DISTRITO FEDERAL, Brasília - “Estamos muito felizes com essa oportunidade que teremos de trabalhar com nossos alunos, desde muito cedo, despertando nos pequeninos da educação infantil, a consciência para a preservação da nossa cidade”, afirmou Lara Sanches, diretora do Jardim de Infância da 308 sul, ao falar sobre a expectativa de desenvolver projetos na área da educação patrimonial em sala de aula.


Iniciativa, que prevê a capacitação de mais de quatro mil professores, será implementada em todas as regionais de ensino do Distrito Federal (Foto: Barbara Kahena)

 

Lara foi uma das primeiras professoras a receber um exemplar do livro Athos Colorindo Brasília. A distribuição simbólica da publicação ocorreu após a assinatura do Termo de Cooperação Técnica, firmado entre o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF), para a ampliação das ações de conscientização para a preservação do Patrimônio Cultural. O documento assinado nesta terça-feira, 11 de fevereiro, na Sala Mário de Andrade, no térreo do edifício-sede do Iphan, em Brasília, marca o início de mais uma parceria com o governo local.

“Ações como esta têm como objetivo transformar cidades históricas em locais bons para se viver. Estamos tentando colaborar para que Brasília tenha vida longa da forma mais adequada possível e para que continue sendo esse lugar único e especial”, defendeu o presidente interino do Iphan, Robson de Almeida.

“O livro é um presente valioso para as escolas públicas. A assinatura desse acordo aumenta a possibilidade de aprendizagem e possibilita a troca de experiências. Nós valorizamos muito essa integração em prol da nossa cidade que é uma metrópole. Pensamos no desenvolvimento do Distrito Federal de forma que respeitar a capital sonhada por Juscelino Kubitschek nesses 60 anos”, acrescentou o Vice-governador do DF, Paco Britto.

O secretário de Educação do Distrito Federal, João Pedro Ferraz dos Passos, também ressaltou a importância da iniciativa ao falar sobre a necessidade do reforço de atividades lúdicas nas escolas, envolvendo temas associados à preservação da cidade. “Temos uma cidade que é um patrimônio histórico e isso é um privilégio porque soma valor ao lugar onde moramos. É preciso educar para que os alunos valorizem o que é deles. Eles que estarão aqui no futuro”, frisou.

Termo de Cooperação Técnica
A parceria firmada para a troca de experiências está alinhada à Política de Educação Patrimonial do Iphan e ao Plano Distrital de Educação (2015-2024) que visa propiciar uma dimensão pedagógica inovadora, com a ampliação de possibilidades de aprendizagem e a expansão dos espaços e tempos educativos a partir da integração entre a escola e os espaços culturais.

O acordo prevê, além da capacitação, o aperfeiçoamento e a especialização técnica de professores, orientadores educacionais e profissionais da carreira da assistência, por meio do desenvolvimento de cursos de formação, oficinas, palestras, além de outras atividades conjuntas e complementares de interesse comum.

“No segundo semestre já está programada uma atividade em Ceilândia que contemplará 30 mil alunos. Mas a nossa intenção é levar essa ação para todo o DF, contemplando as 14 regionais de ensino. Ao todo, 4,5 mil docentes devem ser capacitados nos próximos cinco anos: 1,5 mil presencialmente e três mil por meio de plataformas de educação a distância (EAD)” reforçou Saulo Santos Diniz, superintendente do Iphan-DF.

Até 2025, serão elaborados três livros que vão compor a coleção Patrimônio para Jovens, bem como serão realizadas as Jornadas do Patrimônio Distrital, entre outros eventos. Ao final do cronograma de atividades, em janeiro de 2025, a parceria poderá ser prorrogada, caso haja interesse do Iphan e da Secretaria de Educação.

Durante a assinatura do Termo de Cooperação Técnica, também estiveram presentes, entre outras autoridades, William França Cordeiro, secretário da Secretaria Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo e Paulo Henrique Bezerra Rodrigues Costa, presidente do Banco de Brasília (BRB) – instituição que ficará responsável pela impressão da publicação do Iphan, fornecida para os professores trabalharem em sala de aula. “É uma ação engrandecedora. Ao fomentar o hábito da leitura, ao mesmo tempo, mostra como é tão importante conservar a cidade”.

Fonte: Iphan

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30