DISTRITO FEDERAL, Brasília - Nos últimos 300 anos, Recife passou por todo tipo de transformação.


Crédito: Braulio Moura/Secretaria de Turismo de Recife

Edifícios substituíram antigos casarões; vias de terra foram pavimentadas; o cenário colonial deu lugar a uma metrópole urbanizada. Apesar de tantas mudanças, desde o século XVIII, uma parte da cidade se mantém praticamente inalterada: o conjunto arquitetônico formado pela Igreja de São Pedro dos Clérigos e o Pátio de São Pedro.

A fim de que este monumento religioso continue a compor a paisagem de Recife integrado ao cotidiano da população, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) vai investir aproximadamente R$ 7 milhões em serviços de restauração do bem cultural.

O valor inclui os R$ 3,2 milhões designados para as intervenções realizada entre 2013 e 2016, com foco na obra civil. Concentrados nos bens integrados, os novos serviços totalizam cerca de R$ 4,1 milhões e vêm complementar a restauração da edificação, considerada uma das mais monumentais do Brasil.

Trata-se de um dos primeiros bens tombados pelo Instituto, em 1938, um ano após a criação do Iphan. O conjunto arquitetônico foi inscrito nos Livros do Tombo Histórico e das Belas Artes.

Nesta quarta-feira, 12 de agosto, às 12 h, a igreja vai sediar uma missa para registrar o início do serviço de restauração dos seus bens integrados, como forros da nave, nártex, sacristia e galeria. Para acompanhar não é necessário descumprir o isolamento social recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como medida para enfrentar o novo coronavírus, pois a Rádio Olinda transmitirá a celebração ao vivo.

Prevista para durar 16 meses, a restauração inclui serviços de desinfestação, limpeza, nivelamento, reconstituições de ornatos, entre outras intervenções. Uma etapa se destaca para os entusiastas do Patrimônio Cultural: a reintegração do douramento e policromia do forro da nave, que vai valorizar ainda mais a obra do mestre João de Deus Sepúlveda.

O célebre pintor do Brasil no período colonial buscou inspiração no barroco português para representar, em perspectiva, São Pedro abençoando clérigos e religiosos. Sepúlveda se debruçou sobre esta obra de arte entre os anos de 1764 e 1780. A contemplação da pintura cria a ilusão de adentrar um espaço formado por uma sucessão de balcões e arcadas. Assim, o efeito ótico gera sensação de movimento e de amplitude infinita.

Graças à integridade do monumento, caminhar pelas edificações nos desloca para a Recife de outros tempos. Do pátio é possível ter uma visão global da igreja, emoldurada por um casario antigo. O conjunto tombado é formado pelo templo, pátio e outras 63 edificações, entre casas térreas e sobrados.

A baixa estatura do casario ao lado realça a grande verticalidade do templo, o que ajuda a compor uma curiosa paisagem de contrastes. No interior, a disposição simétrica estabelece um jogo de espaços cheios e vazios. Já as torres esguias oferecem uma vista tão singular que, durante os séculos XVIII e XIX, eram utilizadas como pontos de orientação para pequenas embarcações.

Com planta idealizada por Manuel Ferreira Jácome, a construção da igreja teve início em 1728. A fachada apresenta proporções rigorosas, o que remete a uma possível influência da arquitetura clássica. Além disso, a edificação agregou traços estilísticos de expressões artísticas como o maneirismo, o barroco e o rococó.

Longe de ser um cenário passivo para a vida dos recifenses, este bem abriga manifestações de caráter popular e de tradição pernambucana. Durante todo o ano, apresentações com música e dança dos ciclos carnavalesco, junino, natalino; assim como da cultura negra e do movimento mangue reforçam o laço de pertencimento da população com esse espaço.


Crédito: Braulio Moura/Secretaria de Turismo de Recife


O Iphan em Pernambuco
Além da restauração completa da Igreja de São Pedro dos Clérigos, o Instituto também tem trabalhado em uma série de ações para o Patrimônio Cultural edificado em Pernambuco. Nos últimos anos, já foram mais de R$ 38,5 milhões investidos em obras em Recife, Olinda e Fernando de Noronha.

Em Recife, além da primeira etapa de obras da Igreja de São Pedro dos Clérigos, já foram concluídas as obras civis das Igrejas Matriz de Santo Antônio e Conceição dos Militares. Atualmente encontra-se em execução o serviço de restauração dos bens integrados dessa última.

Fonte: Iphan

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31