SÃO PAULO, São Paulo - O artista plástico Alex Flemming, que ficou nacionalmente conhecido após a instalação de rostos anônimos em painéis de vidro sobrepostos por poemas brasileiros na Estação Sumaré do Metrô de São Paulo, inaugurou dia 28 de outubro a intervenção com a série 'Anaconda' na casa-museu Ema Klabin.

A mostra, inédita no Brasil, compõe-se da apropriação artística de treze tapetes persas, de variados tamanhos, incluindo pequenos tapetes de oração, sobre os quais Flemming introduz a pintura de uma cobra.

As serpentes, de forte valor simbólico, são pintadas com tratamento cromático que estabelece um inquietante diálogo com as tramas coloridas, ou seja, com a padronagem dos tapetes. Em certas obras, as serpentes se destacam do tecido e se sobrepõem a ele, estabelecendo contrastes de forma e de cor; em outras, elas se mimetizam no território das tramas, se mostram mais traiçoeiras e se encontram disfarçadas em seu ambiente, pois suas cores e seus desenhos se assemelham às cores e aos padrões dos tapetes.

Foto: Henrique Luz

Com entrada gratuita, a instalação Anaconda ocupa todos os ambientes da casa-museu Ema Klabin: hall, galeria, salão, sala de jantar, quarto principal e quarto de hóspedes. A exposição fica aberta para visitação até dia 17 de dezembro. A mostra faz parte da série Intervalo Contemporâneo, que convida artistas para criarem trabalhos que interfiram no ambiente interno da casa. Os trabalhos instalados neste espaço são um contraponto para a coleção adquirida por Ema Klabin, inserindo o debate de uma produção contemporânea no percurso da visita, abrindo espaço para esse intervalo abranger uma diferente experiência e possibilitar um novo olhar perante essa coleção e suas interferências.

Na abertura da exposição, Flemming participou de um bate-papo sobre seus trabalhos pela série Arte-Papo, da Casa-Museu Ema Klabin levando artistas contemporâneos para falar sobre sua arte.

Sobre Alex Flemming
“Ser artista é aceitar o desafio de se expressar diferentemente conforme a vida evolui”, diz Alex Flemming. Filho de um piloto e de uma aeromoça, ele é um cidadão do mundo. Frequentou o curso livre de Cinema da FAAP e o curso de arquitetura e urbanismo da FAU/USP, o artista surgiu no meio artístico nos anos 70, com gravuras sobre o cotidiano e contestação sócio-política. Iniciou intensa dedicação à pintura quando ganhou bolsa de estudos da Fundação Fulbright e cursou o PrattInstitute de Nova York. Atualmente, Flemming mora na Alemanha, mas visita sempre o Brasil.

Serviço
Exposição 'Alex Flemming - Intervalo Contemporâneo'
Data: 28/10/2017 à 17/12/2017
Horário: das 14h às 18h
Arte-Papo com Alex Fleming – Dia 28/10/2017 das 14h às 15h
Coordenação Artes Visuais: Renê Foch
Coordenação Geral: Paulo Costa
Local: Casa-Museu Ema Klabin
Endereço: Rua Portugal, 43 – Jardim Europa
Entrada Gratuita
Arte Papo com o artista:14h às 15h – sem inscrição

Fonte: divulgação por e-mail

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31