BAHIA, Salvador - Com o objetivo de inserir mais jovens negros e de comunidades periféricas na rotina de um espaço museal, o projeto experimental “Educação Patrimonial e a construção coletiva de um museu” concluiu, com êxito, neste mês de abril, suas atividades

As ações, iniciadas em janeiro, foram realizadas no Acervo da Laje, espaço escolhido para a iniciativa. Para saber mais sobre a experiência de cada participante, o público pode rever a live devolutiva no canal do projeto no YouTube e o trabalho desenvolvido no site https://www.acervodalaje.com.br e instagram @acervodalaje

Durante o projeto, os jovens foram selecionados por já possuírem alguma aproximação com o espaço e, durante o período que ficaram no local, buscou-se realizar uma construção de museu efetivamente periférica - onde o povo faz parte não só da história contada pelo espaço, mas da história cotidianamente vivida por ele - sua rotina, funcionamento, ações culturais, técnicas de preservação e catalogação. A importância do projeto ficou evidente ao longo dos meses de trabalho, quando foi possível acompanhar o desenvolvimento de cada participante.

Entre as várias interações que cada bolsista teve com o funcionamento do museu, destacou-se como mais intensa a participação deles no processo de formação da hemeroteca física e digital. Os interessados podem acompanhar o Acervo da Laje no instagram e visitar o site do projeto, que divulgará no dia 30 de maio, a hemeroteca física e digital.

Integram a equipe de participantes que colaboraram para os bons resultados do projeto, a proponente e coordenadora Caroline Souza, o coordenador José Eduardo, a arquivista Adriana Pacheco, a professora Vilma Soares e os bolsistas Augusto Alan, Dandara Santos, Débora Santos, João Antônio e Yan Nascimento.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e do Centro de Culturas Populares e Identitárias (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Programa Aldir Blanc Bahia
Criado para a efetivação das ações emergenciais de apoio ao setor cultural, o Programa Aldir Blanc Bahia (PABB) visa cumprir os incisos I e III da Lei Aldir Blanc (Lei Federal nº 14.017, de 29 de junho de 2020) e suas regulamentações federal e estadual. As ações são: a transferência da renda emergencial para os trabalhadores e trabalhadoras da cultura, e a realização de chamadas públicas e concessão de prêmios. O PABB tem execução pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, geridas por meio da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura e do Centro de Culturas Populares e Identitárias; e as suas unidades vinculadas: Fundação Cultural do Estado da Bahia, Fundação Pedro Calmon, Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural.

Serviço
O que: Projeto “Educação Patrimonial e a construção coletiva de um museu”
Quando: Já disponível para o público
Onde: Canal do projeto no YouTube, Site https://www.acervodalaje.com.br e Instagram @acervodalaje

Fonte: SecultBA

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31