da pirâmide para cima. Sinto-me honrado em dar continuidade a um projeto tão especial para os pontos de cultura que foram criados pelo nosso ministro Gilberto Gil. Nosso Estado merece o esforço de uma equipe que trabalha empenhada em ver o sorriso no rosto de cada um de vocês, como estou vendo hoje".

Esta é parte do discurso do secretário de Estado de Cultura, André Lazaroni, agora há pouco, na solenidade de assinatura da abertura de novo edital para contemplar projetos de dança, música, artesanato, capoeira, artes indígenas e de matrizes africanas, entre outras, que receberão cerca de R$ 6 milhões ao longo dos próximos três anos. É o maior edital, em termos de verba, liberado pela Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro nestes tempos de crise financeira.

A assinatura foi nesta tarde no ponto de cultura Humpame Kuban Bewa Lemin, em Sepetiba, com as presenças do secretário de Estado de Cultura, André Lazaroni; da superintendente de Cultura e Território da SEC/RJ, Verônica Nascimento; representantes dos pontos de cultura contemplados, entre outros. Foram contemplados projetos culturais de municípios como Sumidouro, Trajano de Moraes, Varre Sai, Búzios, Belford Roxo, São Pedro da Aldeia, Natividade, Angra dos Reis, São Sebastião do Alto, entre outros.

O programa "Cultura Viva no Estado do Rio de Janeiro" foi criado em 2007 pelo Ministério da Cultura (MinC) e pela Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro para incentivar, através de edital público, iniciativas culturais em diversos municípios do Rio. O primeiro edital do programa, aberto em 2008, contemplou 197 entidades culturais; o segundo, aberto em 2014 - mas sendo executado somente agora com essa assinatura em Sepetiba - acrescenta 34 instituições a esse número.

Fonte: SEC RJ

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31