MINAS GERAIS, Belo Horizonte - Mais de 50 parceiros, entre entidades da sociedade civil, iniciativa privada e órgãos do governo de Minas, realizam ação conjunta para apoiar e incentivar os dois setores


Foto: Gil Leonardi/Imprensa MG

Uma rede solidária formada pelo governo de Minas Gerais, iniciativa privada e entidades da sociedade civil em prol dos realizadores e empreendedores da Cultura e Turismo do estado. Essa é a proposta do “Arte Salva”, movimento que reúne uma série de ações de apoio às cadeias produtivas dos dois setores, por meio de articulação e reforço logístico a campanhas de arrecadação de doações, prestação de informações sobre acesso a políticas públicas, linhas de crédito, ações de capacitação, lançamento de editais e outras atividades. A ideia é, a partir do diálogo e esforço conjunto de diversos segmentos, auxiliar, com suporte emergencial, profissionais e comunidades que se encontram em maior vulnerabilidade, como artistas de rua, técnicos, artesãos, guias de turismo, garçons, artistas, músicos, circenses, quilombolas, indígenas, ciganos e demais povos e comunidades tradicionais.

Mais de 50 parceiros se juntam ao movimento Arte Salva, que partiu de uma articulação da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) com diversos órgãos do governo de Minas, como Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), Secretária de Saúde (SES), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), Servas, Defesa Civil, BDMG, Codemge e todo o sistema de Cultura do Estado. Além de parcerias com empresas, associações, entidades e coletivos da sociedade civil e universidades, como Sesc em Minas e Cruz Vermelha.

O Arte Salva foi anunciado nesta segunda-feira (1/6), pelo governador de Minas Gerais, Romeu Zema, durante coletiva de imprensa que contou com a presença do vice-governador Paulo Brant, do secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, da secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Elisabeth Jucá e do diretor de Programas Sociais, Serviços e Operações do Sesc em Minas, Grijalva Duarte. Para Romeu Zema, essa iniciativa é necessária para todos aqueles envolvidos com os setores do Turismo e da Cultura no estado. “A grande maioria dos profissionais perdeu quase que a totalidade de seus rendimentos por causa da pandemia. O Arte Salva é uma forma de manter a dignidade dessas pessoas nesse cenário em que as atividades estão suspensas”, destacou o governador, que também salientou a importância das parcerias firmadas para a concretização do projeto. “Estamos contando com a ajuda do setor privado para contribuir com doações ao programa”, finalizou Romeu Zema.

Para o vice-governador Paulo Brant, o programa Arte Salva vai além de colaboração e solidariedade entre governo e parceiros. “A arte é que dá significado à vida nesse momento dramático que estamos vivendo. Gosto muito do formato desse projeto, porque ele evidencia que a maior fonte, a maior potência dos governos não está na quantidade de dinheiro que eles têm. O maior ativo que um governo tem é ser um governo de todos e, portanto, ser um governo que tem a capacidade de mobilizar, de articular com a sociedade civil e a iniciativa privada”, destacou..

O secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, enfatizou a característica transversal do projeto. “O Arte Salva é uma construção coletiva e já está acontecendo. O que estamos fazendo, como poder público, é organizar as demandas e impulsioná-las”, ressalta Oliveira, que anunciou algumas ações concretas do projeto, como a publicação de um edital emergencial de R$ 2,5 milhões para auxiliar o setor cultural.

A Cultura e o Turismo foram setores fortemente impactados pela pandemia. Exemplo disso, nas artes cênicas, são os artistas circenses que, por serem em sua maioria nômades, muitas vezes sem documentação e fontes alternativas de renda, precisam de ajuda com urgência. Em Minas, há pelo menos 70 circos em situação preocupante. Dessa forma, a Secult atua, junto à Sedese e Defesa Civil, para a coleta e distribuição de cestas básicas às famílias circenses e espera ampliar essa ação com o Arte Salva.

Em outra ponta estão os guias de turismo autônomos, artistas de rua e cantores de bar. Além do auxílio direto com doação de alimentos, o projeto pretende abastecer os profissionais dos dois setores com informação qualificada, explica o secretário. “Pretendemos colaborar para que as cadeias produtivas do turismo e da cultura adquiram sustentabilidade e para que se capacitem. Estamos buscando patrocínios e parceiros também na iniciativa privada, colocando nossa estrutura à disposição e produzindo editais de fomento, que irão se somar às atividades do Arte Salva”, apontou Leônidas Oliveira, à frente da Secult.

Já a secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Elisabeth Jucá, destacou que o próprio nome do projeto desperta esperança. “Esse nome, ‘Arte Salva’, diz muito sobre nossa iniciativa. É isso o que precisamos neste momento: esperança. É um projeto transversal do governo, que une desenvolvimento social, cultura, turismo e outros parceiros, e que vai levar solidariedade às mais de 30 mil famílias necessitadas. É a salvação através da arte”, pontuou a secretária.

Arte Salva em ação
Para apoiar a coleta, o armazenamento e a distribuição de doações de diversas campanhas voltadas às cadeias produtivas da Cultura e do Turismo, o Arte Salva conta com a parceria do Sesc em Minas, por meio do Mesa Brasil Sesc. O programa possui equipe técnica e operacional qualificada para executar a retirada e a distribuição das doações, além do acompanhamento e monitoramento das ações.

Para o diretor de Programas Sociais, Serviços e Operações do Sesc em Minas, Grijalva Duarte, o convite para se juntar ao Arte Salva foi prontamente aceito devido à importância de unir forças neste momento desafiador para tantos setores. “Desde o início da pandemia, o Sesc em Minas tem atuado em várias frentes para conter o avanço da Covid-19 e seus impactos em nosso estado, seja por meio de parcerias com o poder público ou de ações solidárias ao lado da iniciativa privada e da sociedade civil. Por isso, fazemos parte do Arte Salva, um movimento em favor daqueles que vivem da Cultura e do Turismo, duas áreas tão importantes para a atuação do Sesc no estado e para a nossa economia, que foram duramente atingidas no momento atual”, declara. “Colocamos à disposição toda a expertise de nossa equipe do Mesa Brasil Sesc, programa de segurança alimentar que é um dos maiores bancos de alimentos do mundo, que irá trabalhar toda a operação logística das arrecadações”, completa Duarte.

Além da tecnologia com o uso do QR Code para doações, da experiência na logística para recebimento e distribuição de doações de alimentos, o Sesc vai dar apoio na estruturação do centro operacional do Arte Salva, localizado no Museu Mineiro (Av. João Pinheiro, 342, B. Lourdes, BH).

Vale ressaltar que o Arte Salva é um pacote amplo de medidas emergenciais que vão desde à formação com cursos de capacitação on-line, lives informativas, estudos e pesquisas de impactos, editais, entre outras atividades e programas realizados pelos órgãos que compõem a Secult, direta ou indiretamente, como o Observatório do Turismo de Minas Gerais, a Fundação Clóvis Salgado, o Iepha (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artísticode Minas Gerais), a Faop (Fundação de Arte de Ouro Preto) e a Empresa Mineira de Comunicação (EMC - Rede Minas e Rádio Inconfidência).

#ArteSalva: movimento em rede pela vida e incentivo às cadeias produtivas da Cultura e do Turismo de Minas Gerais. Movimento colaborativo em construção. Confira os parceiros confirmados até o momento:

Realização
Governo de Minas
Sesc em Minas
Secretaria de Estado de Cultura e Turismo
Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social
Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico
Secretaria de Estado de Saúde
Servas
Defesa Civil
BDMG
Codemge
Cemig
Prodemge
UEMG
Fundação João Pinheiro
Mineiraria

Sistema de Cultura de Minas Gerais
Fundação Clóvis Salgado
Iepha - Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artísticode Minas Gerais
Faop - Fundação de Arte de Ouro Preto
EMC - Empresa Mineira de Comunicação: Rede Minas e Rádio Inconfidência

Parceiros
Verbo Gentileza
Cruz Vermelha
Instituto Cáritas
Fundação ArcelorMittal
Associação Mineira de Municípios
Mineirão
Bienal Mineira do Livro
Livraria Leitura
Sempre um Papo
Academia Mineira de Letras
ACMinas – Associação Comercial e Empresarial de Minas
Amirt - Associação Mineira de Rádio e Televisão
Associação Arebeldia Cultural
Associação Cênica Casarão (Confins)
Associação de Guias de Turismo do Brasil seção Minas Gerais
Balaio do Cerrado(Uberlândia)
Bauducco
Campanha Salve a Graxa
Casa do Jornalista
Central Mãos de Minas
Centro Cape
CEPCT - Comissão Est. de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais
Conepir - Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial
CET – Conselho Estadual de Turismo
Consec – Conselho Estadual de Política Cultural
Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG)
CUFA – Central Única das Favelas
Cine Theatro Brasil Vallourec
Fecitur
Fórum HipHop de BH
Frente da Gastronomia Mineira
Frente da Moda Mineira
Funarte
Instituto Inhotim
Instituto Periférico
Instituto Unibanco
Ministério do Turismo
MTG– Movimento deTeatrode Grupo MG
Nação HipHop Brasil
Orquestra Filarmônica de Minas Gerais
Páginas Editora e Livraria
Pastoral de Rua/Arquidiocese de Belo Horizonte
Produtora HLPhonnyx
Rede Cidadã
Rede de Apoio ao Circo
Rede de artesanato do Vale do Jequitinhonha
Rede Nacional do Circo
Sated
Sebrae
Sindicato de Guias de Turismo de Minas Gerais
Sinparc
UFMG - Programa Polos de Cidadania
UFRJ
União Junina Mineira

Fonte: Secult MG

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31