RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - A exposição “Mata Atlântica – Ciência e Arte” será inaugurada no dia 22 de dezembro no Museu do Meio Ambiente, no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, às 16 hs. A mostra reúne cerca de 200 obras de ícones da história da ilustração científica e natural, como Jean Baptiste Debret e Margaret Mee, e artistas contemporâneos que se dedicam ao ofício, como Prof. Paulo Ormindo da UFRRJ/JBRJ, organizador e curador da exposição juntamente com curadora Christina Gabaglia Penna.

A idéia de apresentar ao público parte de acervos que ficam“escondidos”, isto é, fora da vista pública, de instituições como a Biblioteca Nacional, da Fundação Oswaldo Cruz, Museu Nacional, Museus Castro Maya e outros, surgiu em 2012 por ocasião do IV Encontro Nacional de Ilustradores Científicos, segundo a curadora. “Há registros extraordinários, um universo confinado em mapotecas e armários de nossas instituições que poucos conhecem. Vamos trazer esses acervos para a vista pública”, ressaltando espécies de valor cientifico , histórico e cultural da Mata Atlântica, sendo considerado“patrimônio nacional” pela constituição brasileira em 1988, um Bioma que se encontra constantemente em perigo, tendo sua área natural reduzida próximo de 27% e de apenas 7% de remanescentes bem conservados explica Christina Penna e Paulo Ormindo.

Os curadores ressaltam que a ilustração científica tem uma tradição histórica na humanidade e que os Científicos/naturalistas tiveram papel importantíssimo nas grandes viagens das descobertas, com o registro científico da fauna e da flora desconhecidas dos europeus e dos brasileiros. Segundo eles, trata-se de uma profissão e tradição muito forte e de uma atividade que não foi afetada com o surgimento e a evolução da fotografia. “A ilustração consegue destacar os detalhes que só o desenho permite de forma clara e criteriosa em uma única prancha . O ilustrador científico continua sendo muito importante para a biologia em vários segmentos da botânica e zoologia,, inclusive é uma disciplina curricular dentro do curso de licenciatura em Belas Artes da UFRRJ ministrada pelo Prof. Paulo Ormindo e ha mais de uma década a ENBT/JBRJ tem um Programa de Ilustração Botânica.

Entre os destaques de “Mata Atlântica – Ciência e Arte” estão obras de Jean-Baptiste Debret, cedidas pelos Museus Castro Maya e uma coleção de 33 “mutucas” do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, são fichas de trabalho sobre espécies estudadas pelo do Dr. Adolpho Lutz, médico e cientista.

A mostra faz homenagem algumas mulheres, as ilustradoras botânicas Margaret Mee e Maria Werneck de Castro e a artista Alemã Maria Sibylla Merian com duas obras do Sec. XVII, e em destaque a cientista e pesquisadora Dra. Graziela Barroso, notória em formar gerações de cientistas que hoje se dedicam às investigações acerca das plantas.responsável pela descoberta e identificação de inúmeras espécies.

Os curadores acreditam que a exposição vai dar ao público não só uma satisfação estética, abrindo um universo de interesse pela - pela beleza, delicadeza e precisão dos trabalhos - mas vai mostrar um pouco do universo envolvido no estudo da natureza.

Exposição “Mata Atlântica – Ciência e Arte”
Museu do Meio Ambiente – Jardim Botânico
22 de dezembro a 13 de março 2016
Endereço: Rua Jardim Botânico, 1008.
Telefone: 2294-6619Funcionamento: segunda das 12h às 17h; terça a domingo das 10h às 18h.
Entrada franca

Fonte: Jornal do Brasil

(Nota do editor: notícia originalmente publicada em 20/12/2015 às 08:26hs - 125 visitas até 16/05/2016 ) 

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31