RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - No Dia Mundial da Fotografia, o Museu de Arte do Rio – MAR, sob a gestão do Instituto Odeon – inaugura 'Feito poeira ao vento| Fotografia na Coleção MAR' e apresenta ao público um recorte fotográfico do seu acervo.

Com curadoria de Evandro Salles, diretor cultural do MAR, a exposição reúne cerca de 250 peças de 112 artistas, com obras que vão desde o século 19 até os dias de hoje. São nomes como Marc Ferrez, Kurt Klagsbrunn, Pierre Verger, Walter Firmo, Evandro Teixeira, Luiz Braga, Rodrigo Braga, Marcos Bonisson e Rogério Reis, entre outros.

 “Atualmente nossa coleção conta com mais de 6 mil obras, sendo que cerca de 2 mil estão no território da imagem e, em especial, da linguagem fotográfica. A mostra traz essa pluralidade do acervo, reunindo também experimentos que se dão em plataformas diversas da imagem, como o livro, o filme, a instalação, a pintura ou a performance, configurando a operação fotográfica como um gesto capaz de ir além de si mesmo e, com isso, demonstrando a potência da produção em termos históricos e atuais”, comenta o curador.

A exposição reverbera alguns dos núcleos significativos do MAR que conversam entre si, razão pela qual se apropria do nome de um trabalho de Dirceu Maués em exibição, um vídeo realizado a partir de fotografias pin hole (produzidas por caixinhas de fósforo transformadas em câmeras fotográficas) do mercado Ver-o-Peso, em Belém do Pará. Trabalhos de Evandro Teixeira – que percorre os caminhos de Graciliano Ramos e seus personagens mais famosos em “Vidas Secas”, de 1938, – e Jonathas de Andrade, com seu “ABC da Cana”, de 2014, lançam luz sobre a vida no sertão nordestino. Já o diálogo com questões indígenas e amazônicas, parte importante da Coleção MAR, se dá a partir da série “Transamazônica”, fotografada a partir de 1990, de Paula Sampaio, e a reflexão de Berna Reale sobre a violência.

Fotografias históricas do modernismo brasileiro assinadas por Kurt Klagsbrunn e Pierre Verger retratam um Rio de Janeiro do século 20, enquanto artistas contemporâneos investigam os personagens da cidade e suas formas – como na coleção “Anônimos”, de 2002, de Gustavo Malheiros e nas obras de Bruno Veiga. A mostra ainda se expande para além do espaço expositivo com fotografias do projeto Mão na Lata, da Maré, em uma série inspirada na literatura de Machado de Assis, realizado entre 2011 a 2013.

Completam a exposição trabalhos de fotógrafos mineiros que exploram a rica arquitetura das cidades de Minas Gerais e obras que propõe uma pesquisa sobre as relações dos artistas com seus corpos. A exposição vai ocupar as duas salas do 1o andar do Museu de Arte do Rio – MAR até 1 de julho de 2018.

Pedro David 'América', da série 360 Metros Quadrados, 2013/15 Fotografia analógica instantânea digitalizada e impressa por jato de tinta de pigmentos minerais, adesivada em foam board neutro e montada em molduras de madeira e vidro.(Col. MAR / Doação do artista)

Lista completa dos artistas
Adriana Varejão, Alair Gomes, Ana Linnemann, Ana Stewart, Ana Vitória Mussi, Ancil de Souza, André Hauck, Andy Warhol, Antonio Scorza, Augusto Araújo, Ayrson Heráclito, Bel Pedrosa, Berenice Abbot, Berna Reale, Bruna Kely Barbosa, Bruno Veiga, Celso Brandão, Chico Fernandes, Cláudia Jaguaribe, Coletivo Gang, Coletivo Política do Impossível, Daniel Santiago, Delson Uchôa, Dirceu Maués, Eduardo Kac, Elisa de Magalhães, Enrica Bernadelli, Evandro Teixeira, Fabio Caffé, Fernanda Junqueira, Franciele Braga, Frente 3 de Fevereiro, Fulvio Roiter, Geraldo de Barros, Géssica Nunes, Gratuliano Bibas, Grete Stern, Grupo EmpreZa, Gustavo Malheiros, Guy Veloso, Huberti, Hudinilson Jr., Ivan Grilo, Jailton Nunes, Joana Traub Csekö, João Castilho, João Farkas, João Penoni, Jonas Willami Ferreira, Jonathas de Andrade, José Lambert, Juliana de Oliveira, Julien Spiewak, Júlio Leite, Katie van Scherpenberg, Kurt Klagsbrunn, Larissa Paiva, Laura Bonfá Burnier, Lenora de Barros, Lucas Eduardo Mercês da Costa, Luiz Braga, Man Ray, Marc Ferrez, Marcel Gautherot, Marcone Moreira, Marcos Bonisson, Maria di Andrea Hagge, Mariano Klautau, Maurício Hora, Milton Guran, Montez Magno, Nicole Cristina da Silva, Niura Bellavinha, Noé Sendas, Octavio Cardoso, Orlando Maneschy, Otavio Schipper, Otto Stupakoff, Pablo Lobato, Paula Huven, Paula Sampaio, Paula Trope, Paulo Bruscky, Paulo Nazareth, Paulo Saboya Rio, Pedro David, Pedro Diniz Reis, Pedro Motta, Pico Garcez, Pierre Verger, Rafael Oliveira, Raul Mourão, Regina de Paula, Ricardo Villa, Rodrigo Braga, Rogério Reis, Sergio Zalis, Silvino Santos, Simone Michelin, Sinval Garcia, Steve Miller, Tiago Santana, Valdir Cruz, Vera Chaves Barcellos, Vicente de Mello, Virginia de Medeiros, Walter Carvalho, Walter Firmo, Wilton Montenegro, Wols, Yasmin Lopes, Yuri Firmeza e Zhong Weixing.

O Museu de Arte do Rio - MAR
O MAR é um espaço dedicado à arte e à cultura visual. Ocupa dois prédios na praça Mauá: um de estilo eclético, que abriga o Pavilhão de Exposições; outro em estilo modernista, onde funciona a Escola do Olhar. O projeto arquitetônico une as duas construções com uma cobertura fluida de concreto, que remete a uma onda – marca registrada do museu –, e uma rampa, por onde os visitantes chegam aos espaços expositivos.

Uma iniciativa da Prefeitura do Rio em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o MAR tem atividades que envolvem coleta, registro, pesquisa, preservação e devolução à comunidade de bens culturais. Espaço proativo de apoio à educação e à cultura, o museu já nasceu com uma escola – a Escola do Olhar –, cuja proposta museológica é inovadora: propiciar o desenvolvimento de um programa educativo de referência para ações no Brasil e no exterior, conjugando arte e educação a partir do programa curatorial que norteia a instituição.

O MAR é gerido pelo Instituto Odeon, uma organização social da cultura, selecionada pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro por edital público. O museu tem o Grupo Globo como mantenedor, o BNDES como patrocinador da Reserva Técnica e a Repsol como apoiadora de exposição Dja Guata Porã | Rio de Janeiro indígena.

A Escola do Olhar tem o Sistema Fecomércio RJ, por meio do Sesc, como parceiro institucional, e conta com o a Amil Assistência Médica e Dataprev, via Lei Municipal de Incentivo à Cultura, e da Aliansce via Lei Rouanet.

O MAR conta também com o apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro, e realização do Ministério da Cultura e do Governo Federal do Brasil por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Serviço
Ingresso: R$ 20 I R$ 10 (meia-entrada) – pessoas com até 21 anos, estudantes de escolas particulares, universitários, pessoas com deficiência e servidores públicos da cidade do Rio de Janeiro. O MAR faz parte do Programa Carioca Paga Meia, que oferece meia-entrada aos cariocas e aos moradores da cidade do Rio de Janeiro em todas as instituições culturais vinculadas à Prefeitura. Apresente um documento comprobatório (identidade, comprovante de residência, contas de água, luz, telefone pagas com, no máximo, três meses de emissão) e retire o seu ingresso na bilheteria. Pagamento em dinheiro ou cartão (Visa ou Mastercard).

Bilhete Único: R$ 32 – R$ 16 (meia-entrada) cariocas e residentes no Rio de Janeiro, mediante apresentação de documentação ou comprovante de residência comprobatórios. Serão considerados documentos comprobatórios aqueles que contenham o local de nascimento, tais como RG, carteira de habilitação, carteira de trabalho, passaporte etc.  Serão considerados comprovantes de residência os títulos de cobrança com no máximo 3 (três) meses de emissão, como serviços de água, luz, telefone fixo ou gás natural, devidamente acompanhado de documento oficial de identificação com foto (RG, carteira de habilitação, carteira de trabalho, passaporte etc.) do usuário.  

Política de gratuidade: Não pagam entrada – mediante a apresentação de documentação comprobatória – alunos da rede pública (ensinos fundamental e médio), crianças com até 5 anos ou pessoas a partir de 60, professores da rede pública, funcionários de museus, grupos em situação de vulnerabilidade social em visita educativa, Vizinhos do MAR e guias de turismo. Às terças-feiras a entrada é gratuita para o público geral.
Terça a domingo, das 10h às 17h. Às segundas o museu fecha ao público. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (55 21) 3031-2741 ou acesse o site www.museudeartedorio.org.br.

Endereço: Praça Mauá, 5 – Centro.

Fonte: divulgação por e-mail

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31