SÃO PAULO, São Paulo – Uma história dos discursos de discriminação da fala e da escuta populares é o tema central do livro A voz do povo: uma longa história de discriminações (Editora Vozes, 2020), de autoria de Carlos Piovezani, docente do Departamento de Letras da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).


Obra de docente da UFSCar apresenta análise da formação e das transformações do preconceito linguístico desde a Antiguidade greco-latina até o Brasil atual (imagem: divulgação)

Com apoio da FAPESP, o professor traça na obra a trajetória de discriminações das práticas populares de linguagem, examinando um conjunto de fontes, que vai desde a Antiguidade greco-latina até o Brasil atual.

O livro conta com capítulos distribuídos em três partes: “Ouvir a voz do povo”; “Breve genealogia da voz e da escuta populares”; e “Retratos de um porta-voz popular na mídia brasileira”.

A obra se vale de conceitos, como os de língua, discurso, fala pública popular, escuta popular da fala pública e metalinguagem da emancipação popular, que são explicados de modo que mesmo o leitor não familiarizado com os campos da Análise do Discurso, da História das Ideias Linguísticas e da História das Sensibilidades poderá compreendê-los.

O livro pode ser adquirido no site da Editora Vozes.

Fonte: Agência FAPESP (Com informações da Coordenadoria de Comunicação Social da UFSCar)

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31