RIO DE JANEIRO, Rio de Janeiro - Mostra conecta biografia, pesquisas de energia nuclear e legado do almirante


Foto: divulgação/MAST

A exposição Álvaro Alberto: O Homem que Sabia Demais, que será inaugurada no dia 1º de fevereiro, também marca a reabertura do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST). A mostra que ocupará o segundo andar do prédio sede percorre a formação e a visão de um dos principais cientistas brasileiros, que transitou com maestria pela política internacional, defendeu e conquistou investimentos em ciência, educação e tecnologia para o desenvolvimento do país. A curadoria é de responsabilidade de Marcello Dantas e Liana Brazil.

Para o diretor do MAST, Marcio Rangel, reabrir o museu com uma exposição que percorre o caminho da ciência no Brasil mostra a sinergia entre as pesquisas realizadas pelo almirante e a instituição. “A exposição “Álvaro Alberto - O homem que sabia demais” vai ser o marco da reabertura do museu ao público. Essa mostra está diretamente ligada aos nossos acervos museológicos, arquivísticos e bibliográficos, que têm vasto material abordando a temática da energia nuclear, uma área em que a participação do Álvaro Alberto foi fundamental para o desenvolvimento das pesquisas no Brasil. Assim, a exposição está diretamente vinculada aos interesses da pesquisa e da divulgação dos temas que o MAST trabalha”, explica.

Já os curadores lembram o grande legado que Álvaro Alberto deixou para o Brasil. "Revisitar personagens recentes da nossa história é a única maneira de entendermos os caminhos que tomamos. Álvaro Alberto era um articulado estrategista do Brasil inserido no contexto global, um cientista, pensador, político legitimamente engajado nos rumos de longo do país. Seu pensamento à frente do seu tempo, sua visão transdisciplinar e sua atitude protagonizante o consagram como um dos grandes brasileiros do século XX. Um homem que sabia demais", afirma Dantas.

A museografia, criada pela produtora SuperUber, trabalha os temas em três eixos: História e biografia, energia nuclear e legado científico. No primeiro, uma linha do tempo narra a história da ciência no país conectada à trajetória de vida do almirante Álvaro Alberto. Em uma sala que reproduz seu o gabinete de trabalho, o público verá surgir, sobre uma mesa da década de 1920-30 escolhida do acervo do MAST, animações lineares de desenhos, textos e rascunhos, representando suas ideias e produção que vão “se desenhando” na mesa. Também será possível conhecer outro lado do almirante: o que desenha caricaturas e escreve poemas.

Em um ambiente com estética tecnológica, científica e futurista, a segunda parte da exposição apresenta o desenvolvimento da energia nuclear no país, desde os anos 1920-30 até os dias atuais. Álvaro Alberto foi o principal personagem sobre o assunto no Brasil de então e esta sala busca mostrar seu lado visionário e pioneiro. Para entender o contexto histórico, notícias de época e grafismos completam a narrativa sobre como funciona e como evoluiu a promessa da energia nuclear, com suas aplicações sociais e inovação. A cenografia terá vitrines com lentes sobre 5 objetos: maquetes de usina, átomo, bomba nuclear, amostras de urânio e yellow cake. As lentes fazem a analogia com histórias de detetive e ficção científica -- o futuro desse passado recente. No centro da sala, uma maquete do núcleo do átomo está exposta em um suporte de espelhos que cria uma repetição infinita do átomo. Em uma tela, animação de cartazes dos filmes que representam a promessa da energia nuclear durante e depois da 2ª Guerra Mundial ilustram o contexto.

O terceiro eixo foca nos institutos de pesquisa, suas disciplinas, ressaltando a visão de futuro e os desdobramentos da rede criada por Álvaro Alberto. Há 70 anos, ele foi o fundador do CNPq e de uma rede de instituições que, até hoje, formula e conduz as políticas de ciência, tecnologia e inovação do Brasil. Por meio de um conteúdo imersivo, o público vai viajar por diferentes espaços, envolvidos nas diferentes disciplinas e instituições da rede científica que Álvaro Alberto ajudou a criar ou gerir: Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF); Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA); Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA); Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT); e Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN).

SERVIÇO
ÁLVARO ALBERTO: O HOMEM QUE SABIA DEMAIS

Museu de Astronomia e Ciências Afins
Rua General Bruce, 586 - São Cristóvão
Abertura para convidados: 1º de fevereiro de 2022, às 16h30
Visitação: de 2 de fevereiro a 1 de julho de 2022
Terça-feira, Quarta-feira, Quinta-feira, Sexta-feira das 09h às 17h
Sábado - 14h às 19h, Domingo e feriado - 14h às 18h
Entrada Grátis

Fonte: MAST

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31